Prefeitura faz ajustes na obra da Estação Livre

Esquadrias para fechar terminal já estão sendo instaladas. Intervenção custa R$ 117 mil e previsão de conclusão é no início de agosto
sexta-feira, 03 de julho de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
A instalação das esquadrias (Fotos: Henrique Pinheiro)
A instalação das esquadrias (Fotos: Henrique Pinheiro)

 Após o término das obras de construção de uma cobertura e remodelação das plataformas sul e norte da Estação Livre, a antiga rodoviária urbana na Praça Getúlio Vargas, resta ainda a conclusão da instalação das esquadrias em todo o entorno do terminal para que as reformas promovidas no espaço sejam finalmente concluídas.

A VOZ DA SERRA esteve no local na manhã desta quinta-feira, 2, e constatou que a instalação das esquadrias já está bastante avançada. No lado sul, por exemplo, já foram finalizadas, faltando apenas a colocação dos vidros. O mesmo trabalho estava sendo feito no lado norte e, posteriormente, também será feito nas entradas da Estação Livre pela Rua Francisco Miele e Praça Getúlio Vargas, de modo a “fechar” o espaço, como definiu o prefeito Renato Bravo em uma “live” (transmissão ao vivo) nas redes sociais no último dia 5 de junho.

A empresa HCS Serviços e Manutenção, do município de Cordeiro, é a responsável pelo fornecimento e instalação das esquadrias. O investimento da Prefeitura de Nova Friburgo nessa nova etapa é de R$ 117.500 e o prazo para conclusão é de 60 dias – contados a partir de 4 de junho. No entanto, segundo apurado pelo jornal na manhã desta quinta-feira no local, é possível que os trabalhos sejam finalizados antes do prazo. Pelo menos com relação à instalação das esquadrias, a expectativa é de que tudo esteja pronto até o final da próxima semana.

A remodelação do pátio da Estação Livre faz parte do “pacotão de obras” anunciado pelo prefeito Renato Bravo em fevereiro do ano passado. A estimativa inicial era de R$ 1.032.184,16, no entanto, durante as obras foram assinados dois termos aditivos com a empresa responsável pela intervenção, além do custo para a instalação das esquadrias, o que encareceu o valor final da obra.

Traffic calming

Conforme anunciado por A VOZ DA SERRA, a Prefeitura de Nova Friburgo construiu um traffic calming (faixa de pedestres elevada) na esquina da Rua Francisco Miele com a Rua Sete de Setembro, de modo a dar acessibilidade a passageiros e pedestres à Estação Livre, já que o meio fio foi construído mais elevado, no mesmo nível da plataforma de parada dos ônibus, parada facilitar o embarque e desembarque. A rua também terá a mão invertida e serão criados dois novos pontos de parada para os coletivos. 

O que diz a prefeitura

Procuramos a Prefeitura de Nova Friburgo para esclarecer alguns pontos sobre a instalação das esquadrias, como: a Estação Livre passará a ser fechada à noite? Quando a instalação das esquadrias será concluída? Quando a Rua Francisco Miele terá a mão invertida? No entanto, até o fechamento desta edição não recebemos resposta.

 

LEIA MAIS

Especula-se que a feira livre do bairro possa ser transferida para o novo espaço. Há divergência de opiniões

“Entrar e sair é um suplício”, afirma um motorista sobre o movimento naquele ponto da estrada

Poucos horários e atrasos são outras queixas em Friburgo. Empresa diz que tenta amenizar situação

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: obra | Transporte