A vida no compasso da trova

Antônio Fernando

Blog do Antônio Fernando

Friburguense, jornalista, 65 anos, taurino e vascaíno. Antônio Fernando atuou em diversos veículos de Nova Friburgo e atualmente é redator das colunas Radar e Impressões onde ele deleita o leitor de A VOZ DA SERRA com suas visões peculiares sobre o mundo.

sábado, 26 de maio de 2018

Serei injusto com os nomes, pois foram muitos que me emocionaram ao assistir, quando jovem ainda, encontros de poetas na cidade, participando de solenidades, almoçando ou jantando em animados grupos, incluindo, obrigatoriamente, a trova descontraída e espontânea.

E foi com esse clima de alegria e descontração que a trova friburguense chega aos 59 anos demonstrando a força da cultura popular entre nós. É uma manifestação da tradição friburguense do amor às artes. Vou citar apenas algumas pessoas que convivi e cujo prazer pela trova extrapolava as rimadas palavras.

Ah! aquele velho apito
que atravessou a cidade!…
Hoje não passa de um grito
no silêncio da saudade.
Antônio Accyoli

Nova Friburgo na Serra,
do céu das mais lindas cores,
fez do trabalho da terra
o “Paraíso das Flores”!
Dilva de Moraes

No dia em que tu quiseres
ser meu senhor e meu rei, 
serei todas as mulheres
na mulher que te darei!
Nydia Yaggi Martins

Tirem-me tudo o que tenho,
neguem-me todo o valor!...
Numa glória só me empenho:
- a de humilde Trovador!
Luiz Otávio 

Um pouco de história

O trovadorismo é tido como o primeiro movimento literário de língua portuguesa. Surgiu na idade média – entre 1180 a 1420. Naquela época existiam artistas nobres que criavam poesias e as cantavam. Esses artistas eram os chamados trovadores, pessoas que faziam composições poéticas e colocavam melodias. No entanto, a denominação de trovador só era dada aos escritores e compositores que possuíam origem nobre. Os compositores de origem pobre recebiam o nome de Jogral, e isso refletia bem a cultura da época, onde existia a separação de classes.

De uma forma geral os trovadores eram homens, no entanto, existiram trovadoras (mulheres que faziam suas composições cantadas) que eram também de origem nobre. Hoje em dia, o termo trovador é utilizado para pessoas que trabalham com rimas e versos improvisados, sendo pessoas muito presentes na cultura popular brasileira.

A trova se constitui como o único gênero literário genuinamente da língua portuguesa, que se caracteriza pela rima, composta por 4  versos e 7 sílabas poéticas.

Apesar de todos os percalços que tem encontrado no curso dos acontecimentos, neste país que ainda não firmou idealmente suas raízes culturais e não aprendeu a valorizar a cultura, a trova vem cumprindo o seu papel; alimentando os nossos sonhos, alavancando as nossas esperanças, reavivando a nossa fé e a nossa crença num mundo melhor. E enquanto houver no coração das pessoas sensíveis um espaço para a poesia, aí a Trova terá encontrado sua morada e jamais perderá o seu encanto.

 

Publicidade
TAGS:

Antônio Fernando

Blog do Antônio Fernando

Friburguense, jornalista, 65 anos, taurino e vascaíno. Antônio Fernando atuou em diversos veículos de Nova Friburgo e atualmente é redator das colunas Radar e Impressões onde ele deleita o leitor de A VOZ DA SERRA com suas visões peculiares sobre o mundo.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.