Dito e feito

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sábado, 14 de março de 2020

Para pensar:

“Perder para a razão, é sempre ganhar.”

Aldo Novak

Para refletir:

“Em tudo quanto se empreende, há que atribuir dois terços à razão e o outro terço ao acaso. Se aumentardes a primeira fração, sereis pusilânime. Aumentai a segunda, sereis temerário.”

Napoleão Bonaparte

Dito e feito

A coluna de quinta-feira foi recebida com algumas ressalvas em determinados meios, mas horas depois, na sessão ordinária de nossa Câmara Municipal, tudo que havia sido antecipado por aqui se confirmou.

De fato, como a lógica havia apontado, o Palácio Barão de Nova Friburgo aceitou que não irá conseguir os 14 votos necessários para reverter os pareceres de TCE-RJ e Ministério Público Especial, e liberou a base de apoio para votar contra as contas e evitar um desgaste sem propósito.

Ilusionismo

Mais que isso, a compreensão de que a única chance de anular os efeitos desta situação reside na judicialização do processo faz com que agora a própria base de governo seja a maior interessada em reprovar as contas o quanto antes, a fim de alegar que a prefeitura não teve resguardado seu amplo direito de defesa.

De fato, resta evidente que o próprio pedido de vistas foi requerido de maneira absolutamente desnecessária, justamente na esperança de que o direito tivesse sido negado.

Forçado

Evidentemente trata-se de uma situação pra lá de forçada, uma vez que o próprio parecer do TCE é bastante claro ao afirmar que recebeu por duas vezes a defesa do Palácio Barão de Nova Friburgo, a segunda delas fora do prazo estabelecido.

E acrescenta que mesmo que tivesse levado em consideração o material recebido fora do prazo, ele não mudaria o entendimento do conselheiro.

Trâmites

Além disso, a Comissão de Finanças e Orçamento consultou a Procuradoria do Legislativo diante do entendimento de que o prazo não deveria ser contado durante o período de recesso, de tal forma que existe margem para que o prefeito apresente - se assim o desejar - sua defesa no prazo de dez dias.

Inclusive, nesta sexta-feira, 13 o prefeito foi formalmente oficiado a esse respeito.

Não havendo qualquer manifestação nesse sentido até terça-feira, 17, contudo, entender-se-á que não houve interesse, e então as contas serão apreciadas.

Teatro

A quem não tem argumentos concretos, resta sempre o papel de desinformar, simplificar, inverter a realidade e induzir a erro, sempre insultando - e é isso que mais afronta este colunista - a inteligência da população.

Tem vereador que jamais votaria contra o governo sem autorização que agora vai querer posar de defensor da população.

Fiquem de olho. Ao longo do pouco que resta deste episódio, o que realmente importa há de ser lido muito mais nas entrelinhas e no contexto, do que no teatro que está se armando.

Cenário eleitoral

Já faz algum tempo que a coluna vem ouvindo o nome do vereador Dr. Luis Fernando como provável pré-candidato a prefeito pelo Pros, e nos últimos dias a movimentação ganhou concretude.

A coluna entende, ainda, que a chapa deve contar também com o apoio do Partido Solidariedade, e nesse cenário o nome de Roberto Wermelinger tem sido citado como provável pré-candidato a vice-prefeito.

Pulverizado

Em relação a anos anteriores, parece evidente que teremos em 2020 um número maior de candidaturas, e a tendência de redução no número de votos do prefeito eleito deve se acentuar ainda mais.

Tem muita gente apostando aí que a eleição será vencida com pouco mais de 20 mil votos, o que não deixa de representar uma perspectiva de certa fragilidade para o próximo governo, que provavelmente terá de negociar apoio com vários grupos, e não deve contar, ao menos no início, com grande respaldo por parte do eleitorado.

Diálogo

A coluna perguntou, na edição de sexta-feira, 13, a opinião dos leitores a respeito do projeto de lei elaborado pelo gabinete do vereador Zezinho do Caminhão com vistas a assegurar maior liberdade de ação por parte do poder público em relação a terrenos baldios que com frequência representam riscos e transtornos a moradores nas vizinhanças.

