Você conhece o seu perfil de investidor?

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Ações, CDBs, LCIs e LCAs, derivativos, debêntures, ETFs, BDRs, câmbio... A diversidade de produtos disponíveis para compor uma boa estratégia de investimentos é tão abrangente que o investidor pode acabar se perdendo na hora de montar o planejamento de sua carteira. Mas calma, é fundamental saber quais desses investimentos podem receber alocações do seu dinheiro; nem todas as possibilidades serão exploradas e o primeiro passo para selecionar seus ativos – e excluir a possibilidade de outros – é definir o seu perfil de investidor.

Ao abrir sua conta em algum banco ou corretora de investimentos, seus primeiros passos contam com a pesquisa de Suitability: questionário obrigatório e disponibilizado pela instituição para que o alinhamento do atendimento ao cliente seja alcançado para promover a melhor relação de risco/retorno dentro dos limites estipulados pelo investidor. Basicamente, é a partir da definição do seu perfil de investidor que as instituições financeiras e seus assessores podem entender quais os produtos mais se adequam aos seus objetivos.

Antes de classificarmos alguns investimentos disponíveis dentro de cada perfil definido pelo Suitability, vou pontuar quais são os pontos considerados nesta pesquisa: conhecimento e experiência com investimentos; prazo estipulado de tempo para manter os investimentos; objetivos ao investir; tolerância aos riscos; realidade financeira e necessidades futuras dos recursos; patrimônio e disponibilidade de capital.

Como são informações voláteis e podem variar ao longo do tempo, vale ressaltar que o seu perfil de investidor pode variar ao longo do tempo; e, por este motivo, a pesquisa é feita de forma periódica pelas instituições.

Quer conhecer seu perfil de investidor? Basta abrir uma conta no banco ou corretora de investimentos de sua preferência. Costumam ser cadastros gratuitos e não é nenhum bicho de sete cabeças. Criada a conta, basta preencher o formulário de pesquisa do Suitability e logo terá definido o seu perfil; é a partir daí que você (e seu assessor) começa a pensar nas possíveis estratégias de investimentos. Quer pensar nisso? O seu perfil vai ser classificado em três possibilidades:

Conservador - investidor averso ao risco e/ou pouco experiente com relação aos seus investimentos. Vale destacar que risco, no mercado financeiro, é a possibilidade de um resultado diferente do esperado no ato do investimento. Por isso as maiores alocações – para este perfil – tendem a ser em produtos de renda fixa e uma pequena parte em fundos de investimentos multimercados e ou ações.

Moderado - aqui, há um equilíbrio interessante entre produtos de renda fixa e fundos de investimentos multimercados e ações.

Arrojado - para este investidor, a estratégia torna-se mais ativa e, além de pesar as alocações para a renda variável, o investidor pode adquirir produtos diretamente e sem o intermédio de fundos de investimentos; o que diminui custos e potencializa rentabilidade.

E você, já tem ideia de qual é o seu perfil? Espero ter trazido uma luz para que comece a tomar boas decisões para o seu dinheiro!

Publicidade
TAGS:

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.