Jhennifer Alves concorre a prêmio da Confederação do Desporto Universitário

De volta aos treinos, atleta de Nova Friburgo mira índice para as Olimpíadas de 2021 e precisa de votação popular
terça-feira, 15 de setembro de 2020
por Vinicius Gastin
A nadadora Jhennifer Alves
A nadadora Jhennifer Alves

Já há alguns anos ela brilha nas piscinas do Brasil e do mundo, tendo conquistado medalhas em Jogos Pan-Americanos e tantas outras competições importantes da natação. O reconhecimento pela trajetória vitoriosa vai além dos resultados, e rende indicações e premiações para a friburguense Jhennifer Alves. Em busca de mais uma delas, a nadadora é uma das concorrentes ao troféu Melhores do Ano, oferecido pela Confederação Brasileira do Desporto Universitário.

Realizada anualmente pela CBDU, a premiação destaca os atletas com melhor desempenho na temporada do ano anterior. Em 2020 a cerimônia estava marcada para março, mas foi adiada em virtude da pandemia do coronavírus. Depois de alguns meses de planejamento, o evento acontecerá on-line, no próximo dia 20.

“Para a CBDU, a Premiação Melhores do Ano é a oportunidade de celebrar as conquistas da temporada anterior e reconhecer o esforço de todos os envolvidos. Neste ano serão premiados os atletas, técnicos, instituições de ensino superior e federações universitárias estaduais que se destacaram em 2019. É a união de todos os agentes do esporte universitário brasileiro em um só momento”, afirma a Confederação em seu site oficial.

Pela primeira vez na história totalmente on-line, a cerimônia vai contar com a participação de todos os premiados, que estão espalhados por todo o Brasil, além de democratizar a audiência, tornando possível que o público em geral acompanhe todo o evento em tempo real no próximo dia 20, às 10h, no Instagram da CBDU.

Além dos prêmios definidos por um sistema anual de pontuação – que leva em conta todo o calendário de competições –, e também aqueles delimitados por uma comissão da CBDU, existe uma categoria que o público é quem escolhe: o Craque da Galera, onde Jhennifer Alves também concorre contra mais de 40 atletas. A votação, no site da Confederação Brasileira do Desporto Universitário, prossegue até o próximo dia 18.

Não faltam motivos para crer que Jhenny pode ser uma das premiadas. Em 2019, a atleta de Nova Friburgo viveu a reta final do chamado ciclo olímpico, envolvendo diversas competições, algumas delas concluídas com êxito em 2019. Jhennifer treina forte em busca de uma vaga no time brasileiro de natação para os Jogos Olímpicos, e mira a prova dos 100 metros peito, onde busca o índice olímpico, de 1:07.07, segundo a Federação Internacional de Natação.

A preparação para tentar disputar a principal competição esportiva do planeta começou há alguns anos, e foi intensificada em 2019. A friburguense foi a quinta colocada no individual da prova dos 100 metros peito, ouro no 4 x 100 medley misto e bronze no 4 x 100 medley feminino dos Jogos Pan Americanos de Lima, no Peru.

Jhennifer também passou um mês competindo na Europa, conquistando, por exemplo, um recorde sul-americano. A atleta terminou o Circuito Mare Nostrum como a terceira melhor nadadora de toda competição na soma de pontos, com duas medalhas de ouro e quatro de prata no total.

Na Copa do Mundo de Natação, brilhou em diversas etapas: em Doha, no Catar, por exemplo, a atleta de Nova Friburgo foi a vencedora nos 100 metros, tipo de prova para a qual busca olímpico. A segunda medalha de ouro de Jhennifer na competição veio exatamente na especialidade, os 50 metros peito com o tempo de 30s93.

Na ocasião, esta foi a única medalha do Brasil no segundo dia de competição, último dos três dias nos Emirados Árabes Unidos. Além da friburguense, somente Nathália Almeida foi à final, fechando na sexta colocação dos 200 metros medley com o tempo de 2min16s32. Ambas repetiram na final a colocação das eliminatórias, mas melhorando o tempo. Jhennifer Conceição cravou 31s53 e Nathalia marcou 2min17s65 nas classificatórias.

A Copa do Mundo de Natação é o principal circuito de provas da Federação Internacional de Natação (Fina). A friburguense também conquistou a medalha de ouro nos 50m peito na etapa de Kazan, na Rússia, com o tempo de 30s68, bem à frente da italiana Arianna Castiglioni, que fechou com 31s10. A bielorussa Alina Zmushka foi bronze. A Copa foi o último compromisso da atleta durante a viagem pela Europa.

O tour de Jhennifer Alves começou com a participação nos Jogos Mundiais Militares, promovidos em Wuhan, na China, onde conquistou a medalha de prata na prova dos 50m nado peito. Com o tempo de 30s91, a nadadora do Pinheiros-SP foi superada apenas pela chinesa Ran Suo, que fez 30s74. Um dia depois voltou às piscinas, e conquistou medalha de bronze na prova dos 100 metros peito. Jhennifer Alves viajou para Budapeste, onde disputou o ISL, através de um convite feito pela equipe americana LA Current.

Em 2020, a friburguense mirava uma série de competições, mas praticamente todas elas foram canceladas, à exemplo do Troféu José Finkel, o campeonato brasileiro interclubes de natação de inverno, e o Troféu Maria Lenk, disputado no verão. Jhenny participaria das provas e tentaria se aproximar ou mesmo conseguir o índice olímpico. Durante a pandemia, a nadadora passou um período em Nova Friburgo, apurando a parte física em casa.

Há algumas semanas, o Esporte Clube Pinheiros retomou as atividades de treinamento – a partir das flexibilizações permitidas para a cidade de São Paulo -, e Jhennifer Alves já se juntou aos demais companheiros de equipe.

 

LEIA MAIS

A atleta do Pinheiros, de São Paulo, disputaria as provas para tentar avançar rumo ao índice olímpico

Em quarentena, atleta friburguense vinha treinando forte em busca de uma vaga no time brasileiro de natação

Atleta friburguense chega ao topo de uma grande competição em sua passagem pela Europa

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: natacao