Perda de arrecadação

Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna às terças e quintas.

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Nova Friburgo deve perder pouco mais de R$ 28 milhões de arrecadação com ICMS – o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços, neste ano. A estimativa é da Secretaria estadual de Fazenda de acordo com que a própria estimou na previsão orçamentária anual, feita em 2019.

Superestimado

Vale ressaltar, no entanto, que a perda pode ser menor, uma vez que tem sido praxe superestimar o orçamento que é na verdade uma previsão que raramente se consolida. O que gerou o apelido por muitos de mera peça de ficção. Também não deixa de ser correto afirmar que não haverá perdas, por conta da queda no consumo e consequentemente na arrecadação sobre circulação de mercadorias.

30% de perda em média

Na Região Serrana como um todo, a nova previsão no cenário de pandemia aponta para uma diferença de R$ 260 milhões entre o estimado no fim do ano passado e agora no cenário de isolamento social. O município de Petrópolis é quem tem a maior queda (R$ 88 milhões), seguido de Nova Friburgo e Teresópolis, os três maiores municípios. Em média, a perda em todos os municípios chega a 30%.

Ajuda federal

Valor que não será completamente reposto pela ajuda federal aos municípios e estados. Segundo o projeto final, Nova Friburgo receberá R$ 17,7 milhões. A ideia inicial da ajuda federal era repor exatamente essas perdas com as arrecadações dos tributos, entre os quais ICMS, ISS e IPTU, os dois últimos impostos municipais. O ICMS tem forte impacto na parcela que fica com as prefeituras.

2015 de novo ou pior

Segundo a Comissão de Economia, Indústria e Comércio da Alerj, no fim de 2019, de acordo com o Orçamento para 2020, seriam repassados, este ano, aos municípios do Rio de Janeiro, R$ 9,6 bilhões. Mas, após a revisão, o número ficou em R$ 6,7 bilhões. A crise é comparada a de 2015, mas com cenário pior, por conta de atingir a todo o planeta.

Medo da Covid-19

Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas aponta que 89% dos profissionais de saúde têm medo de contrair a Covid-19. A pesquisa que é nacional, não deve ter números muito diferentes em Nova Friburgo. Basta ver os dados epidemiológicos oficiais, em que de acordo com o último boletim (antes do fechamento desta coluna) apontava que dos 190 casos confirmados, 63 são profissionais de saúde.

30% de infectados

Desde que iniciaram a divulgação dos casos confirmados de profissionais de saúde, a proporção tem se mantido na casa de 30% de profissionais de saúde infectados para os demais. Na linha de frente, são os mais vulneráveis a contrair a doença. Outro fator importante que não se pode desconsiderar é que os profissionais de saúde têm possibilidade contínua de exames, escapando da estatística de subnotificação.

Receios

Ainda segundo a pesquisa, realizada entre 15 de abril e 1º de maio, de maneira não presencial, apenas 15% dos profissionais se sentem preparados para o enfrentamento à pandemia. Os agentes de saúde se consideram os mais vulneráveis. A percepção aqui não é muito diferente, ainda que não tenha comprovação estatística de pesquisa.

Palavreando

“Sou farelo luminoso que escapa pela loucura de ser humano. Sou verdades ditas mesmo quando não pronunciadas. Sou poeira futura que se constrói no presente. Somos todos tão parecidos afinal”.

 

 

  • Foto da galeria

    Com o sucesso das máscaras de times de futebol, inclusive do Friburguense, agora é a vez das escolas de samba. Uma confecção de Nova Friburgo iniciou a confecção das máscaras de barreira das quatro escolas de samba locais. A máscara do Alunão ainda não foi lançada, mas está prometida para os próximos dias.

  • Foto da galeria

  • Foto da galeria

Publicidade
TAGS:
Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna às terças e quintas.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.