Médico: proporcionalmente, Friburgo tem 1/3 a mais de mortes em relação ao Brasil

“Fato concreto, muito triste e inaceitável, que precisa ser divulgado, investigado e rapidamente corrigido”, alerta Abi-Ramia, presidente de sindicato
sexta-feira, 04 de junho de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Médico: proporcionalmente, Friburgo tem 1/3 a mais de mortes em relação ao Brasil

Com mais de 620 mortes por coronavírus nos  últimos 15 meses, Nova Friburgo tem, proporcionalmente à sua população, mais de um terço de óbitos por Covid-19 em relação ao Brasil. A constatação é do presidente do Sindicato dos Médicos do Centro-Norte Fluminense, Renato Abi-Ramia, que divulgou  dura nota sobre o assunto na última quarta-feira, 2.

“Estamos passando por um momento crítico da pandemia em Friburgo. O país, atualmente, só perde para os EUA em número de óbitos, sendo que, em relação à população, estamos em primeiro lugar, o que é profundamente lamentável. Se transferirmos os dados nacionais para aqui, teremos cerca de um terço a mais de perdas de vida, fato concreto, muito triste e inaceitável, que precisa ser divulgado, investigado e rapidamente corrigido”, afirmou Abi-Ramia.

O médico, que já foi candidato a prefeito nas eleições de 2016, criticou o atual governo municipal, que acusou de “inerte, incompetente e leniente” diante do quadro atual, com “atos confusos, improvisados, sem respaldo e decisões primárias”. Ele citou o rodízio de CNPJs, o que, segundo ele, só fez aumentar a concentração de pessoas nas ruas e ajudou a espalhar a infecção.

“A Secretaria de Saúde tem na sua cúpula pessoas totalmente despreparadas, inexperientes, arrogantes e insensíveis. Na realidade, não apresentaram nenhum planejamento estratégico exequível e calcado em evidências disponíveis. Não foi implementado o básico, ou seja, treinamento prévio das equipes atuantes na ponta, fator crucial e insubstituível”, criticou.

Abi-Ramia também condenou as prescrições de antivirais, antibióticos, corticoides, anticoagulantes e vitaminas nos casos leves, na fase viral, além de outras medicações que considera inadequadas e ineficazes, trazendo gastos desnecessários aos usuários.

O que diz a prefeitura 

A VOZ DA SERRA aguarda um posicionamento da prefeitura a respeito das críticas de Abi-Ramia.

A nota de Abi-Ramia foi divulgada dois dias após a  exoneração, a pedido, de Fabíola Braz Penna do cargo de subsecretária municipal de Vigilância em Saúde, que ela ocupava há oito anos. Uma das mais experientes e respeitadas  autoridades em saúde pública de Nova Friburgo, a enfermeira esteve no comando de todas as campanhas de imunização e combate a doenças epidêmicas na cidade,  a mais recente delas a Covid-19. A Secretaria Municipal de Saúde alegou oficialmente “motivos pessoais” para a saída de Fabíola, que é servidora concursada e continuará na prefeitura.

 

LEIA MAIS

Exame é capaz de detectar, precocemente, se a criança possui alguma doença auditiva, como surdez

Apartamentos serão entregues em Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto

Boletim da prefeitura registra, no entanto, mais 84 novos casos de quarta para quinta

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra