Obra para recuperar rua em Amparo vai custar mais de R$ 400 mil

Após mais de 300 dias sem solução, município iniciará reparos em novembro, perto das eleições
quarta-feira, 28 de outubro de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
O buraco no Loteamento Tiradentes (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
O buraco no Loteamento Tiradentes (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

Após 306 dias, a prefeitura finalmente concluiu a licitação que visa a construção de um muro de contenção no trecho da Rua Jerônimo de Castro e Souza, na altura da curva da morte, no Loteamento Tiradentes, distrito de Amparo. A empresa Itaúba Construtora Ltda será a responsável pelo serviço que vai custar R$ 416.125,91. A previsão é que as obras no local comecem ainda na primeira quinzena de novembro. A luta dos moradores do distrito para consertar a cratera que surgiu após um temporal em 22 de dezembro de 2019, teve vários capítulos. 

Entre importantes conquistas – todas com méritos da população local diante da inércia da gestão municipal em apresentar uma solução rápida –, estão a volta do serviço de baldeação do transporte público, já que a queda de parte da rua deixou o Loteamento Tiradentes a um passo do isolamento total e a consequente interrupção do tráfego de veículos pesados como ônibus e caminhões. Os moradores também conseguiram que os horários desse serviço de baldeação fosse ampliado para atender trabalhadores que precisam chegar mais cedo ao serviço e àqueles que chegam mais tarde.

Apesar disso, a tabela de horários dos coletivos continua sendo questionada pelas lideranças na região que querem uma ampliação da oferta de ônibus, além de melhorias na iluminação pública, principalmente no trecho em que os moradores precisam atravessar a pé. 

O distrito de Amparo é um contraste do que foi visto, por exemplo, na Rua Raul Veiga, no bairro Olaria, também atingida pelas chuvas no fim de 2019 – hoje totalmente recuperada –, como no Vale dos Pinheiros, na Rua Maria José Dutra de Castro, quando nos primeiros dias de 2020, uma cratera se abriu. Rapidamente, equipes da prefeitura foram até o local para avaliar a situação e um dia depois já havia iniciado o reparo. A via ficou pronta ainda em março.

Moradores celebraram “aniversário” de buraco

No dia 7 de julho, a Associação de Moradores de Amparo (Assamam), o Coletivo Vozes do Tiradentes, entre outros moradores do distrito se reuniram com o então diretor da empresa de ônibus Faol, Paulo Valente, para discutir a situação da localidade que estava sem transporte público regularizado. Segundo o registro feito pelos representantes do distrito, o sentimento foi de frustração por não terem saído da reunião com uma solução.

Na manhã do dia 23 de julho, os moradores realizaram um protesto simbólico na Rua Jerônimo de Castro e Souza, quando cantaram “Parabéns para você”, diante da falta de solução para recuperar a via. Um bolo de aniversário foi preparado e levado próximo ao buraco, onde festejaram de forma irônica, pelos 210 dias sem solução para o problema. Cerca de 50 pessoas participaram da ação com faixas e cartazes, de acordo com um dos moradores. À época, também foi reivindicado pelos moradores a regularização do transporte público no loteamento, que parou de atender aos moradores.

Na véspera do protesto, o prefeito Renato Bravo, junto com o secretário municipal de Defesa Civil, Robson Teixeira, anunciou a liberação pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, através da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, de R$ 470 mil para realização de obras na Curva da Morte. Segundo o prefeito, o processo de licitação para escolha da empreiteira que começaria em breve, demorou três meses.

 

LEIA MAIS

Novo desplacamento de pedras dá susto em moradores de loteamento. Não houve vítimas

Serviço de iluminação pública tem horário ampliado em todos os bairros de Friburgo

Datas de vencimento começam em setembro e vão até dezembro, conforme o final de placa

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: obra | Trânsito