Adivinha...

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Para pensar:

“Não tenho medo da morte, tenho medo da desonra. Porque um homem honrado nunca morre, mas um homem desonrado morre em vida.”

José de Alencar

Para refletir:

“A sabedoria está para os sensatos, a esperteza acompanha os insensatos.”

Brenon Salvador

Adivinha...

Bom, quem leu a coluna de ontem, 12, com a devida atenção, certamente percebeu que o colunista já havia identificado uma grande sombra pairando sobre a perspectiva de aprovação da nova Lei Orgânica Municipal.

Os sinais foram ficando cada vez mais claros ao longo da tarde de segunda-feira, 11, a ponto da coluna ter sido praticamente reescrita próximo ao horário do fechamento do jornal.

Nenhuma novidade aqui.

Mais do que parece

O cinismo dirá que foi apenas um pedido de vistas, mas estamos lidando com um personagem cuja principal expertise - se é que podemos chamar desse jeito algo tão antiético - é dar roupagem técnica a motivações políticas.

É, em essência, o seu ganha pão, o que lhe dá sobrevida na política.

Não mordamos a isca, portanto.

Malandragem

A coluna de ontem já havia lembrado que houve inúmeras oportunidades para que todos pudessem participar da construção coletiva da nova LOM, e muitas pessoas aproveitaram tais oportunidades para efetivamente colaborar.

Entre eles, diversos representantes da sociedade civil, que agora - perdoem a sinceridade - estão sendo tratados como palhaços por quem, nos bastidores, planejava desde o início deixar o trabalho pesado com quem efetivamente se dispõe a suar a camisa, na certeza de poder chegar no fim e cortar ou inserir aspectos cruciais conforme suas conveniências.

Sistema

Da mesma forma a coluna recordou que a redação da nova LOM estava disponível ao crivo de qualquer cidadão, tornando injustificável um pedido de vistas.

Mas é claro que nunca se tratou disso efetivamente, não é?

Porque, na verdade, o que estamos vendo é a reação previsível do sistema a uma iniciativa que segue justamente na contramão dos interesses das ervas daninhas que roubam a melhor seiva da árvore hospedeira, e limitam seu crescimento.

Vão cumprir?

Agora, o novo cronograma prevê o seguinte: os vereadores passam a ter até o próximo dia 29, uma sexta-feira, para apresentar emendas à redação atual.

A partir daí, na segunda-feira seguinte, 2 de julho, haverá uma reunião da Comissão de Constituição e Justiça para análise da nova LOM, já acrescida das citadas emendas.

E a nova previsão de votação é para o dia 10 de julho.

Desnecessário dizer que, a essa altura, a palavra dada vale muito pouco.

Frankenstein

É certo que interferências pesadas serão levadas adiante nos próximos dias.

A máquina foi posta em ação para descaracterizar a peça legislativa, e tirar do caminho os entraves aos objetivos inconfessáveis que nortearam algumas ações desde o período de transição - que ainda vai dar muito que falar no futuro.

Podem esperar mudanças, por exemplo, no que diz respeito a concessões, além, é claro, do velho jogo de interesses em torno da terceirização de partes da administração, e da cobrança do estacionamento rotativo.

Fake news

A coluna já comprovou que também teve início a campanha de desinformação em relação ao conteúdo da lei.

Um vereador tem espalhado por aí que a nova LOM iria retirar direitos do funcionalismo, o que é uma mentira deslavada.

Basta a qualquer um, por exemplo, ler o artigo 82 e perceber que o amparo ao servidor era justamente um dos pontos mais felizes da redação proposta.

Porém, já anunciaram que vão mexer nisso agora.

Desrespeito

Mas, cá entre nós, mesmo que tudo não fosse parte de um plano maior e degenerado, o simples fato de tantos terem sido negligentes durante a fase de construção do texto, para agora condicionarem a aprovação à alteração daquilo que foi construído da forma mais democrática possível, já seria um profundo ato de desrespeito para com a sociedade e alguns de seus representantes.

