Confiança da indústria fluminense apresenta nova queda, aponta Firjan

Empresários estão ainda mais pessimistas com relação ao futuro da economia
quinta-feira, 21 de maio de 2020
por Jornal A Voz da Serra
A Praça Getúlio Vargas deserta na pandemia (Foto: Regina Lo Bianco)
A Praça Getúlio Vargas deserta na pandemia (Foto: Regina Lo Bianco)

O Índice de Confiança do Empresário Industrial Fluminense (Icei-RJ), divulgado esta semana pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), apresentou nova queda em maio e atingiu 32,8 pontos, o segundo pior resultado da série iniciada em 2010. O pior foi em dezembro de 2015 (32,7 pontos). A pesquisa varia de zero a 100 pontos. Os resultados acima de 50 representam melhora ou otimismo e, abaixo, indicam piora ou pessimismo.

Em abril, o Icei-RJ tinha registrado queda de 25,5 pontos, a maior em um único mês, e atingido 33,9 pontos. “Neste mês foi registrada uma nova queda, muito influenciada pelos resultados relacionados ao indicador de condições atuais da economia brasileira, do estado e da empresa. Mais uma vez os dados refletem os impactos e as incertezas provocados pela pandemia do coronavírus”, ressalta o gerente de Estudos Econômicos da Firjan, Jonathas Goulart.

 O Indicador de Condições Atuais da pesquisa reduziu 5,7 pontos em relação a abril e fechou em 24,9 pontos. No acumulado de 2020, a queda foi de 31,3 pontos. Os três itens que compõem os indicadores Condições da Economia Brasileira, Condições do Estado, Condições da Empresa – apresentaram retração de abril para maio. O item relacionado às condições do Estado fechou em 14,1 pontos, o mínimo histórico.

O Indicador de Expectativas para os próximos seis meses também registrou pessimismo ao fechar em 36,7 pontos. O indicador se mantém próximo do mínimo histórico (35,6 pontos) registrado em abril, apesar de apresentar uma leve melhora. O resultado é influenciado, principalmente, pela melhora nas expectativas relacionadas à empresa, que passou de 39,5 pontos em abril para 41,7 em maio.

Entre os três itens analisados – Expectativa da Economia Brasileira, Expectativa do Estado, Expectativa da Empresa - apenas o que se refere ao Estado seguiu trajetória de queda, chegando a 23,7 pontos, também o menor patamar da série.

A Firjan reforça que o pessimismo registrado no Icei-RJ de maio continua retratando a dificuldade encontrada pelos empresários desde o início do isolamento social, com problemas no fluxo de mercadorias, na circulação de trabalhadores e no consumo da população. Ressalta ainda que a falta de confiança influencia de forma negativa a recuperação das atividades econômicas e os novos investimentos.

 

LEIA MAIS

Setores administrativos estão autorizados a abrir a partir desta quinta para organizar reabertura parcial; comércio ainda em estudo

Há ainda 44 casos aguardando confirmação, assim como 3 óbitos. Município já tem, em média, um contaminado por km2

A partir de agora são consideradas apenas mortes confirmadas, e não suspeitas, o que dá diferença de mais de mil

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra