Ciclone em alto-mar pode prolongar temporais por mais uma semana

Este mês de fevereiro deverá ser um dos mais chuvosos dos últimos tempos
segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Pedras que rolaram de um encosta na Rua Arnaldo Bittencourt (Fotos: Carlos Mafort)
Pedras que rolaram de um encosta na Rua Arnaldo Bittencourt (Fotos: Carlos Mafort)

A Marinha do Brasil deve nomear a qualquer momento uma tempestade subtropical que pode tornar este mês de fevereiro um dos mais chuvosos dos últimos tempos.

Na madrugada deste domingo, 14,  houve a formação de um ciclone subtropical em alto-mar, classificado como depressão subtropical. Segundo informe da Marinha, persistem as condições atmosféricas para a intensificação do ciclone, com fortes rajadas de vento. 

O informe foi dado domingo pela Marinha, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) e com a colaboração do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/Inpe) e o Centro Integrado de Meteorologia Aeronáutica da Força Aérea Brasileira (Cimaer/FAB).

O centro do ciclone está a cerca de 555 km da costa do estado do Rio Grande do Sul, sem previsão de impacto sobre a região litorânea, uma vez que se desloca lentamente para sul. 

Segundo o Climatempo, uma área de baixa pressão atmosférica que atua sobre o Sudeste e mais este ciclone  no oceano vão continuar formando nuvens carregadas e o mau tempo deve continuar até domingo, 21.

Segundo estudiosos do clima, a temperatura de superfície do mar está elevada sobre o Oceano Atlântico Sul, em torno de 27 graus. A formação desse ciclone suga toda a umidade da Amazônia como se fosse um aspirador de pé, formando as condições perfeitas para tempestades continuadas.

A Defesa Civil Municipal divulgou na tarde desta segunda alerta de chuvas de moderadas a fortes nas próximas horas em Nova Friburgo.

O solo encharcado por sucessivas chuvas cria condições para deslizamentos de terra e já começou a fazer estragos pontuais pela cidade. Na Rua Arnaldo Bittencourt, atrás do Clube de Xadrez, pedras rolaram de uma encosta e estão há dias no canto da pista, atrapalhando o tráfego. Moradores da pacata rua temem novos deslizamentos e cobram da prefeitura a retirada das pedras.

Veja mais fotos, enviadas pelo fotógrafo Carlos Mafort, na galeria abaixo.

 

 

LEIA MAIS

Jornal usa informações de serviço de meteorologia estrangeiro seguido também por Washington Post, Libération, Daily Mail e outros veículos

Quarta deve continuar chuvosa, mas fim de semana promete ser ensolarado

Mau tempo deve persistir durante a madrugada e dar uma trégua apenas na tarde deste sábado

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Clima