Bandeira agora continua vermelha pelo menos até 10 de janeiro

Prefeitura de Nova Friburgo divulgou na noite desta quarta-feira novo prazo de vigência das regras em vigor
quarta-feira, 30 de dezembro de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Operário de máscara sinaliza obra com bandeira vermelha em Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)
Operário de máscara sinaliza obra com bandeira vermelha em Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)

Ainda não se sabe como a gestão do prefeito Johnny Maycon fará para aferir a cor da bandeira que vai definir as restrições das atividades comerciais no município e nem por quanto tempo ela vai vigorar.

Segundo informou a Secretaria de Comunicação de Renato Bravo, a bandeira vermelha vai permancer por mais uma semana, a partir de segunda-feira, 4, até pelo menos o domingo seguinte, 10 (e não até este domingo, 3, como anteriormente anunciado). 

Habitualmente o anúncio das bandeiras vinha sendo feito às sextas-feiras, mas, por conta dos feriados de Natal e Ano Novo, a aferição e divulgação foram excepcionalmente antecipadas pelo governo municipal. 

Desta forma, segue valendo o regramento sanitário das últimas quatro semanas para o funcionamento dos diversos setores da economia friburguense, conforme o decreto 820, publicado no dia 7 de dezembro.

As regras atuais

Na atual bandeira vermelha, as indústrias ficam autorizadas a funcionar com 65% da capacidade de operação; o comércio de rua poderá abrir as portas de 7h às 22h, todos os dias da semana; bares e lanchonetes podem funcionar com apenas 30% de sua capacidade, das 7h às 20h; já os restaurantes podem funcionar até às 23h, porém, com capacidade reduzida a 30%; os shopping centers podem funcionar das 9h às 22h, todos os dias da semana; hotéis e pousadas podem receber hóspedes normalmente; as atividades de turismo e visitação a parques também está liberada; autoescolas podem operar com 50% da ocupação de aulas teóricas por dia; academias podem abrir com 40% de sua capacidade; e os clubes sociais podem abrir apenas para caminhadas e sócios com 30% de sua capacidade em parques aquáticos, saunas e piscinas.

Por outro lado, mantêm-se suspensas as atividades relacionadas a eventos com aglomeração de público, inclusive os desportivos, boates, teatros, casas de shows e afins, parquinhos infantis - inclusive os localizados no interior de condomínios e clubes sociais e recreativos -; estádios, campos, arenas, ginásios e afins. Fica mantida a obrigatoriedade do uso de máscaras faciais em todo o território do município. Essa determinação só não vale para crianças menores de dois anos e as pessoas incapacitadas ou incapazes de remover a máscara sem assistência.

Compra de vacinas

Na tarde desta quarta-feira, 30, o prefeito Renato Bravo anunciou que, como um de seus últimos atos à frente do Executivo friburguense, deixou um documento com intenção de aquisição de 30 mil doses da vacina contra a Covid-19. O documento contém sua assinatura e do diretor-presidente da Fundação Butantan, Dr. Rui Curi.

 

LEIA MAIS

Desde o início da campanha, 84% das doses recebidas pela prefeitura foram utilizadas em Friburgo

Prefeito sancionará projeto que prevê uso em tratamentos de autismo, epilepsia refratária e dor crônica

Capital aguarda evolução da nova variante; Bom Jardim já cancelou a festa

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra