Stam Metalúrgica completa 50 anos

História da empresa, que começou em um galpão, é marcada pelo empreendedorismo
sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
Rogério Faria com sua mãe, Helena
Rogério Faria com sua mãe, Helena

A Stam, uma das mais tradicionais e conceituadas fabricantes de fechaduras e cadeados do Brasil, celebra, neste 1º de março, 50 anos de mercado e de uma história marcada pelo empreendedorismo, quando em 1971, em Nova Friburgo, Francisco Faria, fundador da marca, deu início a seu sonho no pequeno galpão da família. A empresa completa meio século de atuação, carregando em seu DNA os valores de seu fundador, conhecido por sua simplicidade e dedicação. Esses mesmos valores permeiam a cultura da Stam e se transformaram num verdadeiro legado que continua inspirando gerações e que fazem da Stam uma empresa reconhecida por sua excelência em governança corporativa, priorizando sempre a transparência, a ética e a valorização de seus mais de 1.400 colaboradores e mais de 100 representantes comerciais em todo o Brasil.

Hoje, a empresa que começou pequena é detentora de um portfólio diversificado de produtos, com mais de quatro mil itens criados com foco na segurança e satisfação do cliente. Quem viu e viveu essa história de perto, como o diretor administrativo José Maria Campos Nogueira, que tem 47 anos de Stam e é um dos mais antigos funcionários da empresa, sente muito orgulho de fazer parte dessa trajetória de sucesso. “O fundador da Stam, Francisco Faria, jamais poderia imaginar que uma empresa criada em 1971, com todas as dificuldades existentes na época e com poucos recursos financeiros, pudesse conquistar o sucesso de conseguir completar 50 anos de existência com tantas conquistas memoráveis, principalmente se levarmos em conta a complexidade de ser empresário no país. Foi uma luta árdua entrar num mercado altamente competitivo e se tornar a maior empresa fabricante de cadeados e fechaduras do Brasil. É com muito orgulho que eu participo desta história magnifica, numa empresa que gera milhares de empregos, e é tão importante para a cidade de Nova Friburgo e para o Brasil”, disse José.

 Pioneirismo e inovação industrial

 É inegável que nessas cinco décadas, um dos diferenciais da Stam para a conquista de seu lugar de destaque no setor metal mecânico, foi o investimento em processos e tecnologias inovadoras. No segmento de fechaduras, apresentou muitas mudanças na liderança produtiva do segmento, no qual a Stam, em meio às famosas grandes líderes da era do latão, trouxe uma proposta diferente e inovadora de produzir cadeados e fechaduras com Zamac, material diferente, com qualidade e com preços atrativos, buscando colocação em todas as lojas do mercado.

Com este pioneirismo e sempre na vanguarda, a marca cresceu em pulverização no mercado de material de construção e se tornou líder de segmento, em constante desenvolvimento. Para se ter ideia, a expectativa para este ano é a de manter os níveis de crescimento obtidos em 2020, de aproximadamente 39,8% em relação a 2019, apesar da pandemia, com uma incrível capacidade produtiva de 130 mil peças por dia e um dos mais modernos parques industriais da América Latina, com 40 mil metros quadrados de área construída no distrito de Conselheiro Paulino.

Comprometida com a excelência e eficiência na produção, seu parque industrial é alvo de aperfeiçoamentos constantes. Desde a sua criação, a unidade fabril avança na automatização dos processos industriais visando, entre outros, o aumento do padrão dos seus produtos e a segurança dos seus colaboradores. O diferencial começa na fabricação das ferramentas e moldes em sua filial, a Stamp & Molde, considerada uma das mais modernas ferramentarias de precisão do mundo, com alto padrão de qualidade e produtividade, máquinas de última geração, de alto desempenho, que dispõem de recursos operacionais diferenciados, chegando ao chão de fábrica através de automação dos processos de transformação e montagem, robôs de abastecimento, lixamento e polimento, automação em soldas, segredagem, montagem e controle de qualidade, sistema automático de montagem e expedição de pedidos (Miniload) e constante treinamento e capacitação de mão de obra.

Sustentabilidade e responsabilidade social

 Não se pode falar em vanguarda sem pensar em políticas de sustentabilidade e a Stam sempre esteve à frente, também nesse tema. A empresa mantém políticas e programas voltados para a preservação do meio ambiente e dos recursos naturais. Além disso, investiu na aquisição de tecnologias que permitem a descontaminação e reaproveitamento de toda a água da produção, gerando uma economia de até 60 milhões de litros, o que equivale a cerca de seis mil famílias com quatro pessoas. Seu projeto de reuso de água na galvanoplastia e vibroacabamento com utilização de resinas de troca iônica foi premiado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Investiu também em projetos para geração de energia limpa das unidades fabris. A composição da energia consumida pelas fábricas que foi contratada no Mercado Livre consiste em: 27% de parque eólicos, 30% de parques solares e 43% usinas hidroelétricas. Através dessas fontes, a Stam e sua filial, Stamp & Molde, economizaram 139 toneladas de CO2 por mês em média. Investiu em sistema fotovoltaico com capacidade de geração de 450kWp, gerando uma energia média mensal de 50 mil kWh e 600 mil kWh anual. Isso corresponde a mais ou menos 5% do consumo mensal da planta industrial da Stam Metalúrgica. Ele está ocupando uma área de 3.650 metros quadrados (sobre o telhado da expedição, tornearia e cadeado de latão).

A responsabilidade social também faz parte da essência da empresa, e um de seus maiores cases é o projeto Gol de Placa, onde é mantenedora desde o ano de 2006. O Gol de Placa é organização sem fins lucrativos, que utiliza o futebol como instrumento de transformação de pessoas, de formação cidadã e de inclusão social e atualmente atende a mais de 200 meninos e meninas, entre 5 e 16 anos.

Passado, presente e futuro

Com 50 anos de história, a Stam hoje é comandada por Helena Herdy Faria, que ocupa a posição de presidente desde a morte do marido e fundador da marca, Francisco Faria. Ela divide a administração com Rogério Faria, filho do casal e atual vice-presidente e diretor industrial.

Antes disso, no entanto, a administração passou por grandes momentos, primeiro com Francisco Faria e seu sócio, Pegaitaz Irenee Rene, que ficaram à frente da empresa de 1971 até 2004, quando a família Faria adquiriu o negócio por completo, realizando diversas mudanças estruturais que fariam a Stam alcançar seu lugar de destaque no segmento.

Desde sempre, o trabalho da Stam foi construído com base na dedicação e deu tão certo que hoje a marca está presente nos lares de um Brasil continental. Entre o pequeno galpão da família Faria onde tudo começou e o presente, meio século se passou, mas na essência, a Stam carrega um valor essencial: o amor pelo que faz, seja na beleza da fabricação de cada produto, seja na sua principal função: criar qualidade e levar satisfação total a seus clientes. Com esses princípios, a empresa conquistou a confiança dos brasileiros e a liderança no segmento.

Marcio Luiz Tavares da Silva, gerente comercial da marca faz questão de destacar, ainda, a importância do time de colaboradores para cinco décadas de sucesso. “Essa história não seria possível sem a participação de nossos colaboradores, com quem temos uma relação baseada no respeito. A dedicação deles nos trouxe até aqui e temos a certeza de que é no sorriso deles que vemos toda a grandeza da nossa empresa. Para os próximos 50 anos, nossa expectativa é a de continuar liderando o mercado, gerar e manter empregos, além de seguir em nosso propósito de crescimento sustentável e de inovação no que diz respeito à fechamento e segurança de ambientes, integrados e conectados”, finaliza.

Banda Euterpe homenageia os 50 anos da Stam

Na manhã da última quarta-feira, 24, a Banda Euterpe Friburguense prestou uma homenagem especial a Stam Metalúrgica, que comemora seu cinquentenário nesta segunda-feira, 1° de março. Uma comissão da diretoria da agremiação musical foi recebida na metalúrgica, pelo seu diretor Rogério Faria, a quem foi entregue pelo presidente do Conselho Diretor da Euterpe, José Nilson da Silva, uma placa alusiva ao aniversário, além de uma orquídea à presidente da Stam, Helena Faria.

 

LEIA MAIS

Dos 50 leitos disponíveis em toda a cidade, 49 estão ocupados. Deputado pede ajuda das Forças Armadas e Raul Sertã ganha nova ala Covid

Constatação é de uma pesquisa recente da Fecomércio no Estado do Rio

Projeto de lei vai auxiliar as prefeituras na compra de vacinas e insumos

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: negócios