Candidato com zero voto, nem mesmo o próprio, conseguiu se eleger suplente de vereador

Enquanto isso, outros que receberam mais de 930 votos nem suplentes se tornaram, observa Massimo
quarta-feira, 25 de novembro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
O plenário da Câmara de Nova Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)
O plenário da Câmara de Nova Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)

O resultado final das eleições para o Legislativo em Nova Friburgo indica que a Câmara Municipal terá na próxima legislatura suplente  que não recebeu nenhum voto, nem mesmo o próprio. Por outro lado, candidatos que receberam mais de 930 votos nem suplentes se tornaram. A observação é da coluna do Massimo.

A intenção dos legisladores pode ter sido boa ao estabelecer a eleição proporcional, mas, em meio a tantos partidos sem qualquer fumaça ideológica, parece que os interesses de caciques estão se impondo demais à vontade popular nas eleições proporcionais, diz o colunista.

Um dos que não foram eleitos foi o Professor Pierre,  um dos mais atuantes vereadores do Brasil. Massimo é testemunha do quanto ele sacrificou sua vida particular ao longo dos últimos anos, incapaz de flexibilizar um comprometimento com a cidade e os interesses coletivos que lhe roubou muitas horas de sono e de convívio familiar.

Mesmo durante o período eleitoral, boa parte de seu tempo foi investido na conclusão de uma peça fiscalizatória de enorme escopo, que ainda há de ter profundas repercussões sobre a administração pública friburguense.

Ao longo dos últimos quatro anos seu gabinete produziu mais de três mil páginas entre relatorias de natureza legislativa e fiscalizatória, que incluem o novo Regimento Interno, a nova Lei Orgânica Municipal, e as diversas operações legislativas que reuniram denúncias muito bem fundamentadas sobre a gestão municipal.

O tipo de material que, caso contasse com a mesma atenção dedicada pelo Judiciário às esferas estadual e federal, já teria rendido consequências de alcance difícil de estimar.

Referência

Este seu último mandato se consolida como referência do tipo de relevância que cada vereador pode alcançar, se estiver realmente disposto a trabalhar, sem cair nas armadilhas da popularidade fácil ou do tráfico de influências.

Que possa servir de exemplo ao sangue novo que chega para oxigenar o plenário a partir de 2021.

 

 

LEIA MAIS

Confira quanto, afinal, custou cada candidatura

“Agora é arregaçar as mangas e unir os setores para que possamos gerar benefícios que a cidade tanto precisa”, declarou

Devido à pandemia, ato será diferente, sem solenidade e em horários escalonados, a partir das 13h

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: eleições