Crimes financeiros (nenhuma novidade)

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

Infelizmente o assunto de hoje não é nenhuma novidade. Viver o dia a dia do mercado financeiro – e minha profissão proporciona essa vivência – me permite identificar movimentos historicamente conhecidos: a ganância do indivíduo. Sim, a ganância!

Mais do que a falta de conhecimento financeiro (e reconheço que a pouca informação financeira tem grande influência na formação cidadã), a ânsia pelo enriquecimento rápido pode ser responsável pela desestruturação das finanças pessoais de muitos que abandonam a razão em troca do pensamento no saldo da conta-corrente. Além, é claro, da maldade dos criminosos em operacionalizar fraudes, é a partir da ganância dos lesados (me refiro a quem fora prejudicado, mas interprete como preferir) que surge a demanda por esquemas de pirâmides financeiras.

Estes, por sua vez, só existem porque dão certo num breve espaço de tempo. Caso contrário, novos entrantes não seriam captados para manter o funcionamento das operações até que, por fim, todas acabam do mesmo jeito: prisões e calotes. Contudo, avisos não faltaram. Abaixo, seguem alguns trechos de textos publicados por mim neste espaço:

14/02/2020 – Atenção!

“Sabe aquele ‘investimento’ – entre muitas aspas – de curto prazo, com altíssima rentabilidade e seguro que algum conhecido te indicou? Não existe! E afirmo com total convicção.”

“Vê como essas promessas absurdas são inviáveis? Pois infelizmente, algumas pessoas – por falta de educação financeira e um pouco de ganância – acabam caindo em golpes de investimentos fraudulentos.”

11/09/2020 – Os riscos de investimentos fraudulentos

“Já ouviu falar em esquemas de pirâmide financeira? Este é definido como crime contra a economia popular e é o caso mais comum entre os golpes de investimentos fraudulentos; dentre os 11% dos brasileiros lesados por esquemas fraudulentos, 55% já se envolveram em esquemas de pirâmides. A maioria dos casos acontece devido às promessas de alta rentabilidade, seguidos pela garantia da não necessidade de conhecimento acerca de investimentos e de baixo risco.”

“‘Você deposita o dinheiro na minha conta, eu boto para girar e te pago uma rentabilidade mensal de 2%’. Parece uma proposta comum? É crime!”

12/02/2021 – Vamos falar de bitcoin?

“Em sua maioria, enquadrados como pirâmides financeiras, são considerados – judicialmente – como crime contra a economia popular e os impactos negativos causados à sociedade deixam seu rastro de sofrimento em cada família que perde muito (quiçá tudo) ao cair em golpes disfarçados de investimentos em bitcoins.

Percebe como o maior risco não é o bitcoin em si, mas sim o meio para investir no ativo? As criptomoedas têm surgido como máscara para criminosos e você precisa estar atento aos detalhes de cada alocação de capital em seus investimentos. Esse é meu papel aqui: divulgar conhecimento financeiro para que você esteja suficientemente capacitado para tomar boas decisões financeiras.”

Escolher seus investimentos, no entanto, é uma tarefa complexa que pode ser simplificada com o estudo e/ou acompanhamento profissional de empresas e pessoas certificadas (portanto, autorizadas a exercer suas atividades pelas autoridades financeiras, como o Banco Central do Brasil e a Comissão de Valores Mobiliários, por exemplo) para te assessorar nas melhores escolhas de acordo com a sua necessidade. Procure conhecer a profissão dos agentes autônomos de investimentos – a propósito, esta é a minha profissão – e entenda como seus investimentos podem ser feitos dentro de regulamentações específicas para proporcionar a sua segurança como investidor.

No mais, alguns pontos específicos precisam ser analisados para conferir a seriedade dos seus investimentos.

Liquidez: dentro dos seus investimentos, esse é o primeiro ponto a ser analisado, pois trata-se do período de tempo entre investimento e resgate do capital; podendo haver lucro ou não. Portanto, planeje bem os produtos que estarão em sua carteira para não “ficar na mão” enquanto aguarda o prazo de resgate do seu dinheiro.

Rentabilidade: essa é a parte que enche os olhos; qualquer desavisado pode considerar este único ponto e tomar uma decisão ruim. Se eu puder me considerar como um, leve essa dica de amigo para sempre: quanto maior a rentabilidade, maior o risco. Fique atento! Mas então, como ter uma boa rentabilidade? Vamos falar em segurança primeiro.

Segurança: tudo começa com conhecimento e bom senso, saiba distinguir o que é real do inatingível. Os riscos no mercado financeiro se resumem a administração de grandes instituições onde estão seus investimentos e a sua falta de planejamento. Se você busca alta segurança, o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) está aqui para garantir, dentro de algumas regras específicas, até R$1milhão por CPF. Plena segurança, liquidez predefinida e rentabilidade baixa a mediana.

Agora se busca investimentos mais arrojados com alto potencial de rentabilidade, vai precisar se aventurar no mercado de renda variável da Bolsa de Valores. Aqui, o maior risco é a volatilidade. Já viu os gráficos de alguma ação da Bolsa? Caso sim, é provável que tenha reparado nas grandes variações de preço; isso é volatilidade. Por mais que tenha optado por uma boa empresa e esteja alinhado com os parâmetros de administração da instituição, a variação de preço vai existir. E se você não tiver feito a base do seu planejamento, corre o risco de resgatar o capital investido em algum momento de baixa. A renda variável concentra alguns riscos, mas o principal erro de um investidor comum é a falta de planejamento.

Lidar com dinheiro e investimentos é assunto delicado, merece ser encarado com a devida seriedade. Investimentos fraudulentos, além de crime, são um desrespeito às suas finanças: só você sabe o quão é suado o ato de fazer dinheiro com seu trabalho e da noite pro dia surge alguém te prometendo a riqueza imediata? É desrespeitoso! Desrespeito com o seu patrimônio, com o seu trabalho e com a saúde da boa relação familiar.

Não quero me vangloriar e dizer “eu te avisei”, mas quero te deixar ciente de que você tem uma grande (enorme) fonte de conteúdo financeiro de qualidade nas mãos. Se pensa em lidar com suas finanças e seus investimentos com a devida seriedade, leve em consideração toda informação capaz de absorver por aqui. Dinheiro é assunto sério, e o que não faz falta para você pode arruinar famílias inteiras. Pense nisso!

Publicidade
TAGS:

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.