Artista com raízes em Friburgo é finalista de prêmio internacional

Bailarino desponta nas artes visuais ao imprimir sua expertise de dança a móbiles feitos de metal e ataduras de gesso
sexta-feira, 16 de julho de 2021
por Jornal A Voz da Serra
Thiago Sancho e uma de suas obras (Foto: Adriano José)
Thiago Sancho e uma de suas obras (Foto: Adriano José)

Thiago Sancho, de 36 anos, que reside atualmente entre o Chile e o Brasil, figura na lista dos 30 artistas emergentes finalistas do prêmio londrino Ashurst Emerging Artist Prize 2021. Com trabalho focado na criação de esculturas dotadas de movimento, sua técnica inclui conceitos de dança, que emprestam ritmo aos móbiles. 

O Ashurst Emerging Artist Prize é um prêmio global de arte contemporânea promovido anualmente pelo escritório de advocacia Ashurst, com sede em Londres e filiais em mais de 15 países. Ele busca revelar e apoiar os principais talentos emergentes, sem distinção de idade e nacionalidade, e também ampliar o alcance de suas obras para diferentes públicos.  

Entre artistas de diferentes partes do mundo, como Irlanda, Coreia do Sul, Inglaterra, Japão e Alemanha, a participação de Thiago Sancho como finalista do Ashurst e forte candidato ao prêmio, significa colocar o Brasil em destaque no cenário artístico internacional.

“Ter o reconhecimento do painel de jurados e poder expor o meu trabalho entre os finalistas do Ashurst Artist Prize me deixa extremamente feliz, especialmente nesse momento em que vivemos e do lugar de onde venho, onde as perspectivas que envolvem o desenvolvimento artístico e cultural são muito escassas. É um grande privilégio ter a oportunidade de exibir o meu trabalho e representar o meu país em outro continente”, pontua Thiago.

A obra Places I’ve Never Been, com a qual Thiago concorre ao prêmio principal e também ao prêmio de escultura, trata-se de um corpo-móbile feito de ferro e gesso que, em relação ao espaço, à luz e ao movimento do ar, executa composições coreográficas de possibilidades infinitas. O esboço da estrutura se revela a partir da oxidação do metal em contato com a água. Não faz parte da prática de Thiago fazer desenhos prévios das esculturas. “As formas são construídas a partir do contato das minhas mãos com o metal e do jogo de movimentos intuitivos e inesperados que isso gera”, afirma o artista.

Thiago Sancho nasceu em Niterói, em 1984 e, até os 18 anos, viveu em Nova Friburgo, onde estudou teatro, balé clássico e dança contemporânea. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 2002 para profissionalizar-se e aprender acrobacia aérea com Nana Alves. Atualmente, ele elabora esculturas de formas orgânicas feitas essencialmente de ferro, gesso, tecido, porcelana e resina. Confira mais detalhes em www.thiagosancho.com

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: