Em alerta

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Para pensar:
"A maneira de se conseguir boa reputação reside no esforço em se ser aquilo que se deseja parecer.”
Sócrates

Para refletir:
“No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem feita ou não faz.”
Ayrton Senna

Em alerta

Sabia-se, desde o início, que bancos seriam um local central para a cadeia de contágio do novo coronavírus.

Muita gente, ambiente fechado, dinheiro e máquinas sendo tocados por várias mãos… Enfim, era previsível.

Ainda assim, impossível não registrar a quantidade de agências que estão fechadas - ou estiveram, até pouco tempo - em razão da contaminação de ao menos um funcionário.

Apenas do Itaú, salvo algum equívoco na apuração, foram quatro agências: a 222, a 9204, a de Conselheiro e também a da Ceasa, em Conquista.

Bola de neve

A situação é delicada, porque naturalmente cada agência que fecha - e é preciso fechar mesmo, ninguém aqui está questionando os protocolos - faz com que aumente o risco a que são expostas as demais agências, pois aumentam as filas, o número de pessoas e o tempo de exposição.

O momento parece oportuno para que a população se esforce por se estruturar e familiarizar com aplicativos e alternativas de atendimento, dentro das possibilidades de cada um.

Bom senso

Bom, a coluna deu destaque à questão envolvendo a banca em frente ao antigo fórum, então é coerente que registremos aqui também os desdobramentos.

De acordo com fontes internas, Janaína Alves, coordenadora da Subsecretaria de Bem-Estar Animal, entrou em contato com a Subsecretaria de Posturas e está intermediando os procedimentos administrativos referentes à notificação 5.244.

Tendências

A coluna entende que será concedido um prazo longo o bastante para que vários órgãos da Prefeitura de Nova Friburgo se manifestem, assim como a Fundação D. João VI, e também para o caso esfriar um pouco, afastar do período eleitoral, e permitir que as ações sejam padronizadas.

Quando houver conclusões a interessada será comunicada e o caso deverá ser replicado para todas as bancas de jornais da cidade, em que problemas foram detectados.

À coluna foi dito também que a ação começou por esta banca por se tratar de área tombada pelo patrimônio histórico no Centro.

Praga

Em meio a tudo o que está sendo este ano de 2020, ainda tem gente dedicada a tornar as coisas mais difíceis.

Acredite o leitor que nos últimos dias este colunista testemunhou mais uma vez uma tentativa de golpe através de sequestro falso.

E, ao tocar no assunto com outras pessoas, foi informado de que a prática voltou a ocorrer com frequência em nossa cidade.

Assim, se por acaso algum dos leitores receber ligação informando que algum parente foi sequestrado, tente manter a calma e jamais forneça nomes ou dados verdadeiros.

Destaques

Temos diversas notinhas acumuladas a respeito de personalidades locais se destacando por esse mundão.

Hoje a gente fala das meninas, e na próxima edição falaremos dos rapazes.

Início promissor

Comecemos pela jovem Ilana Guilland, criadora e coordenadora do “Bonde da Gambiarra”,

iniciativa que nasceu a partir do seu projeto de conclusão da graduação em Design, “que teve como ponto de partida a investigação e a problematização da diversidade étnica e a representação feminina negra na tecnologia”.

A própria Ilana explica que “o resultado consiste em uma metodologia de projeto de design para aplicação em aulas de artes no ensino fundamental que utiliza a construção das chamadas ‘gambiarras’ como forma de aproximar a linguagem da tecnologia ao cotidiano das periferias”.

Boa sorte!

O papai Girlan Guilland, justificadamente orgulhoso, informa ao colunista que o projeto, focado em “desconstruir e ressignificar”, e que aborda a “tecnologia enquanto parte de um processo cultural”, foi um dos quatro selecionados para a segunda fase da seleção Design de Impacto Positivo / Covid - categoria Estudantes, entre os 30 inscritos pela própria PUC-Rio.

À Ilana a coluna deseja sorte no concurso e, mais que isso, que este seja o início de uma carreira muito fértil e produtiva num ramo que pode fazer muita diferença na qualidade de vida das pessoas.

Novo livro

A friburguense Ilona Szabó vive atualmente um dos momentos mais produtivos de sua brilhante carreira.

Nos poucos dias que se passaram desde a última vez em que a coluna mencionou seu nome, por exemplo, ela confirmou o lançamento de seu terceiro livro, intitulado “A defesa do espaço cívico”.

Publicada pela Editora Objectiva, do Grupo Companhia das Letras, a obra “descreve o modo como o governo brasileiro vem restringindo o espaço cívico – nome dado às formas como os cidadãos se organizam, debatem e agem na esfera pública”.

Aspas

“Eu própria passei por uma experiência pessoal de violência on-line, intimidação e ameaças, em episódios que compartilho no livro. E venho estudando desde então o fechamento do espaço cívico e os desafios impostos à democracia ao redor do mundo, e como cada um de nós pode se opor a isso, ajudando a garantir os direitos e as liberdades de uma sociedade saudável, plural e justa”, explicou a autora.

A promessa é de que o livro esteja nas livrarias já em outubro.

Podcast

E já que falamos sobre Ilona, a coluna registra que na próxima segunda-feira, 21, estreia o “Você pode mudar o mundo”, podcast do Instituto Igarapé “para inspirar o engajamento e a ação cívica de líderes e cidadãos”.

Toda segunda-feira ela irá vai conversar “com brasileiros que atuam em iniciativas bem-sucedidas em defesa da democracia. A cada episódio, traremos histórias sobre como ações cívicas podem provocar mudanças reais. No primeiro, converso com o ator e diretor Wagner Moura, que fala sobre como seus filmes e seu engajamento podem ajudar a inspirar a mudança”.

A produção é da Rádio Novelo e faz parte de um projeto maior, que envolverá um livro, pesquisas e outros desdobramentos.

Suspiro

Vários leitores têm entrado em contato com a coluna questionando detalhes a respeito da obra de ampliação da Praça do Suspiro.

“Uma obra dessas a menos de quatro meses do fim do mandato? A menos de dois meses das eleições? Qual a chance de ser descontinuada ou alterada na próxima gestão? Parece brincadeira…”

Já outro leitor pede apoio à coluna para que faça chegar ao governo o pedido de que o projeto seja apresentado à população.
Enfim, se a prefeitura quiser enviar informações e imagens, o espaço está aberto.

Fala, leitor!

“Muito se falou, até uma reunião no 11ºBPM aconteceu, mas nada se resolveu para fiscalizar as motos barulhentas. É impressionante observar em toda parte da cidade principalmente nas avenidas centrais o abuso dos motoqueiros. Afinal de quem é a responsabilidade de fiscalizar as motos?”

Assina mensagem o leitor Renato P. da Fonseca.

A esse respeito, a coluna pode acrescentar que o Observatório Social de Nova Friburgo tem mantido a pauta aquecida, e segue atuando na busca por atenuar o problema.

Foto da galeria
Suspiro (Foto: Regina Lo Bianco)
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.