O problema

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sexta-feira, 26 de junho de 2020

Para pensar:

"Apesar de amplamente apoiado pelo setor privado, o novo marco legal do saneamento tem dispositivo que favorece as estatais do setor, estica o prazo para fechamento de lixões para cidades de até 50 mil habitantes para 2024 e muda as atribuições da Agência Nacional de Águas (ANA). Ao priorizar as obras da engenharia “cinza” (construção de redes, tubulações e estações de tratamento de esgotos), ignora as soluções baseadas na natureza."

Emanuel Alencar

Para refletir:

“A fidelidade só interessa como valor moral quando suas promessas do passado contradizem as inclinações afetivas do presente."

Clóvis de Barros Filho

O problema

É de conhecimento comum que Nova Friburgo vem realizando muito menos testes para a Covid-19 do que a média nacional - ou mesmo estadual - entre cidades de porte semelhante.

Basicamente, por aqui têm sido testados profissionais da Saúde e pacientes com sintomas mais agressivos, além de uma ou outra iniciativa paralela, como a que recentemente testou cerca de 200 pessoas na comunidade acadêmica do IPRJ, o nosso Instituto Politécnico da Uerj.

Os efeitos

Em consequência disso, por exemplo, nossa taxa oficial de letalidade acaba parecendo muito maior do que de fato é, uma vez que o universo de casos a ser dividido pela ocorrência de óbitos simplesmente não corresponde à realidade.

Mais do que isso, no entanto, a escassez de testes nos priva de uma visão mais nítida a respeito do grau de imunidade de nossa população (inclusive bairro a bairro), e também impede um controle mais eficiente, por exemplo, sobre a circulação de infectados assintomáticos, ou com sintomas brandos.

Iniciativas

A fim de mudar esse quadro e através da eficiência assegurar um pouco mais de margem ao processo de flexibilização da quarentena, Câmara Municipal, Ministério Público Estadual, Defensoria Pública e setores produtivos e de classe têm se reunido, e desses encontros nasceu a determinação, por parte do Legislativo friburguense, de antecipar a devolução de R$ 500 mil aos cofres do Poder Executivo, suficientes para a aquisição de pouco mais de cinco mil testes, em valores atuais.

A prefeitura também vem prometendo outros cinco mil testes, de modo que este quadro de subnotificação deve se alterar no futuro próximo.

Contrapartida

A transferência de recursos, todavia, ainda não tem data para ocorrer por um motivo a um só tempo simples e frustrante: a Câmara não quer correr o risco de, mais uma vez, ver sua orientação ignorada no momento da utilização dos recursos devolvidos.

Desta vez, com o apoio do MP e dos setores produtivos, a intenção é ter em mãos um compromisso formal por parte da prefeitura no sentido de que os testes serão mesmo adquiridos.

E quem pode dizer que a Câmara está errada?

Tendência

Caso tudo venha a se confirmar - e, francamente, é inaceitável que a testagem não seja tratada como prioridade -, a população deve se preparar de antemão para uma erupção no número de casos confirmados em nossa cidade.

Inclusive porque não haveria qualquer notícia essencialmente negativa nisso.

Apenas estaremos sabendo o que já vem acontecendo além do alcance de nosso radar atual.

De fato, quanto mais gente já tiver contraído a doença sem apresentar sintomas, melhor.

Previsível

Na noite de quarta-feira, 24, o desembargador Claudio de Mello Tavares, presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) suspendeu a execução da liminar que havia sido solicitada pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro sob a alegação de aumento do risco à coletividade em decorrência da propagação do coronavírus, e que por sua vez determinava a suspensão imediata dos efeitos do decreto municipal 591/2020, que havia estabelecido critérios para a flexibilização do funcionamento de comércio não essencial em Nova Friburgo.

Na prática o decreto em questão voltou a ter efeito, dando início à retomada econômica.

Visível

De fato, os efeitos da quarentena sobre a economia já são visíveis, mesmo para quem ainda não teve a própria renda diretamente afetada pela redução da economia.

Pelas calçadas da cidade o número de ambulantes cresce de forma inevitável, e cabe o questionamento se não seria o caso de alguma tolerância nessa situação especial, sobretudo quando não houver concorrência direta ao comércio formal.

Não é o ideal, mas tem muita gente lutando pela sobrevivência dos filhos da forma como pode, e isso precisa ser levado em consideração.

Valendo tudo

Outra consequência visível do isolamento foi a forma como tantos condutores - em especial motociclistas profissionais - andaram relativizando por conta própria as convenções de trânsito, a partir do momento em que as ruas ficaram mais vazias.

Tem sido frequente, nos últimos meses, observar motos circulando na contramão a fim de reduzir distâncias, expondo quem circula (ou simplesmente atravessa as vias) a riscos inesperados.

Roleta russa

Além da mão de direção, a velocidade máxima também é muitas vezes desrespeitada.

Na Rua Augusto Spinelli, por exemplo, existe uma forte ondulação (que por sinal merece a atenção da Prefeitura) no caminho de quem segue rumo a Duas Pedras, na altura da esquina com a Rua Farinha Filho.

Com o cair da noite é comum ver motociclistas passando tão rapidamente pelo local que não raramente as rodas chegam a subir meio metro em relação ao piso.

Agora, imaginem o que pode acontecer se algum carro cruzar a via no mesmo momento, vindo do Bairro Suíço...

Ocupação

O início da flexibilização coincide com um momento delicado para o tratamento da Covid-19 no Hospital Raul Sertã.

Na manhã de quinta-feira, 25, oito dos 17 leitos da enfermaria estavam ocupados, ao passo que na CTI os dez leitos específicos continuavam ocupados.

O número de pacientes intubados, seis, também não se alterou no intervalo de 24h.

Contudo, conforme a coluna já enfatizou, existe estrutura no HMRS para operar mais 13 leitos de CTI-Covid, caso haja demanda para tanto.

À noite, a prefeitura divulgou novo boletim com o status da pandemia em Nova Friburgo que agora reúne 445 infectados com 32 mortes com 178 recuperados.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.