Os perigos diários dos ciclistas da região de Lumiar e São Pedro

Maior movimento de bicicletas traz à tona a falta de segurança nas estradas e ruas dos distritos
quinta-feira, 24 de junho de 2021
por Thiago Lima (thiago@avozdaserra.com.br)
Fotos: Pedal Feminino de Lumiar
Fotos: Pedal Feminino de Lumiar

No início de agosto de 2020, A VOZ DA SERRA publicou reportagem destacando que a bicicleta é o meio de transporte mais em alta nesta pandemia. Observa-se as recentes iniciativas da prefeitura ao investir em ciclovias e ciclo faixas em trechos urbanos de Nova Friburgo, no entanto, esta mesma atenção não tem ocorrido em áreas mais afastadas como os distritos de Lumiar e São Pedro da Serra, onde a quantidade de ciclistas também tem crescido e as bikes, cada vez mais são utilizadas por lá. 

O crescente movimento de ciclistas traz à tona a falta de segurança nas estradas e ruas da cidade. A falta de sinalização, seja vertical (placas) ou horizontal (marcações no pavimento) torna a circulação dos ciclistas ainda mais perigosa, colocando em risco a vida de quem faz uso das vias, agravado pelo fato de não ter uma urgência médica 24 horas naquela região.

O grupo Pedal Feminimo de Lumiar já se reuniu com a prefeitura em janeiro e abril deste ano, ressaltando que segundo o Código Brasileiro de Trânsito (CBT) os municípios também têm o dever de promover o desenvolvimento da circulação e segurança de ciclistas. O grupo, na época, solicitou que o tema fosse priorizado e apontou alguns trechos críticos e que necessitam de sinalização urgente: em Boa Esperança próximo à ponte da Favela Seca e ao Poço Belo; na estrada Lumiar-São Pedro nos trechos próximo ao mercado Moura 2; antes do estreitamento da entrada para Benfica; antes da ladeira do Saldanha e na chegada ao distrito. Na rodovia RJ-142 também há pontos críticos, como próximo ao acesso a Rio Bonito; antes da descida e da subida do Poço Feio; próximo ao antigo posto de gasolina; na descida próxima ao cemitério; na curva próximo a Pedra Riscada e próximo à pousada Pedra Riscada. O grupo de pedal levou em consideração que o movimento maior de ciclistas na RJ-142 se dá nos trechos entre a entrada de Rio Bonito e o acesso ao Encontro dos Rios Macaé e Bonito.

O grupo ainda relata que “seria de extrema importância um projeto de sinalização mais abrangente, que considerasse todas as regiões do município''. Os membros complementam que a manutenção das vias e a roçada das margens também são prioridades. “Com o mato alto a visibilidade dos motoristas e ciclistas é prejudicada, o que  aumenta o risco de acidentes. A implantação de quebra-molas também é bem vinda. 

Perigo atrás de perigo

Não é só a falta de sinalização e de capina que coloca os ciclistas em perigo. Carla Perrone, do grupo de pedal, também observa a necessidade de campanhas educativas. “A subida para São Pedro é muito arriscada, pois a via é estreita e geralmente os motoristas não respeitam a lei de trânsito que determina a distância de 1,5 m entre veículos e ciclistas. As pessoas ainda não enxergam a bicicleta como um veículo e nós temos que pedalar no meio da pista e sinalizar para o motorista não nos ultrapassar em alguns trechos para evitar acidentes. Além de sinalização, precisamos urgentemente de campanhas educativas para os motoristas”, relata Carla.

A falta de manutenção das vias também é outro problema. “Aconteceu comigo duas vezes a mesma situação: estava pedalando na estrada de Rio Bonito e me deparei com uma picape e em seguida  uma moto. Devido aos buracos e valas de escoamento nas margens da estrada, os carros acabam entrando totalmente na contramão. Na tentativa de desviar, ambos fomos para o mesmo lado mas voltamos para a minha mão e por fim conseguimos evitar uma colisão frontal”, contou Natácia Luana Barbosa, que também é integrante do grupo. 

Duas reuniões e nada feito

Em janeiro deste ano, alguns integrantes do Pedal Feminino se reuniram em Lumiar com o secretário de mobilidade urbana, Fabrício Medeiros, e a secretária de Turismo,  Maria Angélica Rocha. Entregamos uma carta com demandas e sugestões. Além dos secretários, estiveram presentes: Verônica Suhett e Léo Palma, representando os ciclistas, além do subprefeito de Lumiar e São Pedro, Jorge Freimann. Uma nova reunião foi marcada para esta quinta-feira, 24, para o grupo cobrar novamente uma solução. 

O que diz a prefeitura

Em nota, a Secretaria de Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu), informa que “nas demandas referentes à sinalização, já esclareceu aos representantes do grupo que a pasta está realizando um processo de licitação para a aquisição dos materiais essenciais para a realização dos trabalhos e que grande parte do trecho solicitado (RJ-142) é de competência do Departamento de Estradas e Rodagem do Estado do Rio (DER).

 

LEIA MAIS

Alvo de algumas reclamações, obras da ciclovia na Euterpe devem ser concluídas até o fim do mês

Evento virtual e solidário encerra o adaptado calendário do ciclismo municipal

Ponto de encontro será na Praça Carlos Machon, na Feira Agroecológica Alumiar e o trajeto realizado será até São Pedro da Serra, ida e volta

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: ciclismo