Previsão astrológica

Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna às terças e quintas.

quarta-feira, 18 de março de 2020

2020 é o ano que marca o início de mudanças profundas na sociedade. A previsão de quase todos os astrólogos foi feita há muito tempo e está encontrando razão na pandemia pelo coronavírus. Os estudiosos do assunto baseiam as previsões no raro alinhamento da passagem de Júpiter pelo signo de Capricórnio e o seu encontro com Saturno e Plutão.

Será?

Esse fenômeno sugere ares revolucionários. Somado a outros acontecimentos astrológicos de extrema importância, gera-se um processo de transformação coletiva. A mensagem é de que todas essas transformações globais devem culminar em uma grande virada comportamental, tecnológica e científica. O ano de 2020 marca, assim, o último de um ciclo de cerca de 200 anos.

Mudanças radicais

Segundo sites especializados no assunto, a conjunção de Plutão e Saturno raramente acontece. Esse fenômeno já desencadeou alguns dos momentos mais significativos da história, como o início da primeira e da segunda guerra mundial, a revolução cultural dos anos 60 e a recessão econômica dos anos 80.

Fim de ciclo

Estudiosos apontam que nesta sexta, 20, o ano de 2020 começa de fato com o início do ano astral e que em dezembro há o fim de um grande ciclo para início de um novo tempo. Apostam no fim da sociedade patriarcal e início de uma sociedade matriarcal, com o empoderamento feminino. Alguns, mais ousados, apontam até na derrocada do capitalismo.

Os piores vírus

Acreditem ou não em astrologia, o fato é que o mundo vive um momento de grande conturbação. O vírus que se espalha afeta a vida (colocando-a em sério risco) e a economia (já conturbada). Se um novo tempo vai surgir – não sabemos. Mas que uma mudança de comportamento deve vingar – disso não temos dúvidas e não é de agora. Os piores vírus continuam sendo os da indiferença e da desigualdade. Será que haverá vacina para eles?

Quando o ano começa?

Em tempos de pandemia, difícil ter outro assunto. Tudo meio paralisado, em compasso de espera e altamente influenciado pela propagação e tentativa de contenção do vírus. Nada deixa de ser afetado e 2020 que teria começado depois do carnaval já não se pode cravar quando de fato começa.

Alta avassaladora

As subnotificações de casos nesse início de pandemia podem não assustar as pessoas. Em conversa com pessoas da área de saúde e fontes ligadas às mais altas autoridades do Estado, um salto deve ocorrer a partir do fim de semana, onde em números ficará clara a gravidade do problema. Por isso, todas as tentativas de manter as pessoas em casa.

Moda íntima

O que não se pode passar despercebido é a situação das nossas confecções. Nova Friburgo é capital da moda íntima, com quase 30 mil pessoas dependentes do setor. Geralmente as confecções funcionam em espaços fechados. Como ficam nossas costureiras? E os sacoleiros que viajam para São Paulo, onde já se pensa até em cordão sanitário para impedir a entrada e saída do Estado? Preocupante.   

Livre

O Friburguense que respira aliviado. Salvo na fase anterior e com vaga garantida na seletiva do ano que vem, não teve ainda seu planejamento afetado. Vários de seus jogadores profissionais, inclusive, foram emprestados a outros clubes Brasil a fora. Mas se tivesse ido para o triangular final, estaria em maus lençóis.

América ou Nova Iguaçu

A competição foi paralisada com apenas duas rodadas por fazer. Americano já salvo, ainda tem uma partida pela frente. O América depende de apenas um empate nas duas partidas restantes, uma contra o próprio Americano e outra contra o desesperado Nova Iguaçu que necessita que o América perca para o Americano e ainda terá que vencer, possivelmente por mais de um gol para sair do rebaixamento e colocar o América na segundona.

Incertezas

No entanto, essa pausa que deve ultrapassar duas semanas, mexe com todo o trabalho das equipes e esfria a briga, podendo causar até uma injustiça no andamento da competição. Por isso, para o Friburguense foi uma tremenda vantagem ter escapado antes. Falar de planejamento agora é chover no molhado. Ninguém pode prever se o calendário estipulado para a Copa Rio, por exemplo, será seguido, se é que haverá a competição. Tudo vai depender do controle da pandemia do Covid-19.  

Palavreando

“Você pode! Todos nós podemos! Seguir a canção com esperança e fé! Arregaçar as mangas da alma com disposição e mudar o que tem que ser mudado e crer que tudo pode ser melhor se a gente dá o melhor que tem”.

Foto da galeria
Mais uma belíssima foto de Pedro Bessa. A mim cabe a reflexão: que a intempérie passe, porque sabemos que acima das nuvens mais carregadas está o sol. A sua luz forte, mais cedo ou mais tarde, rompe o cinza. Que na terra, sejamos pontos luminosos para refletir essa luz que há de surgir
Publicidade
TAGS:
Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna às terças e quintas.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.