Mulheres são as maiores vítimas do coronavírus em Nova Friburgo

Elas representam 53,4% dos casos. Homens são 46,6% do total de infectados
sábado, 12 de setembro de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Até o Cão Sentado dá o exemplo, na charge do Silvério
Até o Cão Sentado dá o exemplo, na charge do Silvério

O Painel Covid, ferramenta eletrônica disponibilizada à população friburguense pela Prefeitura de Nova Friburgo, através do Comitê Operativo de Emergência em Saúde (COE), das secretarias municipais de Saúde e Ciência e Tecnologia, além da Subsecretaria de Vigilância em Saúde e Vigilância Epidemiológica, foi atualizado na última quarta-feira, 9, e traz dados relevantes sobre o avanço da Covid-19 entre os friburguenses.

De acordo com o Boletim Coronavírus divulgado no início da noite da última quinta-feira, 10, o município registra 2.704 casos positivos de Covid-19, sendo 368 em profissionais de saúde, com dois óbitos. No total, Nova Friburgo contabilizava na ocasião 110 óbitos em decorrência da doença, havendo ainda 70 casos suspeitos. Desses, 49 aguardavam em casa o resultado dos exames, 18 permaneciam internados e três óbitos continuavam em investigação. Ao todo, 7.586 testes foram realizados no município. Do total, 4.812 testaram negativo para Covid-19. Outros 1.216 pacientes já se recuperaram da doença.

Percentuais de infectados por sexo, idade e bairros 

Se desde o início da pandemia os casos eram distribuídos igualmente entre homens e mulheres, agora as mulheres representam 53,4% dos casos de coronavírus em Nova Friburgo. Já os homens são 46,6% dos infectados. Na distribuição por bairros, a tendência se manteve. O centro da cidade é o local com mais casos registrados: 387, o que representa 14,5% dos casos totais da doença no município. 

O bairro Olaria, o mais populoso de Nova Friburgo, é o segundo com mais casos: são 305, ou 11,4% dos casos totais de Covid-19. O distrito de Conselheiro Paulino aparece em terceiro nessa lista, com 263 casos, ou 9,8% do total. Fechando o top-5 dos bairros mais afetados pelo novo coronavírus em Nova Friburgo, o Cônego aparece em quarto lugar com 183 casos, ou 6,8% do total. Já o bairro Braunes tem 105 registros da doença, o que representa 3,9% do total de casos no município.

Na distribuição por faixa etária, pessoas acima dos 60 anos de idade são as maiores vítimas da Covid-19, com 578 casos – ou 21,6% do total. Em seguida aparece a faixa etária de 40 a 49 anos, que registrou 574 casos, - ou 21,4% do total. Na faixa etária entre 30 e 39 anos foram registrados 567 casos – ou 21,2% do total.

Ainda de acordo com os dados disponibilizados no Painel Covid, o percentual de letalidade da Covid-19 em Nova Friburgo é de 4,07%. Além disso, os números também indicam que apenas 1,41% da população foi infectada pelo vírus e 0,04% são casos suspeitos da doença. As maiores vítimas da doença na cidade são os profissionais de saúde, que representam 13,71% dos infectados pelo novo coronavírus. 

 

LEIA MAIS

Beneficiários são os nascidos em julho. Também está liberado o saque da 6ª parcela de R$ 300 aos inscritos no Bolsa Família que têm o NIS terminado em 2

Cada espaço que suspende as atividades para frear contágio faz com que aumente o risco aos demais, até de outros bancos

MPF de Nova Friburgo requer que os governos do Estado do Rio e federal concluam o projeto

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra