Caso Leandro Louback: polícia identifica irmão como agressor

Segundo investigações, cabeleireiro não foi vítima de homofobia; crime teria sido decorrente de conflito familiar
sexta-feira, 11 de junho de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Leandro Louback: vítima do próprio irmão (Arquivo AVS)
Leandro Louback: vítima do próprio irmão (Arquivo AVS)

A 151ª DP (Nova Friburgo) deu como elucidado o caso do assassinato do cabeleireiro Leandro de Aguiar Louback, de 26 anos. Ele morreu no dia 30 de maio, no Hospital Municipal Raul Sertã, com graves ferimentos, sofridos no último dia 18, quando foi encontrado desacordado às margens da RJ-130 (Friburgo-Teresópolis), em Córrego Dantas.

Segundo o delegado Henrique Pessoa, o autor do crime, já identificado e ouvido no inquérito policial, trata-se do próprio irmão da vítima, que teria confessado o crime. Segundo os investigadores, o acusado não admitiu motivação homofóbica, e sim “inimizade decorrente de agressões da vítima em relação à mãe de ambos”. O inquérito continua em sigilo, devendo ser relatado ao Ministério Público até o fim da semana que vem. O irmão, que não tem antecedentes criminais, responde em liberdade.

O socorro a Leandro foi registrado como atropelamento. Inicialmente, cogitou-se ser um crime de homofobia.

O delegado Henrique Pessoa contou ao jornal A VOZ DA SERRA que lesões na cabeça despertaram suspeitas da polícia, que passou a investigar a possibilidade de morte violenta. Testemunhas relataram ameaças do irmão a Leandro. Ambos eram filhos adotivos e não se relacionavam bem, segundo Pessoa. Levado à 151ª DP nesta quinta-feira, 10, o irmão confessou ter agredido violentamente Leandro, porém sem a intenção de matar, segundo o delegado. 

Esta semana, o Portal dos Procurados chegou a divulgar um cartaz da campanha “Denuncie – Quem Matou?” para ajudar nas investigações da 151ª DP sobre a morte de Leandro Louback.

 

 

LEIA MAIS

Leandro Louback foi encontrado desacordado às margens da RJ-130 e faleceu dias depois

Empresa de limpeza foi contratada sem divulgação em jornal de grande circulação e com indício de sobrepreço de 148%, segundo o TCE

Investigação sobre a conduta de dois PMs na ação depende ainda de diligências complementares e novo inquérito

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: crime