Justiça aceita denúncia contra homem preso após assalto em Barracão dos Mendes

Investigação sobre a conduta de dois PMs na ação depende ainda de diligências complementares e novo inquérito
terça-feira, 30 de março de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
A perseguição em Vieira, na manhã de sábado (Reproduções da web)
A perseguição em Vieira, na manhã de sábado (Reproduções da web)

A Justiça aceitou nesta segunda-feira, 29, a denúncia apresentada pelo Ministério Público contra o único homem preso após o violento assalto à distribuidora de hortifrutis Galera dos Legumes, em Barracão dos Mendes, no distrito de Campo do Coelho, ocorrido no fim de janeiro. O juiz  da 2ª Vara Criminal, Marcelo Alberto Chaves Villas, também extinguiu a punibilidade, por morte, de três assaltantes.

Segundo o juiz, os atentados contra a vida dos policiais militares no contexto do assalto devem recair sobre o denunciado, R. A investigação sobre a conduta de dois PMs na ação, na qual morreram  quatro funcionários, depende ainda de diligências   complementares e novo inquérito.

A Promotoria de Justiça de Investigação Penal de Nova Friburgo oferecu denúncia contra R. na última terça, 23. No início de fevereiro, R. já tinha tido prisão temporária decretada pelo juiz Marcelo Villas, a pedido da 151ª DP e do Ministério Público.  O réu responderá, segundo informou o Ministério Público ao jornal A VOZ DA SERRA,  por sete crimes, incluindo  latrocínio tentado, porte ilegal de arma de fogo e artefato explosivo, associação criminosa e constrangimento ilegal. 

A denúncia relata que, em 29 de janeiro, o denunciado, juntamente com três comparsas, usou  arma de fogo para roubar o estabelecimento comercial Galera dos Legumes, quando foi surpreendido por PMs que haviam sido acionados. Após troca de tiros no local, foram mortos os empregados do estabelecimento Guilherme Duarte Faria, Cristiano Fernandes e Bismarque da Cruz Leandro, além do criminoso Leomar Schuenck Silveira. Os outros dois assaltantes, Gilcimar Schuenck e Douglas Linhares Ribeiro, foram mortos em confronto armado com policiais militares em Teresópolis, na manhã seguinte ao roubo.

Ainda segundo o MP, a conduta dos PMs no confronto será objeto de outro  inquérito, policial, após diligências complementares.  Segundo o portal de notícias G1, os tiros que mataram dois funcionários e o dono da distribuidora teriam partido de fuzis de dois policiais do 11º BPM. Eles teriam sido afastados das ruas e estariam exercendo funções administrativas enquanto durarem as investigações. 

O assalto, que começou na noite de uma sexta-feira  e se estendeu até a manhã de sábado, deixou um total de seis mortos: três funcionários da distribuidora e três acusados do assalto, em dois confrontos armados. R. foi capturado durante a fuga.

Segundo o TJ, os acusados  entraram, fortemente armados, na Galera dos Legumes, de onde levaram “mediante  violência  e  grave  ameaça” cerca de  R$ 20 mil, cheques, bens pessoais pertencentes ao dono da distribuidora,  Cristiano Fernandes, e celulares de dois funcionários, Ronaldo Pagliasse Barbosa e Fernando Quintanilha de Resende.

Os investigados, segundo o TJ, fizeram várias vítimas reféns, além de agredirem e ameaçarem Cristiano.

A Polícia Militar foi acionada e, chegando ao local, foi recebida a tiros. Houve intenso confronto. “A extrema violência ocasionou a morte das vítimas Guilherme Duarte Faria e Bismarque da Cruz. Ficaram feridas pelos disparos as vítimas Cristiano (inicialmente internado em estado grave) e Gabriel. As vítimas Ronaldo Pagliasse Barbosa, Samuel José Borges e Matheus Francisco foram feridas por estilhaços”, detalhou o TJ.

Um dos acusados do crime, Leomar Schuenck Silveira, morreu no local. Ele estava, segundo o TJ, armado com uma pistola 9mm ainda carregada,  um carregador sobressalente contendo mais munição, uma  granada  e uma touca ninja.

Dentro do Jeep Renegade usado  pelo bando foram apreendidos uma espingarda calibre 12 com seis cartuchos de munição,  uma  granada,  dois  carregadores  calibre  9mm municiados, um celular e uma capa de colete.

Já na manhã seguinte, Gil Bala, Douglas e R., que conseguiram fugir, invadiram uma propriedade rural na localidade de Vieira, em Teresópolis, fazendo trabalhadores reféns.  Com a chegada dos policiais, as  vítimas  foram  liberadas e começou nova perseguição com troca de tiros.

Nesse novo confronto, os acusados Gilcimar e Douglas foram atingidos e  morreram no hospital. Com eles foram encontrados pistolas e carregadores.

O investigado R. foi preso em flagrante delito pelos crimes de tentativa de homicídio contra os policiais e porte de arma de fogo e artefato explosivo. Após a prisão, indicou que havia escondido a arma de fogo no Galpão dos Legumes, onde  foi apreendida.

Segundo o TJ, o Ministério Público se manifestou favoravelmente à decretação da prisão de R. porque  o  investigado  “demonstrou  ser indivíduo  de  extrema  periculosidade,  tendo  praticado  o  crime  em companhia  de  ao  menos  três  indivíduos,  todos  fortemente  armados, portando  granadas,  pistolas  e  carregadores”.

LEIA MAIS

Além da apreensão de cargas de entorpecentes, também foi preso um suspeito de tentar matar o próprio filho

Queda de 11% é a quarta consecutiva do indicador criminal só este ano

Muitos tinham fotos normais vinculadas a textos lascivos, de sua autoria, nas redes sociais

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: crime