Associação de São Pedro mapeia todos os buracos entre Mury e Lumiar

Com ajuda de técnico em informática, membros da Acisps contam 109 crateras, 70 no sentido Friburgo e 39 na direção oposta
sexta-feira, 06 de março de 2020
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Cratera no meio da pista da Mury-Lumiar (Fotos: Acisps)
Cratera no meio da pista da Mury-Lumiar (Fotos: Acisps)

Um minucioso levantamento feito pela Associação do Comércio e da Indústria de São Pedro da Serra (Acisps) mapeia todos os buracos do trecho Mury-Lumiar da RJ-142 (Serramar). Verdadeiro inventário, o relatório revela que, até a última terça-feira, 3, a estrada tinha nada menos que 109 buracos. O problema não é novo, mas se agravou com as últimas chuvas.

As armadilhas são mais numerosas para quem segue no sentido para Mury, mas o perigo de acidentes ameaça motoristas e passageiros nos dois sentidos, devido a desvios bruscos ao longo da estrada. Os membros da associação contaram 70 crateras no sentido Mury e 39 no sentido Lumiar (veja a lista abaixo).

Vários dos buracos aparecem de um lado e do outro da pista no mesmo trecho, deixando o motorista sem saber para onde fugir.

Em pelo menos três trechos da estrada, a combinação de buracos torna impossível escapar sem ir para a contramão. É frequente flagrar automóveis, às vezes mais de um ao mesmo tempo, parados com pneus estourados, como costuma acontecer na altura do Km 7 (foto abaixo).

O levantamento da Acisps não contabiliza outros problemas que ampliam o risco de quem trafega pela rodovia, como dezenas de afundamentos, desgaste do asfalto, mato tomando o acostamento, quebra-molas se desmanchando,  sinalização precária, tanto horizontal quanto vertical, e drenagem ineficiente, com pelo menos três áreas em que verdadeiros riachos passam por cima da pista quando chove.

A produção do inventário de buracos da RJ-142 contou com a assistência do técnico em informática Lucas Costa. Confira abaixo a lista completa que faz parte do relatório produzido pela associação e que está sendo encaminhado para o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ) e a Prefeitura de Nova Friburgo.

Sentido Mury:

• 2 buracos depois do restaurante Casa Velha
• 1 antes dos Peões
• 1 antes entre a entrada dos Peões e o posto de combustível
• 1 antes do Poço Feio
• 3 depois da subida depois do Poço Fio
• 8 praticamente seguidos depois da Pousada Alto Astral
• 2 cerca de 100 metros mais adiante
• 1 antes da venda que comercializa Shitake
• 2 cerca de 150 metros depois da venda que comercializa shitake
• 7 depois quase seguidos entre o ponto anterior e a escolinha de Santiago
• 1 em frente à escola municipal de Santiago (o buraco está no quebra mola)
• 3 buracos 50 metros adiante do trecho anterior
• 2 antes da loja de material de construção Gripp
• 1 buraco cerca de 100 metros depois da Gripp
• 6 buracos muito perigosos depois do horto
• 1 buraco depois da ponto de venda das trutas Vale do Ypê
• 7 pouco antes e pouco depois do antigo Empório do Dengo
• 7 em sequência depois da loja Arte Mel
• 3 antes da entrada do Stucky
• 4 depois da entrada do Stucky
• 5 depois da última entrada do condomínio Stucky
• 2 depois do colégio padre franca
• Total = 70

Sentido Lumiar:

• 7 entre o colégio Padre Franca e o último acesso ao Stucky
• 5 entre o último acesso ao Stucky e a loja Arte Mel
• 1 depois da entrada de Vargem Alta
• 9 entre Vargem Alta e o Horto
• 6 nos 150 metros antes da entrada de Galdinópolis
• 2 depois da entrada de Galdinópolis
• 2 antes e 1 depois da loja de venda de Shitake 
• 4 antes da subida perto da Pousada Alto Astral
• 1 antes do Poço Feio
• 1 depois da ponte dos Peões
• 1 antes da curva do restaurante Casa Velha
• Total = 39

A VOZ DA SERRA aguarda resposta do DER-RJ e da Prefeitura de Nova Friburgo.

LEIA MAIS

Linhas que ligam Friburgo a Teresópolis farão parada na Av. Euterpe; para Cachoeiras, próximo ao Paissandu

Previsão era que a segunda etapa da obra ficasse pronta até o final de abril. Prazo agora é junho

Obra é uma antiga reivindicação e vai custar R$ 1.239.646. Previsão de conclusão é em setembro

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Trânsito | obra