Na RJ-150, a estrada da incoerência, sobram perigos para os motoristas

Na estrada da Usina do Asfalto, A VOZ DA SERRA constata grande quantidade de buracos, trechos sem acostamento e falta de capina, entre outros problemas
quarta-feira, 12 de janeiro de 2022
por Thiago Lima (thiago@avozdaserra.com.br)
Cratera na RJ-150 (Fotos: Henrique Pinheiro)
Cratera na RJ-150 (Fotos: Henrique Pinheiro)

A rodovia RJ-150 (Nova Friburgo-Amparo-São José do Ribeirão) possui inúmeros problemas que levam perigo para pedestres e motoristas. Além de inúmeros buracos - o que se torna até uma "incoerência", já que na própria via está situada a usina de asfalto do município -, há outros problemas, como mato alto, falta de iluminação e de acostamentos, má conservação de pontos de ônibus, entre outros. 

Elciene Silva, que mora na Chácara do Paraíso, relata que espera urgentemente pela revitalização da estrada que é muito utilizada por pacientes do Hospital Unimed e o principal acesso ao bairro Nova Suíça e ao distrito de Amparo. “A cada dia essa estrada fica pior. O trânsito é um caos e há sempre o risco de acidentes por causa da má conservação. É preciso obras de recuperação já”, disse. Carlos Henrique Rodrigues, que passa pela estrada diariamente, enfatiza o risco alto em alguns trechos. “Atrás da fábrica Haga os carros tem que invadir a contramão por causa dos buracos que estão cada vez maiores. É um grande risco para os motoristas e pedestres”, observou o morador. 

Problema, problema e mais problemas

Eliete Moraes enfatiza também outros problemas da RJ-150: “À noite, o perigo aumenta devido a falta de iluminação pública. Embora algumas lâmpadas tenham sido trocadas recentemente, já tem luminárias queimadas. O mato está tão alto, que até prejudica a visibilidade de algumas placas de sinalização. Quando chove muito, algumas ribanceiras deslizam com muita lama”, enumera. 

Mas não é só o poder público que precisa fazer a sua parte. Nossa equipe também encontrou entulho e restos de obras em vários pontos da estrada. O que prejudica e causa inúmeros problemas, como bueiros entupidos. Outro problema constatado no trecho entre o Centro e a Chácara do Paraíso foi a falta de acostamento, o que torna a caminhada dos pedestres muito arriscada. Com buracos e muito mato, resta caminhar pela pista. Também foi constatada a má conservação de alguns pontos de ônibus, com telhado precário, por exemplo.

História antiga

A moradora da Chácara do Paraíso, Elisabeth Bôscolo, esclarece que vem desde janeiro de 2021, fazendo diversos contatos através da Ouvidoria da prefeitura, do setor de iluminação pública, e do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), todos sem êxito. “Esse bairro tem sofrido muito com a falta de serviços básicos, com o número insuficiente de lixeiras, a enorme quantidade de buracos e a precariedade da iluminação pública. Em dezembro, o DER limpou parcialmente alguns trechos da rodovia, mas não coletaram o resíduo, o que gerou o entupimento das calhas”, contou.  

A Usina de Asfalto

A Usina de Asfalto de Nova Friburgo, situada no alto da Chácara do Paraíso, voltou a operar, produzindo o asfalto a quente para recapeamento de ruas, avenidas e estradas municipais. A reativação da usina se deu graças a um planejamento da prefeitura e a parceria com o Governo do Estado.

Apesar da manutenção da RJ-150 ser competência do DER, A VOZ DA SERRA, entrou em contato com a prefeitura para saber a possibilidade de parceria com o Estado para revitalização da estrada. Em nota, a prefeitura, informou que "como as demandas de reparo asfáltico cresceram muito, a prefeitura não tem condições de assumir compromisso na RJ-150. Por fim, a Secretaria de Obras informa que envia, constantemente, pedidos ao órgão solicitando reparos para a rodovia, bem como para outras RJ's que cortam o município.

O que diz o DER-RJ

O DER informou que a programação para realizar a manutenção na RJ-150 está prevista para ser iniciada em fevereiro. Neste primeiro momento, segundo o órgão, as equipes atuam em intervenções emergenciais após os dias de chuva.

O órgão lembra que a logística deste tipo de intervenção só é possível em condições de tempo estável e o clima na região anda bastante chuvoso. "Com isso, a massa asfáltica não tem aderência ao pavimento e os trabalhos são adiados, se necessário, para o próximo dia de tempo bom", diz nota.

Veja mais fotos dos problemas na galeria abaixo:

 

LEIA MAIS

Do total, 48 foram flagrados dirigindo sob influência de álcool ou se recusaram a fazer o teste do bafômetro

São três novos equipamentos de redução de velocidade que serão operados pelo DER-RJ

Sub da Smomu fica responsável também pela Guarda Civil Municipal e pelo Departamento de Posturas

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Trânsito | obra