Evolução

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Para pensar:
"O costume é o principal moderador dos atos humanos. Esforcemo-nos por adquirir e conservar bons costumes.”
Francis Bacon

Para refletir:
“Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um modo de agir, mas um hábito.”
Will Durant

Evolução

Uma das coisas que a pandemia de Covid-19 atrasou e atrapalhou foi o processo de introdução de cirurgias videolaparoscópicas no Hospital Municipal Raul Sertã.

Os procedimentos eram iminentes quando toda a estrutura precisou se adaptar às demandas do enfrentamento ao coronavírus, e de modo inevitável acabaram entrando em compasso de espera.

Felizmente, contudo, essa espera parece estar chegando ao fim.

Créditos

A boa notícia é que ao longo do último fim de semana nosso principal hospital proporcionou treinamento e capacitação a equipes de enfermagem justamente visando dar início às cirurgias videolaparoscópicas.

A iniciativa foi da enfermeira Sônia Araújo de Oliveira, com apoio da enfermeira Sabrina Schuenck, da instrumentadora Clara e do médico Felipe Carim, que dividiram informações e experiências sobre o tema.

Tomara!

Os diretores Wanderson Cleiton, Josyane Borges e José Cláudio Alonso também tiveram atuação importante, bem como diversos profissionais na Secretaria de Saúde.

À coluna, a direção do hospital promete que “vamos começar em breve a realizar as cirurgias de vídeo”.

Tomara que sim.

Há vagas!

E já que falamos em Saúde, o Diário Oficial eletrônico do município informa que a prefeitura abriu concorrência para contratar ao menos cinco clínicos gerais a fim de atender às necessidades da Secretaria Municipal de Saúde.

Os profissionais serão contratados através de processo seletivo simplificado por seis meses, prorrogáveis por igual ou menor período.

As inscrições estão sendo feitas exclusivamente de forma presencial. Foram abertas nesta segunda-feira, 21, e terminam hoje, 22, sempre das 10h às 16h, no Hospital Municipal Raul Sertã.

Detalhes

O processo de seleção se dará por prova de títulos, em caráter classificatório. Os salários variam de R$ 1.635,33 (para trabalhar em Unidade Básica de Saúde, com carga horária de 20 horas semanais) até R$ 4.262,87 (para trabalhar com plantonista de fim de semana, com carga horária de 24 horas semanais).

A divulgação do resultado do processo seletivo simplificado será feita nesta quarta-feira,  23, no site da prefeitura (www.pmnf.rj.gov.br) e nos quadros de aviso da Secretaria Municipal de Saúde.

A homologação final e divulgação dos candidatos selecionados deve ocorrer já na sexta-feira, 25.

Curiosidade

Na prática, dificilmente um médico que queira verdadeiramente trabalhar no Raul Sertã não encontraria vaga neste momento.

A questão essencial aqui é outra, e diz respeito ao nível de interesse despertado por estas vagas.

A coluna, desde já, está curiosa para ver como será a procura.

Precisa mudar

E, mais uma vez, aproveita para reforçar a urgência absoluta de um concurso para a pasta, bem como de uma profunda auditoria do setor de recursos humanos da Saúde.

A atual carência de médicos não é resultado de um problema imediato, mas de toda uma cadeia de concessões e opções erradas, cuja responsabilidade deve ser compartilhada com gestores do passado também.

Em tempo

Cá entre nós, deve ser muito desanimador colocar a própria saúde em risco em nome da preservação da saúde coletiva, e topar a torto e a direito com fotos de aglomerações injustificáveis, como as que têm sido registradas na Rua Monte Líbano, nas quais o uso de máscaras ficou restrito a uma minoria.

A estes profissionais, o respeito desta coluna.

Triste aniversário

Se tem uma coisa que a experiência nos ensina é que - de modo um tanto assustador - terminamos por nos acostumar ao sofrimento e à precariedade.

O leitor certamente deve ser capaz de lembrar de situações que demandam reparos mas vão sendo adiadas até que quase se tornam invisíveis e se incorporam à paisagem.

Acontece em casa, e acontece também em ambientes públicos.

Tempo demais

Pois bem, o amigo Girlan Guilland, cujo calendário é sempre cheio de oportunas anotações, lembra ao colunista que no dia 10 de outubro vai completar um ano desde o deslizamento que prejudicou o fluxo de veículos na serra, no caminho para Cachoeiras de Macacu.

De fato, é tempo demais. Tanto mais quando levamos em conta que a estação das chuvas está próxima de recomeçar, e isso sempre representa dificuldades extras para este tipo de intervenção, bem como agrega riscos de novas ocorrências.

Naturalmente a coluna abre espaço a manifestações por parte da concessionária, ao mesmo tempo em que cobra do governo estadual a devida fiscalização.

Plano de Educação

No ordem do dia da sessão ordinária de hoje, 22, na Câmara Municipal, consta um projeto do Executivo que "altera a lei municipal no 4.395/2015, que institui o Plano Municipal de Educação do Município de Nova Friburgo até o ano de 2025, bem como seu anexo e dá outras providências".

Para ir além do registro, a coluna convidou o secretário de Educação, Marcelo Verly, a dar suas considerações sobre o projeto, e desde já agradece pela mensagem recebida, que reproduzimos abaixo.

Aspas (1)

“O Plano Municipal de Educação de Nova Friburgo (2015-2025) é uma ferramenta importante de desenvolvimento educacional e social, com duração de dez anos, abrangendo as redes municipal, estadual e federal, além das instituições particulares de ensino de Nova Friburgo. 

Em novembro de 2018, o Pmenf passou por avaliação através da V Conferência Municipal de Educação, contando com a participação de centenas de delegados que se reuniram com o objetivo de acompanhar o processo de avaliação e monitoramento das metas e estratégias apontadas no Pmenf, bem como apreciar e votar as notas técnicas que apontaram a necessidade de correção das inconsistências apresentadas pelo Plano local à luz do Plano Nacional de Educação (PNE), de acordo com a realidade local.”

Aspas (2)

“A avaliação do Pmenf se deu por meio de diálogo entre a sociedade civil organizada, movimentos sociais, profissionais da educação e o poder público. Essa construção democrática permitiu que fosse alcançado o objetivo de avaliar o Pmenf, atendendo tanto aos norteadores nacionais como envolvendo as características da educação em nosso município, incorporando ao plano o caráter de flexibilidade necessário para absorver as demandas da sociedade.

Trata-se, portanto, de documento de suma importância para a educação em nossa cidade, fruto do esforço conjunto dos diversos entes e inúmeros profissionais que integram o sistema municipal de educação.”

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.