Sessões suspensas

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quarta-feira, 25 de março de 2020

Para pensar:

“A verdadeira medida de um homem não se vê na forma como se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas em como se mantém em tempos de controvérsia e desafio.”

Martin Luther King

Para refletir:

“Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida.”

Sócrates

Sessões suspensas

De modo previsível, e talvez até inevitável, o presidente da Câmara Municipal de Nova Friburgo, vereador Alexandre Cruz, determinou a suspensão de todas as atividades do Poder Legislativo pelos próximos 15 dias, como parte das medidas preventivas à propagação do novo coronavírus.

Prazo imprevisível

A ação poderá ter seu prazo prorrogado ou cessado antecipadamente de acordo com a necessidade de adoção de novas ações, mas a tendência atual - e tudo tem mudado muito rapidamente - é que a suspensão seja prorrogada por período maior, com a convocação de reuniões específicas sempre que alguma deliberação se fizer necessária.

Deve ser o caso, por exemplo, em relação à tradicional sessão dos títulos de cidadania.

Canal de diálogo

Durante o período de suspensão das atividades, todos os servidores do âmbito administrativo estarão à disposição para as demandas necessárias por meio de home office.

A população também pode manter contato com a Câmara através do e-mail ouvidoria@novafriburgo.rj.leg.br.

Avanço doloroso

Antes da paralisação, o setor de RH tomou algumas medidas importantes, atendendo a orientações do Ministério Público.

Três servidores nomeados foram exonerados, e cinco concursados foram convocados.

A medida naturalmente causou comoção, uma vez que vivemos a perspectiva de uma recessão muito profunda, e ninguém quer ver amigo algum perder o emprego num momento como este.

Mas, por mais doloroso que seja - e de fato é -, a troca de nomeados por concursados é um processo necessário e alinhado aos interesses coletivos.

Sobrevida

A suspensão das atividades legislativas se soma aos prazos que foram sendo obtidos à custa de largas doses de teatralidade, e acaba representando mais um período de sobrevida a uma gestão municipal que, antes dos efeitos da pandemia da Covid-19, se encontrava em situação extremamente delicada.

Mais que isso, as possibilidades de que as eleições venham a ser adiadas pode representar a continuidade da atual gestão municipal por mais tempo do que o previsto.

É esperar para ver.

Quem apanha não esquece

Mas, olhando um pouquinho para a frente, não dá para dizer que alguém possa ter motivos para respirar aliviado.

Afinal, enquanto as receitas continuam a pingar e os salários estão em dia, ninguém se importa tanto com os recursos que foram desperdiçados, para não usar termo mais pesado.

Mas quando o cinto começa a apertar, aí todo mundo se lembra daqueles episódios em que recursos públicos foram mal gerenciados.

E, cá entre nós, Friburgo viu muitos desses nos últimos anos.

Casa sobre a areia

É triste, muito triste, ter a consciência de que nossa cidade poderia estar em situação muito mais fortalecida se não tivesse sido palco para tantas demonstrações de incompatibilidade com a boa gestão, e não vamos entrar aqui na discussão sobre ter havido dolo ou apenas incompetência, uma vez que os efeitos importam mais do que as causas neste momento.

O fato é que muita gente vai sofrer as consequências de tudo de errado que andou acontecendo por aqui, na hora em que o dinheiro começar a faltar.

Prioridades

Uma situação que tem sido bastante lembrada nesse sentido diz respeito à adesão à ata do município de Araguaína (TO) para a troca de todo o parque de iluminação pública friburguense por um valor que pode chegar a R$ 47 milhões.

O ex-vereador Cláudio Damião, inclusive, criou um abaixo-assinado na internet para solicitar que o contrato seja cancelado e os recursos sejam direcionados à Saúde, argumentando que já há um contrato para a troca de lâmpadas queimadas no valor de R$ 820 mil por um ano.

Em análise

Cabe dividir com os leitores que a coluna não tem tocado muito nesse assunto por ter conhecimento a respeito do teor da peça que foi protocolada junto ao Ministério Público pelo vereador Professor Pierre em dezembro de 2019, justamente dedicada a este tema.

A análise de detalhes importantes do contrato, bem como do contexto em que foi elaborado e firmado, sugere a necessidade de investigações aprofundadas, e a coluna entende não ser oportuno dividir tudo o que sabe e, dessa forma, correr o risco de prejudicar o trabalho institucional que precisa ser levado adiante.

Seguimos aguardando.

Vacinação

Pouco após o fechamento da coluna de terça-feira a prefeitura comunicou que a primeira remessa de vacinas contra a gripe H1N1, enviadas pelo Governo do Estado, havia se esgotado ainda na segunda-feira, 23.

Para se ter uma ideia, apenas no Centro de Convivência da Pessoa Idosa (Clube Xadrez) foram imunizados 2.042 idosos.

O contingente parece muito alto, para um momento em que aglomerações precisam ser evitadas a todo custo.

Nesta quinta

Conforme A VOZ DA SERRA já noticiou, a campanha de vacinação será retomada nesta quinta-feira, 26, voltada especificamente para idosos (acima de 70 anos) e profissionais da saúde.

Os trabalhos serão realizados das 9h às 13h nas seguintes unidades: posto de saúde Tunney Kassuga, em Olaria; posto de Saúde Waldyr Costa, em Conselheiro; posto de saúde José Copertino Nogueira, em São Geraldo; Policlínica Sylvio Henrique Braune, Suspiro (apenas para profissionais da saúde); Centro de Convivência da Pessoa Idosa, Clube Xadrez (apenas para idosos); Colégio Anchieta, em esquema drive thru (apenas para idosos).

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.