Em pleno dezembro, Friburgo ainda não sabe se terá ou não carnaval em fevereiro

Capital aguarda evolução da nova variante; Bom Jardim já cancelou a festa
quarta-feira, 01 de dezembro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
Foliã fantasiada em Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)
Foliã fantasiada em Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)

Em pleno dezembro, Nova Friburgo ainda não sabe se terá ou não carnaval em fevereiro, lembra Wanderson Nogueira em sua coluna "Observatório". 

No Rio, o prefeito Eduardo Paes foi ambíguo em sua declaração sobre os riscos da nova variante e os eventos réveillon e carnaval na capital. Ele disse que não é porque está planejado que está garantido. Em outras palavras, se os casos e mortes aumentarem com a nova variante, os eventos serão cancelados. Mas o ritmo de trabalho segue normal, com os eventos previstos.

Na Região Serrana, a vizinha Bom Jardim já cancelou a festa.

Em Nova Friburgo, as agremiações trabalham com a expectativa de ter carnaval e embasadas em declarações das próprias autoridades municipais, ainda que boa parte se sinta ressabiada. Também apostam que, com carnaval no Rio, não há argumento para não ter aqui.

No último fim de semana, inclusive, foi realizado o sorteio que definiu a ordem dos desfiles.

O colunista observa que  quem mais criticou lockdown é agora quem mais defende não ter carnaval, e vice-versa. Os que sempre defenderam não ter a folia seguirão defendendo, independente de pandemia. Se apegam agora a esse argumento da nova variante do mesmo modo que defendiam deixar bares fechados e igrejas abertas no ápice da contaminação da Covid-19. Quando não tem empecilhos, dirão que é dinheiro que poderia ser aplicado na saúde, o que é um discurso torto e raso. O fato é que o carnaval é uma festa popular, a maior do mundo. São os mesmos que não se incomodam agora com as grandes festas com ingressos pagos, mas se incomodam com o povo na rua. Em boa parte, são os mesmos contrários ao passaporte de vacina. Quem tem que ditar se terá carnaval ou não é a ciência e o monitoramento estatístico. E a vacina, é claro.

Ordem dos desfiles definida

Depois de usar como parâmetro as colocações dos anos anteriores, a Liga das Escolas de Samba de Nova Friburgo resolveu realizar um sorteio paritário, em festa ocorrida na quadra da atual campeã, Vilage. Para o domingo de carnaval a ordem será: Unidos da Saudade (que volta a abrir os desfiles depois de muitos anos), Alunos do Samba, Imperatriz de Olaria e Vilage.

Já no sábado de carnaval, dia dos desfiles dos blocos de enredo que agora são chamados de escolas de samba do grupo A, o atual campeão, Globo de Ouro, é quem abrirá os desfiles. Seguido de Bola Branca, Unidos do Imperador e com o Raio de Luar finalizando a primeira noite.

Escolha de sambas

Enquanto isso, a Imperatriz de Olaria segue para a última etapa da escolha de seu samba para o carnaval. A escola, que traz um enredo indígena, decidiu não eliminar nenhum samba nas semifinais e levará as três parcerias classificadas para a final. A direção da escola esclareceu que  o regulamento não obrigava e nem colocava como condição ter somente dois sambas na final. 

Alunos do Samba
Mudanças também na Alunos do Samba. A azul e branco do distrito de Conselheiro Paulino, que levará um enredo bem característico da escola, com pegada de crítica social, adiou a final que seria neste domingo, 5 para o próximo, dia 12. Até o fechamento dessa edição não havia batido o martelo, mas deve ter uma eliminatória neste domingo e a final no outro, com três a quatro dos seis sambas concorrentes. Nesse domingo, aliás, a agremiação realiza um festival de pastel, visando arrecadar recursos para cobrir os prejuízos causados pelo incêndio sofrido em outubro.     

 

LEIA MAIS

Em Friburgo, adiamento para maio já tinha sido decidido no último dia 6

Paciente de 79 anos e com comorbidades estava na UTI do Raul Sertã e tinha tomado duas doses da vacina

Nova lei estadual já em vigor reconhece a importância do casal, que também é símbolo emblemático das escolas de samba

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra