Covid: Friburgo antecipa a segunda dose da vacina dos adolescentes

Confira o calendário de vacinação contra a Covid-19 desta semana
sexta-feira, 26 de novembro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
Covid: Friburgo antecipa a segunda dose da vacina dos adolescentes

Com o objetivo de ampliar a cobertura vacinal contra a Covid-19 no município, a Prefeitura de Nova Friburgo, através da Secretaria Municipal de Saúde, antecipará a vacinação da segunda aplicação dos adolescentes que estão com a dose marcada até 7 de dezembro. Isso significa que adolescentes com mais de 12 anos que iriam tomar a segunda dose até o próximo dia 7 poderão buscar um posto de vacinação nesta semana para completar a imunização contra o vírus.

A vacina será aplicada na terça, quarta e quinta-feira, 30 de novembro a 2 de dezembro, das 9h às 15h, nas Unidades Básicas de Saúde, e das 9h às 13h nas Estratégias de Saúde da Família.

Na sexta-feira, 3, a aplicação da primeira e segunda doses do imunizante Coronavac será realizada na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), na Lagoinha. 

Nos próximos dias não haverá vacinação de reforço, pois o foco será na aplicação da segunda dose dos adolescentes. A imunização deste público retornará na próxima semana.

Locais de vacinação

A Secretaria de Saúde lembra que é importante prestar atenção que alguns esquemas vacinais estão sendo oferecidos somente na Uerj. Os outros locais de vacinação são: ginásios esportivos Alberto da Rosa Pinheiro (Pastão), no distrito de Conselheiro Paulino, e João Antunes Nogueira (Bieca), no bairro Cordoeira; postos de saúde José Copertino Nogueira, no bairro São Geraldo, e Tunney Kassuga, no bairro Olaria e na Uerj, das 9h às 15h, e também nas unidades do programa Estratégia de Saúde da Família (ESF) de Centenário, São Lourenço, Conquista, Campo do Coelho, Riograndina, Amparo, Nova Suíça, Olaria 1, 2 e 3, Varginha, Mury, Stucky, Vargem Alta, Lumiar e São Pedro da Serra, das 9h às 13h.    

Rio tem risco muito baixo para a doença pela primeira vez

Pela primeira vez, desde o início da pandemia, grande parte do estado do Rio de Janeiro está na bandeira verde, o que significa risco muito baixo para a transmissão da Covid-19. Estão neste cenário, a Região Metropolitana I, que inclui a capital e a Baixada Fluminense, e as regiões Metropolitana II e Serrana. No restante do estado, que são as regiões do Médio Paraíba, Baía da Ilha Grande, Centro-Sul, Noroeste, Norte e Baixada Litorânea, o mapa está com bandeira amarela, que indica risco baixo para a transmissão da doença.

De acordo com a 58ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada hoje (26) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), o número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) caiu 33%. Nos óbitos provocados pela doença, a queda ficou em 46%. A análise compara as semanas epidemiológicas 45, entre 7 e 13 de novembro; e a 43 no período de 24 a 30 de outubro.

Para o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, as áreas de bandeira verde apresentam indicadores epidemiológicos e assistenciais muito baixos e contribuíram para que a classificação final do estado fosse considerada nesta cor.

Ainda assim, Chieppe alertou que a população continue se vacinando. “Voltamos ao melhor patamar desde o início da divulgação do mapa, mas, apesar da evolução, é preciso que a população retorne aos postos para receber a segunda dose, a dose de reforço ou adicional”, afirmou.

Na avaliação da secretaria, a taxa de ocupação nas unidades de saúde segue em queda sustentável com o avanço da imunização e a diminuição de transmissão da doença. Dados da secretaria indicam que a taxa de unidade de terapia intensiva (UTI) está em 13%, e a de enfermaria, em 9%. Esses percentuais são os menores desde o início da pandemia.

Além disso, conforme a pasta, todas as regiões de saúde apresentaram taxas inferiores a 50%. “Por isso, leitos que antes eram apenas destinados ao tratamento de pacientes com covid-19 foram revertidos para outras especialidades”, informou.

Cada cor de bandeira do mapa representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social. A roxa é de risco muito alto, a vermelha é alto, a laranja é moderado, a amarela baixo e a verde muito baixo. “Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada localidade”, destacou a secretaria.

 

LEIA MAIS

Local, que vinha apenas servindo quentinhas, tinha normalizado atendimento ao público há uma semana

Friburgo tem hoje total de 12 pacientes intensivos e 43 em enfermarias. Testagem no Suspiro já começa com filas

Pontos na Via Expressa, na UPA e em Lumiar registram longas filas; Suspiro também oferecerá testagem

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra