Renda Fixa faz parte dos seus investimentos?

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Os juros estão subindo e, para quem ainda não se posicionou, está na hora de considerar a Renda Fixa como parte da composição de sua carteira de investimentos. No entanto, apesar de parecer muito trivial, é importante conhecer a classe de ativos para elaborar uma boa – e eficaz – estratégia de investimentos. Você conhece as possibilidades proporcionadas por estes títulos? Particularmente, não vejo uma carteira bem estruturada sem estes ativos participando da estratégia de longo prazo.

Contudo, compreender a função de cada ativo na sua carteira passa pela etapa de conhecimento de suas características específicas e, a propósito, é esse o meu papel aqui hoje: elucidá-las a fim de esclarecer seus propósitos e facilitar a sua tarefa na hora de selecionar os seus investimentos.

Que tal, então, para trazer o máximo de didática ao texto, categorizar as diferentes características da classe e enumerar seus respectivos ativos? A princípio, vamos começar separando três categorias principais aos diferentes investimentos em Renda Fixa: garantias, tributação e rentabilidade.

Garantias

Aqui, é importante entendermos a necessidade de ter seus investimentos sob determinada garantia. A Renda Fixa, nada mais é do que arrecadação de capital com o objetivo de financiar determinadas atividades econômicas. Aqui, existem as possibilidades de financiamento de atividades bancárias e de infraestrutura.

É nesse ponto que o investidor precisa saber para onde vai seu investimento (o que será feito com o capital) e quais são as garantias dessa aplicação. Nas atividades bancárias, devido ao risco sistêmico com a possibilidade de falência de alguma instituição financeira, existe a garantia do Fundo Garantidor de Crédito; protegendo e garantindo, até R$ 1milhão dentro de regras específicas, o capital do investidor. Aqui com essa garantia, temos a possibilidade de investimentos em Certificados de Depósito Bancário (CDB), Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA), Letras de Câmbio (LC) e Letras Hipotecárias (LH).

Em recompensa pela captação, investidores são remunerados pelos emissores dos títulos e agora podemos começar a falar sobre rentabilidade. Contudo, antes vamos falar sobre o que o leão pode abocanhar de suas rentabilidades.

Tributação

Basicamente, aqui precisamos falar de prazo e produtos.

Com relação a prazos, a tributação de títulos de Renda Fixa é calculada com base na Tabela Regressiva de Imposto de Renda. Sugiro que você consulte-a através de pesquisas na internet, mas a tributação pode variar de 22,5% a 15%; alcançando a alíquota mínima em investimentos com prazo acima de 721 dias.

Contudo, para finalizarmos esta etapa, é importante conhecer as alternativas isentas de IR: LCI, LCA e Debêntures incentivadas.

Rentabilidade

Agora sim, depois de analisar as alíquotas de IR e suas respectivas isenções, podemos identificar quais as possibilidades mais rentáveis para o seu capital e com maior afinidade em relação a sua estratégia de investimentos.

Aqui, as taxas podem ser encontradas de três formas: atreladas a juros, inflação ou taxas nominais. Portanto, você pode se deparar, respectivamente com três diferentes notações: em porcentagem do CDI (ex.: 128% CDI); índices acrescidos de taxa predefinida (ex.: IPCA + 6,50% a.a.); e em taxas pré-fixadas (ex.: 14,20% a.a.).

Agora que você já conhece as características específicas de investimentos em Renda Fixa, você poderá juntar todo esse conhecimento para definir os ativos (sim, busque sempre mesclar mais de um investimento) que vão compôr seus investimentos. Selecione o que mais tem a ver com o que você acredita e precisa. O que você busca de garantia? E prazo? O prazo está condizente com o imposto que você quer pagar? E a rentabilidade, está atrativa? Somente unindo todas essas especificidades você será capaz de selecionar seus investimentos com qualidade. Se possível, busque sempre auxílio profissional para te nortear nesse processo; pode ser um grande diferencial de resultado.

Publicidade
TAGS:

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.