Desafio

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 24 de março de 2020

Para pensar:

“Vá pra casa!”

Seu Madruga

Para refletir:

“As teorias conspiratórias exercem um efeito psicológico em seus adeptos, principalmente naqueles com menos escolaridade ou baixa autoestima: eles se sentem portadores de um segredo que pouca gente sabe e por isso se veem como capazes de enxergar além de um suposto senso comum. Nos últimos anos, os guias politicamente incorretos, a internet, as redes sociais e outros fatores e elementos venderam versões variadas dessa mesma ideia problemática: a de que ser esperto é ter um conhecimento alternativo ao conhecimento consensual. Essa ideia é um dos fatores da atual crise das mediações, em que universidades, ciência, mídia e instituições políticas passam a ser desvalorizadas. Por mais que as críticas às instituições tenham algum fundamento, boa parte dos seus críticos têm oferecido alternativas ainda piores. É o que se vê, por exemplo, na substituição parcial do jornalismo profissional pelos boatos, fake news e conspiracionismos das diversas redes sociais. Pegue um desses guia politicamente incorretos de história, cheio de vieses e enfoques milimetricamente distorcidos para soar 'alternativo' e crítico à historiografia consensual. Eles possuem um apelo sedutor: fazer com que o leitor se sinta à frente de quem é formado, mesmo sem ter formação na área ou, às vezes, formação alguma. Isso, em um país cujo acesso à educação ainda é difícil, significa fisgar o leitor pelo ego.”

Alexandre Campos

Desafio

A semana começa com aquele que certamente é o maior desafio apresentado à nossa rede pública municipal de Saúde na últimas décadas: a vacinação contra a Influenza em meio à pandemia da Covid-19.

A decisão nacional de levar a campanha adiante neste momento foi delicada, e levou em consideração uma série de fatores, favoráveis e contrários à operação.

Prós

Em essência, ponderou-se que a imunização contra a Influenza ajudaria a reduzir o fluxo de idosos nos hospitais e, por conseguinte, as chances de que o principal grupo de risco seja exposto ao novo coronavírus.

Da mesma forma, a medida também diminuiria as chances de co-infecção e tornaria mais ágil a elaboração de diagnósticos, uma vez que alguns sintomas são compartilhados e poderiam gerar confusão e atrasar a tomada de decisões.

Contras

Vacinar contra a Influenza o grupo de risco da Covid-19, no entanto, envolve procedimentos que vão contra o isolamento social, tão necessário para quebrar a corrente de transmissão do coronavírus, e é aí que reside toda a complexidade da situação.

Em Nova Friburgo as críticas têm sido pesadas ao modelo adotado, geralmente em meio a comparações com cidades que multiplicaram os locais de vacinação através de parcerias com farmácias, ou estabeleceram a possibilidade de vacinação em carros ou residências.

Maturidade

A coluna entende que iniciativas semelhantes estão sendo tentadas por aqui, mas por ora apela à maturidade de nossa população, já bastante calejada em razão do que vivemos em 2011.

É hora de trabalhar apenas com informações devidamente confirmadas, evitar horários de maior movimento, respeitar os distanciamentos físicos e tomar todas as precauções possíveis e já bastante conhecidas, sobretudo relacionadas a etiqueta e higienização.

Etapas

A coluna agradece se os leitores puderem ajudar a divulgar que aqui em Nova Friburgo a vacinação está sendo feita por etapas: até o próximo dia 27, idosos acima de 70 anos; do dia 30 a 3 de abril, idosos entre 65 e 69 anos; de 6 a 10 de abril, idosos entre 60 e 64 anos.

Onde e quando

As vacinas estão disponíveis no Centro de Convivência da Pessoa Idosa (no Clube do Xadrez, apenas para pessoas idosas). De segunda à sexta, das 9h às 16h.

Nas de Unidades de Saúde da Família - (Terra Nova, Riograndina, Amparo, Nova Suíça, São Geraldo, Campo do Coelho, Centenário, São Lourenço, Lumiar, Mury, Stucky, Olaria 2 e Olaria 3) as vacinas serão aplicadas segundas, quartas e sextas, das 9h às 16h.

No posto de saúde do Suspiro os idosos não estão sendo vacinados devido ao grande fluxo de pessoas que a unidade tem.

Para todos (1)

Outra situação que andou suscitando questionamentos diz respeito à extensão das medidas adotadas em proteção aos profissionais que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus, e eventualmente também se encontram nos grupos de maior risco de desenvolver os sintomas de forma mais agressiva.

Causou grande apreensão que médicos e enfermeiros tenham sido citados claramente, e outras categorias tenham entendido que continuariam atuando, sem essas ressalvas.

Para todos (2)

Pois bem, a coluna consultou a Secretaria de Saúde a esse respeito, e ouviu o compromisso que ninguém nos grupos de risco iria ser exposto a aglomerações, muito menos em ambiente hospitalar.

Pouco depois desta consulta, também começamos a receber relatos por parte de alguns destes profissionais, atestando que estavam recebendo o mesmo tratamento, como não poderia deixar de ser.

O espaço segue aberto para fazer essa ponte, sempre protegendo a identidade das fontes.

Eleições

Situação de emergência em ano eleitoral é certeza de que muitos oportunistas vão tentar fazer de tudo para promover a si mesmos, tirando proveito da situação.

Mas, olha, mesmo sendo uma situação previsível, o que anda acontecendo por aqui por vezes consegue embrulhar o estômago.

Desespero

Em alguns casos, é fato que algumas ações podem vir a redundar em benefícios práticos.

Noutras, existe apenas críticas oportunistas mesmo.

Em todos os casos, chama a atenção a forma como alguns grupos parecem mesmo desesperados por assumir a gestão municipal a partir do próximo mandato.

Vale a pena o leitor ficar de olho nisso aí, com bastante atenção.

Em tempo

É evidente que existem iniciativas e críticas muito sérias e relevantes entre nós.

Não se pode generalizar, e felizmente é fácil separar o joio do trigo, concorde-se ou não com o que está sendo dito, feito ou alardeado.

Basta ver quem está mais interessado em aparecer, ou anda forçando nomes em tudo quanto é iniciativa que acontece por aqui.

Em tudo isso, uma realidade não muda: quem desrespeita a inteligência da população antes das eleições, certamente vai continuar desrespeitando depois.

Em tempo (2)

Já faz algum tempo que circulam rumores a respeito do eventual adiamento das eleições municipais, agora em razão da Covid-19.

Ainda que o calendário eleitoral estabeleça um cronograma que antecede em muito a ida às urnas, parece cedo para se discutir o assunto, uma vez que tudo está mudando rápido demais.

De qualquer modo, a possibilidade vem sendo considerada...

Será?

Encerrando por hoje, ainda sob efeito de algumas demonstrações públicas de gente que parece sentir orgulho da própria ignorância, a coluna deixa umas perguntinhas no ar.

Será que vamos desperdiçar essa enorme oportunidade de aprendizado e crescimento?

Será que poderíamos considerar uma vitória caso cheguemos ao fim desta crise da mesma forma como entramos?

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.