Câmara propõe lei para proibir barulho excessivo de motos em Friburgo

Circulação de veículos com escapamento aberto aumentou, principalmente com a proliferação dos serviços de entregas em domicílio
quinta-feira, 13 de janeiro de 2022
por Jornal A Voz da Serra
Câmara propõe lei para proibir barulho excessivo de motos em Friburgo

O barulho ensurdecedor causado por algumas motocicletas que circulam pelas ruas de Nova Friburgo com o escapamento aberto é uma das principais reclamações dos moradores da cidade que chegam diariamente à redação de A VOZ DA SERRA. São leitores que se queixam do barulho excessivo, principalmente, à noite, quando o som se propaga com maior intensidade. Há reclamações também do desrespeito de alguns motociclistas que costumam acelerar em frente a hospitais e casas de repouso. Com a pandemia e a consequente proliferação dos serviços delivery (entregas em domicílio) realizadas por motoboys, a poluição sonora causada pelas motos com o escapamento aberto tornou-se ainda mais evidente tanto durante o dia, como a noite e também nas madrugadas. 

As queixas dos friburguenses chegaram também à Câmara Municipal, que se sensibilizou com a causa e, no mês passado, promoveu uma audiência pública para debater o tema e tentar encontrar uma solução para o problema. Na ocasião, o presidente da casa legislativa, vereador Wellington Moreira (PSL), reuniu no plenário o delegado titular da 151ª DP, Henrique Pessoa; o subcomandante do 11º BPM, major Fernandes; o diretor da 3ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), Waldemir Caetano Veloso; o subcomandante da Guarda Municipal, Evandro Arcanjo, o subsecretário da Secretaria de Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu), Adelmo Rodrigues Vieira; os vereadores Zezinho do Caminhão, José Carlos Schuab e Maicon Queiroz, e o diretor do Observatório Social de Nova Friburgo, Ivan Prado. 

Parceria com as forças de segurança

No encontro, foram propostas estratégias para acabar com o barulho excessivo causado por motos, como a criação de uma nova legislação municipal e parcerias entre as forças policiais e a prefeitura para que haja, concretamente, a redução desse tipo de infração, que vem sendo observada também em demais cidades, principalmente nos grandes centros, com a maior utilização de motos no trânsito brasileiro. 

A partir dessa audiência pública, o vereador Wellington Moreira elaborou, então, um projeto de lei que “dispõe sobre critérios quanto ao nível de ruído emitido por motociclistas a serem observados por quem os contratar para serviços de entrega em domicílios ou empresas, além das empresas de motoboys”. A intensidade dos ruídos emitidos por esses veículos deve ser medida por aparelhos específicos, como o decibelímetro, que identificam a intensidade do barulho emitido pelos veículos. As forças de segurança locais, no entanto, ainda não dispõem desse equipamento.

 Nesta semana, a união de esforços em combate à poluição sonora teve mais um desdobramento. A prefeitura e o 11ºBPM acertaram a realização de operações conjuntas que acontecerão em breve em locais estratégicos e sem data definida para coibir a circulação das motos barulhentas nas ruas de Nova Friburgo. “Essa audiência pública foi o ponta pé inicial para tentar solucionar esse impasse que tanto mal tem causado à nossa população e aí está o primeiro resultado”, observou o presidente da Câmara Municipal.

 

LEIA MAIS

Nova norma sancionada se aplica apenas a órgãos estaduais de trânsito como DER e Detran. Smomu alega inconstitucionalidade

Nova norma sancionada se aplica apenas a órgãos estaduais de trânsito como DER e Detran. Smomu alega inconstitucionalidade

Interdições em vários bairros começam já nesta madrugada; "rua da cerveja", Oliveira Botelho só reabrirá depois do carnaval

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra