Galera dos Legumes: disparos que fizeram vítimas teriam partido de fuzis da PM

Policiais indiciados em inquérito teriam sido afastados das ruas e estariam exercendo funções administrativas no 11º BPM
sexta-feira, 19 de março de 2021
por Jornal A Voz da Serra
Galera dos Legumes: disparos que fizeram vítimas teriam partido de fuzis da PM

Dois policiais militares do 11º BPM teriam sido indiciados no inquérito que investiga o assalto à distribuidora  de hortifrutis Galera dos Legumes, em Barracão dos Mendes, no distrito de Campo do Coelho, no fim de janeiro passado. Segundo informações do portal de notícias G1, o inquérito revelou que um bandido, dois funcionários e o dono da distribuidora morreram vítimas de disparos de fuzil da Polícia Militar. A VOZ DA SERRA aguarda informações do 11º BPM, da 151ª DP e do Ministério Público do Estado. O delegado Henrique Pessoa, titutar da 151ª DP, confirmou que os policiais são do 11º BPM, sem dar mais detalhes.

Segundo o G1, o MP recebeu esta semana o inquérito, que está sob análise da Promotoria de Justiça de Investigação Penal de Nova Friburgo.  Os policiais devem responder por homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar. De acordo com o G1, os dois policiais foram afastados das ruas em uma decisão conjunta do comando do batalhão e do departamento de psicologia da corporação. A dupla está exercendo funções administrativas.

As vítimas ficaram no fogo cruzado entre policiais e bandidos, que estavam fortemente armados, até com granada.

Relembre o caso

O violento assalto à Galera dos Legumes  começou numa noite de sexta-feira, 29 de janeiro. A polícia foi chamada e houve dois confrontos armados com os assaltantes, um no próprio local e outro no dia seguinte, já na localidade  de Vieira, em Teresópolis.

Na noite de sexta, durante a primeira troca de tiros entre policiais e bandidos, terminaram mortos dois funcionários: Guilherme Duarte Faria e Bismarque da Cruz.  Outros ficaram feridos, entre eles o dono da distribuidora, Cristiano Fernandes, que acabou morrendo no hospital uma semana depois, em 5 de fevereiro, morreu Cristiano Fernandes.

No confronto da manhã de sábado,  foram mortos três assaltantes, totalizando seis vítimas.

O juiz da 2ª Vara Criminal de Nova Friburgo, Marcelo Alberto Chaves Villas, decretou a prisão temporária, pedida pela 151ª DP e pelo Ministério Público, do único homem preso após o assalto.

O assalto foi, segundo informações do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, realizado por cinco investigados: Gilcimar Schuenck, o Gil Bala; seu irmão Leomar Schuenck Silveira; Douglas Linhares Ribeiro; R., que foi capturado, e um quinto nome, sobre o qual não foram fornecidos detalhes para não prejudicar as investigações. Os três primeiros foram os que morreram em confronto com a polícia.

Segundo o TJ, os cinco entraram, fortemente armados, na Galera dos Legumes, de onde levaram “mediante  violência  e  grave  ameaça” cerca de  R$ 20 mil, cheques, bens pessoais pertencentes ao dono da distribuidora,  Cristiano Fernandes, e celulares de dois funcionários, Ronaldo Pagliasse Barbosa e Fernando Quintanilha de Resende.

Os investigados, segundo o TJ, fizeram várias vítimas reféns, além de agredirem e ameaçarem Cristiano, que ficou gravemente ferido.

A Polícia Militar foi acionada e, chegando ao local, foi recebida a tiros. Houve intenso confronto. “A extrema violência ocasionou a morte das vítimas Guilherme Duarte Faria e Bismarque da Cruz . Ficaram feridas pelos disparos as vítimas Cristiano, que ficou internado em estado grave, e Gabriel. As vítimas Ronaldo Pagliasse Barbosa, Samuel José Borges e Matheus Francisco foram feridas por estilhaços”, detalhou o TJ.

Um dos acusados do crime, Leomar Schuenck Silveira, morreu no local. Ele estava, segundo o TJ, armado com uma pistola 9mm ainda carregada,  um carregador sobressalente contendo mais munição, uma  granada  e uma touca ninja.

Dentro do Jeep Renegade usado  pelo bando foram apreendidos uma espingarda calibre 12 com seis cartuchos de munição,  uma  granada,  dois  carregadores  calibre  9mm municiados, um celular e uma capa de colete.

Já na manhã seguinte, Gil Bala, Douglas e R., que conseguiram fugir, invadiram uma propriedade rural na localidade de Vieira, em Teresópolis, fazendo trabalhadores reféns.  Com a chegada dos policiais, as  vítimas  foram  liberadas e começou nova perseguição com troca de tiros.

Nesse novo confronto, os acusados Gilcimar e Douglas foram atingidos e  morreram no hospital. Com eles foram encontrados pistolas e carregadores.

O investigado R. foi preso em flagrante delito pelos crimes de tentativa de homicídio contra os policiais e porte de arma de fogo e artefato explosivo. Após a prisão, indicou que havia escondido a arma de fogo no Galpão dos Legumes, onde  foi apreendida.

Na delegacia, segundo o TJ, R. confessou ser comparsa de Gilcimar, Leomar e Douglas. Gil Bala era foragido da Justiça e responsável  pelo  tráfico  de drogas em  diversas  localidades  em Nova Friburgo,  inclusive  em  Barracão  dos  Mendes,  “estando  envolvido  com diversos homicídios”.

 

LEIA MAIS

Moradores assustados relataram confrontos; RJ-116 chegou a ser interditada para operação, com cães e helicópteros

Ferido gravemente na ação de sexta à noite em Conquista, Cristiano Fernandes não resistiu. Caso passa agora a triplo latrocínio

TJ detalha ação violenta que terminou em Vieira, com várias vítimas feitas reféns. Estado de dono de galpão, ferido, é grave

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Assalto