Ricardo Lengruber Lobosco

Educação e atualidades

Ricardo Lengruber é professor. Doutorado pela PUC/Rio, atua nas áreas de História, Filosofia, Teologia, Educação e Direito. É membro da Academia Friburguense de Letras e foi Secretário Municipal de Educação

21/10/2017

Uma ruptura necessária

Há uma polarização equivocada sobre socialismo e liberalismo e, em algum sentido, sobre esquerda e direita. Por causa de governos corruptos e manobras que só atendem a interesses de uns poucos privilegiados, ou misturamos tudo como se fosse a mesma coisa, ou distinguimos tudo como se do outro lado nada prestasse.

Leia mais
10/10/2017

Democracia, inteligência e humanismo

O cenário brasileiro na atualidade é grave. Há diante de nós a busca por mecanismos de superação que sejam, ao mesmo tempo, conciliatórios (porque carecemos de experiências seguras nessa travessia) e revolucionários (porque precisamos de coragem para uma ruptura radical).

Leia mais
30/09/2017

Viver é uma sucessão de escolhas. Diferente dos animais, que têm suas vidas definidas pelos instintos e pela natureza, nós, seres humanos, estamos condenados a viver livremente. Liberdade como a capacidade de deliberar sobre a própria existência.

Leia mais
23/09/2017

“... quem sabe, faz; quem não sabe (ou não quer), critica quem faz!”

A palavra que constrói é a mesma que destrói. A linguagem que é capaz de levantar é a mesma responsável por abater. Sem ética, a palavra se torna instrumento perigoso.

Leia mais
16/09/2017

A utopia ilumina a ética.

Se não há pelo que esperar no futuro,

não importa muito a maneira como se age no presente!

O fato de estarmos numa situação específica não nos identifica, necessariamente, com as características todas dos outros que ocupam posições semelhantes. Por isso, classificar e categorizar pessoas é um equívoco!

Leia mais
09/09/2017

O tempo que chamamos hoje é marcado pela fluidez de certezas e conceitos. Questões antes tidas como certas e bem definidas passam por reconsiderações profundas. A isso, o sociólogo polonês Zygmunt Bauman denominou modernidade líquida.

 

Líquidos mudam de forma muito rapidamente, sob a menor pressão. São, por assim dizer, incapazes de manter a mesma forma por muito tempo. Adequam-se aos recipientes em que estão e, se não há recipientes, não conseguem forma definida, esparramam-se pela superfície sem qualquer direcionamento ou lógica.

Leia mais
02/09/2017

“A diferença entre o carvão e o diamante é a pressão a que são submetidos.”

Em agosto, o Conselho Municipal de Educação de Nova Friburgo passou por eleição para presidência e vice. Havia uma chapa da sociedade civil e uma chapa alinhada ao governo. O governo obteve vitória — por um voto de diferença.

A democracia brasileira, além de imatura, passa por uma crise séria. Há em curso no país sistemática e acelerada subtração de direitos. E qualquer voz dissonante tem sido negligenciada e perseguida.

Leia mais
26/08/2017

O grego antigo possuía, pelo menos, três diferentes vocábulos para expressar o que, em português, acumulamos na palavra e na ideia de “amor”.

Leia mais
19/08/2017

Eis a questão que, de alguma forma, deveria incomodar mais: afinal, de onde são originários os valores? Por que se pensa, se sente e se age dessa ou daquela forma?

É exatamente sobre isso que a Filosofia se debruça. É sobre esse tipo de reflexão que a Ética se ocupa. Ética é reflexão crítica sobre a Moral, sobre o conjunto de valores que norteiam as ações humanas. De forma reduzida: moral é conduta, ética é reflexão.

Leia mais
12/08/2017

Há palavras que dizem muito e explicam pouco. Servem para muitos fins e, na discussão mais detida sobre o tema, fica muito “não dito”. É o que ocorre com o termo “ideologia”.

Na história da filosofia, houve visões valorativas sobre o conceito. E, portanto, mais ou menos otimistas ou pessimistas sobre a questão.

Leia mais