Isso é um fato.

Nós, os bobos

A rigor, o vento que sopra a partir da Alberto Braune e suas vilas marginais tem sussurrado adjetivos ofensivos e irônicos aos ouvidos de quem trabalhou muito duro nos últimos meses por uma cidade melhor.

Professores X prefeitura

Na última segunda-feira, 11, o prefeito Renato Bravo entregou à diretoria do Sepe, sindicato dos profissionais de educação, uma resposta à contraproposta feita pela categoria.

O documento será analisado pelos professores e demais profissionais de apoio em assembleia nesta quarta-feira, 13, às 18h30, na Câmara Municipal.

A categoria considera a primeira proposta de reajuste salarial oferecida pelo governo insuficiente, por não garantir ganho real. No mês passado, os profissionais paralisaram as atividades em escolas e creches por nove dias. A greve foi suspensa no último dia 22, mas, segundo o Sepe, pode ser retomada se não houver acordo.

Vida longa!

Mas chega de falar de coisas ruins, não é?

No último fim de semana o tradicional Grêmio Português de Nova Friburgo promoveu diversas atividades para celebrar o Dia de Portugal, de Camões, e das Comunidades Portuguesas, e também para comemorar os 85 anos de sua longa e rica existência.

Antes de dedicar espaço às cerimônias, portanto, a coluna dá os parabéns a todos os que dão continuidade a essa história, que no passado já foi escrita por muitos friburguenses (de nascimento ou de coração) que deixaram muitas saudades.

Festa portuguesa

No último sábado, 9, a casa estava lotada para o indispensável chá, que contou com uma bela apresentação de fado dos jovens Gabriel Boechat e Karen Erthal, na foto acompanhados da fadista Fátima Seraphim, um dos patrimônios vivos do Grêmio.

Já no domingo, 10, Dia de Portugal, a data foi celebrada em solenidade na Praça do Suspiro, e coube a Giovanni Cariello, ex-presidente do Grêmio, discursar em nome da instituição.

Importância central

Em seu discurso, Cariello enfatizou a importância dos portugueses para a construção de Nova Friburgo, em especial Antônio Clemente Pinto, o Barão de Nova Friburgo, e Samuel Antônio dos Santos, que entre muitas iniciativas fundou a Banda Euterpe Friburguense.

A cerimônia contou ainda com uma apresentação de dança típica e um jogral promovidos pela Escola Iza Saippa Ranucci.

Vida longa ao Grêmio Português!

Dona Brigitte Schlupp

A VOZ DA SERRA cometeu um equívoco na edição de ontem, 12, ao registrar a presença da senhora Brigitte Schlupp na eleição do Sociedade Esportiva Friburguense no último fim de semana. Ela fez questão de comparecer para prestigiar o neto João Schlupp, eleito presidente do Clube da Colina naquele dia.

Na verdade, dona Brigitte tem, com grande orgulho, 100 anos, e não 92 como informamos.

Intercâmbio suíço

A programação dos 200 anos de Nova Friburgo não para e oferece a população mais uma boa opção cultural a partir de hoje, 13. É o intercâmbio Brasil-Suíça com a exibição de filmes e masterclass na Usina Cultural Energisa.

Logo mais às 19h tem a exibição de filmes produzidos pelos alunos da Ecal (Ecole Cantonale d’art de Lausanne) e de produções do edital “Raízes de Nova Friburgo”, entre eles, Onça, de Guilherme Rezende Júnior; Broa de Milho da Família Mozer, da historiadora e colunista aqui de A VOZ DA SERRA, Janaína Botelho; Vila Submersa, de João Pedro Orban; As histórias de Sophie, de Felipe Nagato e Colonial 61, de Renata Spitz.

O evento vai até sexta-feira, 15, e o melhor, com entrada franca.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.