Friburguense Natane Vicente se destaca dirigindo o Projeto Karanba

Ex-jogadora e agora treinadora vai comandar equipes do projeto na viagem para a Noruega em 2022
terça-feira, 25 de janeiro de 2022
por Vinicius Gastin
Formada em Educação Física, Natane segue fazendo história à frente do Karanba (Divulgação)
Formada em Educação Física, Natane segue fazendo história à frente do Karanba (Divulgação)

Ela brilhou dentro das quatro linhas, lutou pelo diploma de Educação Física fora delas e, com o conhecimento adquirido no campo e nas salas de aula, agora é responsável por ensinar. A friburguense Natane Vicente, de 31 anos, comandou o time do Projeto Karanba na edição deste ano do Campeonato Carioca Feminino sub-18. A equipe, sediada em São Gonçalo, chegou às semifinais da competição e terminou com a quarta colocação geral.

“Perdemos para o Flamengo na semifinal. E com os resultados, o Vasco, que perdeu nos pênaltis para o Fluminense, ficou em terceiro, deixando o nosso time em quarto. Apesar de perder para os grandes, fizemos uma ótima campanha”, avalia.

O Karanba estreou com um grande resultado, goleando o Barra Mansa pelo placar de 5 a 1. No jogo seguinte, o time comandado por Natane voltou a se impor e goleou o América por 4 a 0. No encontro com o Vasco, vencedor da primeira edição, derrota por 1 a 0. Os resultados levaram a equipe para a semifinal, contra o poderoso time do Flamengo, que acabou vencendo por 5 a 0.

A competição teve início na primeira quinzena de novembro, e foi dividida em três fases: grupos, semifinal e final. Os times foram divididos em Grupo A, que teve cinco componentes, e o B, com quatro. Participaram, além do Karanba, Flamengo, Fluminense, Vasco, Serra Macaense, CESC Heips, América, Barra Mansa e Duque de Caxias.

As equipes de cada chave se enfrentaram entre si e, ao fim dos confrontos, o primeiro colocado de um grupo encarou o segundo do outro na semifinal. As fases finais ocorrerem em jogo único. A primeira edição do Estadual Sub-18 foi realizada em 2019, não acontecendo em 2020 por conta da pandemia. Na ocasião, o Vasco levou o título.

Viagem à Noruega

O Projeto Karanba é um braço a partir de uma ideia do ex- jogador de futebol profissional Tommy Nilsen. As raízes do norueguês proporcionam intercâmbios com o país natal, e no ano que vem, as meninas brasileiras, incluindo Natane, irão jogar futebol na Europa. Em julho, o Karanba embarca para a disputa da Norway Cup.

Natane Vicente, com passagens por Bahia, Volta Redonda e Duque de Caxias, clube pelo qual disputou o Estadual e o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino de 2017. A friburguense, formada em Educação Física, atua há alguns anos como professora e treinadora no Projeto Karanba, no Rio de Janeiro.

Natane foi jogadora do projeto e desde 2016 ajuda a educar times masculinos e femininos. Chegou a jogar profissionalmente no Brasil e falou das dificuldades e preconceitos que sofreu na carreira.

Usando o futebol como instrumento, o Karanba ajuda crianças e jovens carentes, vindos de comunidades, a atingir desenvolvimento pessoal e educacional, oferecendo estrutura e os recursos necessários. O foco é a preparação para a vida adulta, através do aumento de esforços diários para a construção de pessoas íntegras para o futuro.

O Karanba reúne e engaja pessoas com uma vida cotidiana difícil, fortemente afetada pelo crime e pelo tráfico de drogas. A sede do projeto está localizada em Vista Alegre, no subúrbio carioca.

O Karanba foi fundado no Rio de Janeiro em 2006, com o objetivo de mudar vidas. O projeto tem crescimento contínuo, resultados mensuráveis e completou 15 anos de atividade, provando sua legitimidade e sustentabilidade. Tommy recebeu inúmeros prêmios por seu trabalho com o Karanba, incluindo a medalha “Orgulho do Rio”, concedida pelo jornal O Dia, em 2011.

“Karanba” é uma brincadeira com a palavra “caramba”, palavra que melhor descreve como Tommy se sentiu quando viu pela primeira vez a enorme desigualdade social e econômica no Brasil.

Dia do Futebol Feminino

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) sancionou a lei que institui o dia 19 de fevereiro como Dia do Futebol Feminino. O objetivo é exatamente divulgar para a população a importância do esporte. A lei entra em vigor no momento em que foi realizado o Campeonato Carioca Feminino 2020/2021.

A escolha da data também possui a intenção de homenagear Marta Vieira da Silva. Aos 35 anos, a camisa 10 da Seleção Brasileira acumula seis prêmios de melhor jogadora do planeta e é a maior artilheira da história das copas do mundo, com 17 gols marcados.

 

LEIA MAIS

Tradicional clube de Olaria mantém atividades e faz novos projetos para os próximos anos

Até agora, nas cinco partidas que deram início à segunda rodada da Taça Santos Dumont, quem jogou em casa não conseguiu vencer

Técnico Andreotti ganha novas alternativas para montar o time na Série A2

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol