Entidades do comércio reforçam pedido de abertura das lojas aos sábados

Funcionamento no último sábado foi excepcional devido ao Dia dos Pais
terça-feira, 11 de agosto de 2020
por Jornal A Voz da Serra
Comércio à meia-porta em Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)
Comércio à meia-porta em Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio), Braulio Rezende, e o presidente da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (Acianf), Júlio Cordeiro, voltaram a solicitar ao prefeito Renato Bravo a alteração do decreto municipal 645 para possibilitar a abertura das lojas de rua aos sábados na vigência da bandeira vermelha (quando o comércio pode funcionar de segunda à sexta-feira, das 12h às 18h). 

No último sábado, 8, quando também estava em vigor a bandeira vermelha, as lojas de rua foram autorizadas a abrir, excepcionalmente, devido a publicação no Diário Oficial eletrônico do decreto municipal 659, permitindo o funcionamento somente naquele dia por ser a véspera do Dia dos Pais, uma das datas significativas para o comércio. 

Os representantes das entidades empresariais reforçaram que o decreto 645, como foi publicado, fere o princípio da isonomia, já que na bandeira vermelha os shoppings centers têm permissão para funcionar de segunda-feira a sábado. 

“Conversamos novamente com o prefeito para mostrar a ele que o decreto 645 imprime diferença entre lojas de rua e shoppings. Por que na bandeira vermelha as lojas podem abrir somente de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h, e os shoppings podem funcionar nos sábados, das 10h às 22h? Lojas de rua e shoppings são comércio, igualmente”, ponderou Braulio Rezende.

Ele e Júlio Cordeiro agradeceram ao prefeito por haver liberado o funcionamento das lojas no último sábado, 8, véspera do Dia dos Pais, conforme pleiteado pela CDL, Sincomércio e Acianf. Eles insistiram na importância da data para o setor, que permaneceu fechado por quase quatro meses, em razão das normas de isolamento social decorrentes da pandemia, e perdeu o movimento dos dias das Mães e dos Namorados. Braulio Rezende disse que, agora, entretanto, é preciso corrigir a distorção do decreto, pois ele continuará em vigor enquanto valer o sistema de cores que regula a retomada gradual das atividades econômicas na cidade.

Ele revelou que as entidades pediram ainda ao prefeito a revisão do funcionamento de bares e restaurantes na bandeira vermelha, fixado para o período entre 7h e 21h. No caso dos restaurantes, a maioria não abre tão cedo e acha necessário estender o horário até 23h. “Os donos de restaurantes afirmam que muitos clientes chegam para jantar após o expediente, perto de 20h, e que não têm como retirá-los dos estabelecimentos. Levamos também essa reivindicação ao prefeito”, finalizou Braulio Rezende. A prefeitura ainda não se manifestou sobre os pleitos da entidades comerciais.    

 

LEIA MAIS

Total de casos confirmados supera os 2.900, com registro de 57 novos em apenas um dia

Relatório aprovado por unanimidade, com 24 votos, será agora votado em plenário. Caso aprovada, denúncia seguirá para o TJ

Medida altera a lei que previa o fim da calamidade no último dia 1º de setembro

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra