Estrada Velha de Lumiar enfrenta antigos problemas

Moradores cobram solução para buracos, quedas de árvores e falta de iluminação
terça-feira, 04 de fevereiro de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Buracos na estrada alagam com as chuvas (Fotos: Henrique Pinheiro)
Buracos na estrada alagam com as chuvas (Fotos: Henrique Pinheiro)

 

Localizada a cerca de 15 quilômetros do Centro da cidade, a Estrada Velha de Lumiar tem sido motivo de muita dor de cabeça para os moradores da região. Uma estrada de terra batida que vem sendo castigada ao longo o tempo. É difícil dirigir ou viajar no banco do carona sem sair da estrada com uma dor lombar de tanto o veículo sacudir. A estrada apresenta pontos onde o calçamento é razoável, com buracos e desnivelamentos toleráveis para um piso de chão, mas a situação piora a medida em que avançamos.

Em épocas de chuva constante como a atual até um carro com tração nas quatro rodas tem dificuldades para vencer a mistura de lama, afundamento e piso escorregadio. A estrada atravessa o limite entre os distritos de Mury e Lumiar. Margeada por eucaliptos, pássaros e um grande lago, a via é uma alternativa para os que preferem chegar ao 5º distrito por outro caminho. Segundo o arquiteto Jarbas Barbosa Lopes, que aos poucos vai fixando moradia no local, há cerca de nove anos o nível da estrada vem piorando e a ausência do poder público colabora com a deterioração da via.

“Com as chuvas, a situação tem-se agravado, as águas correndo sem controle e formando crateras. O mato cresce nas margens, cobrindo o que seria o caminho das águas. Houve queda de árvores e existe o risco de novas ocorrências. Mais ou menos a um quilômetro de uma veterinária, houve um desmatamento e foram deixadas árvores em situação de risco”, disse Jarbas que continuou a listar os problemas. “Logo depois da entrada para a Pousada dos Falcões há uma árvore caída, apoiada na rede elétrica”, mostrou-se preocupado.

O arquiteto ainda constatou as dificuldades para ter acesso a sua residência, além dos problemas com falta de iluminação. “Entre os quilômetros 3,2 e 3,4 há uma subida quase intransitável. A iluminação pública é inexistente. Se a prefeitura não tomar providências urgentes, há o risco de a estrada ser fechada ao tráfego de veículos”, alertou Jarbas.

Outro morador, Luiz Freiman, estava junto a seu filho ajudando a fazer uma vala para que a água da chuva pudesse escorrer fora da estrada. “A gente faz o que dá. Não podemos esperar. Estamos abrindo esse caminho aqui para a água da chuva não prejudicar ainda mais a estrada”, disse Luiz enquanto utilizava a enxada para abrir caminho.

O que diz a prefeitura

Em nota, a prefeitura informou que uma equipe do setor de iluminação pública irá até o local mencionado pela reportagem para fazer um levantamento da quantidade de lâmpadas apagadas. A nota também informou que providenciaria os reparos para a última terça-feira. “Sobre as condições da estrada, uma equipe da Secretaria de Obras também irá até o local ainda esta semana para avaliar a situação e também providenciar os reparos necessários”.

 

LEIA MAIS

Especula-se que a feira livre do bairro possa ser transferida para o novo espaço. Há divergência de opiniões

Temperatura recorde deste inverno foi registrada na localidade rural de Salinas

“Entrar e sair é um suplício”, afirma um motorista sobre o movimento naquele ponto da estrada

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: obra | Clima