Ciclone em alto-mar pode prolongar temporais por mais uma semana

Este mês de fevereiro deverá ser um dos mais chuvosos dos últimos tempos
segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Pedras que rolaram de um encosta na Rua Arnaldo Bittencourt (Fotos: Carlos Mafort)
Pedras que rolaram de um encosta na Rua Arnaldo Bittencourt (Fotos: Carlos Mafort)

A Marinha do Brasil deve nomear a qualquer momento uma tempestade subtropical que pode tornar este mês de fevereiro um dos mais chuvosos dos últimos tempos.

Na madrugada deste domingo, 14,  houve a formação de um ciclone subtropical em alto-mar, classificado como depressão subtropical. Segundo informe da Marinha, persistem as condições atmosféricas para a intensificação do ciclone, com fortes rajadas de vento. 

O informe foi dado domingo pela Marinha, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) e com a colaboração do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/Inpe) e o Centro Integrado de Meteorologia Aeronáutica da Força Aérea Brasileira (Cimaer/FAB).

O centro do ciclone está a cerca de 555 km da costa do estado do Rio Grande do Sul, sem previsão de impacto sobre a região litorânea, uma vez que se desloca lentamente para sul. 

Segundo o Climatempo, uma área de baixa pressão atmosférica que atua sobre o Sudeste e mais este ciclone  no oceano vão continuar formando nuvens carregadas e o mau tempo deve continuar até domingo, 21.

Segundo estudiosos do clima, a temperatura de superfície do mar está elevada sobre o Oceano Atlântico Sul, em torno de 27 graus. A formação desse ciclone suga toda a umidade da Amazônia como se fosse um aspirador de pé, formando as condições perfeitas para tempestades continuadas.

A Defesa Civil Municipal divulgou na tarde desta segunda alerta de chuvas de moderadas a fortes nas próximas horas em Nova Friburgo.

O solo encharcado por sucessivas chuvas cria condições para deslizamentos de terra e já começou a fazer estragos pontuais pela cidade. Na Rua Arnaldo Bittencourt, atrás do Clube de Xadrez, pedras rolaram de uma encosta e estão há dias no canto da pista, atrapalhando o tráfego. Moradores da pacata rua temem novos deslizamentos e cobram da prefeitura a retirada das pedras.

Veja mais fotos, enviadas pelo fotógrafo Carlos Mafort, na galeria abaixo.

 

 

LEIA MAIS

Sudoeste deve começar a soprar na tarde de sábado, que ainda poderá ser de sol e quente

Estação este ano deverá ser marcada por ondas de frio; a próxima será na virada do mês

Climatempo prevê outras duas ondas geladas ainda em julho e pelo menos uma em agosto

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Clima