Todas as manifestações recebidas foram favoráveis à medida.

Terrenos baldios (1)

“Ao lado de minha residência, denuncio há anos o desrespeito. Três processos, para ser mais exata, foram protocolados solicitando que notifiquem o proprietário. Nada adianta. O mesmo é taxativo em dizer: ‘Não limpo, não faço e não pago nenhuma multa’, e fica por isso mesmo. Quando possível, meu jardineiro entra no terreno para retirar objetos que jogam por lá. Só que, com o passar dos anos, fica cada vez mais difícil. Nem mesmo a Vigilância Sanitária ousou entrar… Então, parabéns ao vereador.”

Assina a mensagem a leitora Angela Assunção.

Terrenos baldios (2)

“Não há o que discutir! Basta ver o que ocorre com o terreno na esquina do Vale do Sol onde há uma estação de tratamento. Carrapatos, mosquitos, ratos e cavalos abandonados. Um descaso às margens da rodovia RJ-116 para que todos vejam como somos uma cidade turística.”

Assina a mensagem o leitor Francisco Matela.

Covid-19

Tudo indica que as próximas semanas serão pautadas pelo acentuamento da pandemia de coronavírus, com reflexos que, em maior ou menor grau, vão afetar a cada um de nós.

Em meio a este cenário, a mais eficiente medida preventiva é certamente conservar a razão e a serenidade.

Entre as trincheiras do descaso e da histeria existe grande espaço para uma abordagem madura do contexto, capaz de identificar e reagir aos riscos com objetividade e responsabilidade, sem passar boatos ou desinformação adiante.

Sem aulas

Até o fechamento desta edição, as redes estadual e municipal de ensino já haviam confirmado a antecipação do recesso de inverno para as próximas duas semanas.

Certamente, muitas situações análogas vão se suceder.

A notícia, contudo, serve de gancho a uma notinha factual que acabou sendo deixada para depois, em meio a todas as polêmicas que marcaram nossa política local recentemente.

Bons filhos (1)

Aconteceu no último dia 9, o II Encontro Jovens Talentos da Ciência do Colégio Estadual Canadá.

Criado em 2018, o evento tem por objetivo convidar os alunos que concluíram o ensino médio na escola e já estão em universidades para que conversem informalmente com os alunos da escola sobre a importância de participar dos vários projetos estimulados pela instituição.

Bons filhos (2)

A edição de 2020 do encontro contou com jovens que cursam Psicologia, Engenharia, Física, Odontologia, Jornalismo e História, e que em suas passagens pelo Colégio Canadá participaram de projetos de Física e Astronomia coordenados pela professora de Física Adriana Bernardes.

Ainda que posteriormente não tenham optado por estas áreas de formação, os ex-alunos enfatizaram a importância dos projetos escolares, e o quanto eles colaboraram para seus desenvolvimentos e ajudaram a ter sucesso na vida acadêmica.

Aspas

A acadêmica de Odontologia Bruna Thurler Alves ex-aluna do Canadá declarou que “fazer parte do Jovens Talentos ao longo de minha trajetória no ensino médio contribuiu não somente para meu crescimento como estudante e como pessoa, mas também refletiu diretamente na minha vivência acadêmica. O encontro serve de incentivo à participação daqueles que estão começando agora. De certa forma, faz com que seus horizontes se expandam, motivando-os”.

Espaço aberto

A coluna tem apreço e gratidão sem tamanho pelos professores, e mantém o espaço aberto para esse tipo de reconhecimento.

Participaram do encontro os universitários Juan Santanna (Física-Cefet); Álvaro Ribeiro (Engenharia Elétrica-Cefet); Matheus Macário (Engenharia Mecânica Uerj), Pablo Fogaça (História-Cederj); e Bruna Thurler Alves (Odontologia-UFF).

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.