Apesar da celeuma, complexo cultural Bima vence consulta popular

Ao anunciar resultado, no entanto, prefeito deixa claro que obra não será entregue em seu governo e terreno no Suspiro continuará sendo usado para outros fins
quarta-feira, 03 de agosto de 2022
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
O projeto da Bima (Arquivo AVS)
O projeto da Bima (Arquivo AVS)

Apesar de tanta celeuma, o projeto da Fundação Biblioteca Internacional Machado de Assis (Bima) acabou sendo o grande vencedor da consulta popular relâmpago realizada pelo governo Johnny Maycon para a população opinar sobre qual a melhor destinação do terreno anexo à Praça do Suspiro. 

A consulta foi realizada, pela internet, durante uma semana, da terça-feira passada, 26, quando foi anunciada, até esta terça, 2. O  resultado foi divulgado na tarde desta quarta, 3, pelo próprio prefeito, em rede social. O único pré-requisito para votar era possuir um email válido.

Ao todo, 6.776 pessoas participaram da consulta. A Bima ganhou a disputa, apertada, com 2.507 votos (37% do total). Em segundo lugar ficou a opção “espaço para eventos”, com 2.236 votos, 33% do total. A Praça da Cerveja ficou em terceiro lugar, com 1.856 votos, 27,4% do total. Houve ainda 177 votos (2,6%) em forma de sugestões, a quarta opção dada pela prefeitura. Entre elas, unificar propostas criando uma área para eventos e cerveja; criação de espaço de lazer arborizado e com gramado; implantação de um centro de convivência para idosos; e implantação de uma unidade de saúde.

Mesmo com a consulta, a instalação da Bima no terreno de mais de dois mil metros quadrados anexo à Praça do Suspiro já estava aprovada pela Câmara Municipal há sete meses, com o voto de todos os vereadores, e tem até provisão de R$ 6 milhões em  recursos do Legislativo estadual para o projeto executivo - um compromisso firmado pelo próprio presidente da Alerj, André Ceciliano, durante  visita a Friburgo, em junho. A Lei Municipal 4.857, de dezembro passado, autoriza a prefeitura a criar a Fundação Bima exatamente naquele local, o que no jargão jurídico se chama “afetação” - a destinação de um bem público.

Apesar disso, o prefeito insistiu na consulta popular e até cogitou mudar a lei caso outra opção prevalecesse conforme a vontade popular.

Ao divulgar o resultado, Johnny Maycon disse, no entanto, que dificilmente a Bima será entregue até o fim de seu governo, em 2024, e que até lá o espaço vai ser mesmo utilizado para outros fins, pois “não pode ficar ocioso”.

Ele alegou ser a Bima “um projeto sensacional, incrível, a nível do Museu do Amanhã, no Rio, porém muito custoso”. Disse que seu governo não tem condições de  investir “dezenas de milhões de reais” na obra, que “com toda a sinceridade e transparência, vai levar anos”.

Questionada por A VOZ DA SERRA sobre a lisura da consulta e que tipo de controle foi feito para evitar manipulações dos votos, a prefeitura respondeu, na noite desta quarta,  que foi utilizada a ferramenta Google Forms, que oferece um nível de segurança alto quanto a invasões. A prefeitura admitiu ser possível que pessoas de fora da cidade possam ter votado. Porém, argumentou que como uma das opções, a da Bima, é de grande envergadura e impactará não só a cidade, mas também toda a região, talvez até o Brasil. Por isso, segundo o governo,  não foi estabelecida uma ferramenta para impedir participações externas, embora a administração estime que a adesão nos limites de Friburgo tenha sido mais evidente. A prefeitura também admitiu ser possível  uma mesma pessoa usar diferentes emails para votar mais de uma vez, mas ponderou ser isto possível de forma igualitária para todas as opções.

Espaço de R$ 5,8 milhões

O  terreno foi desapropriado pelo governo municipal em 2019, ainda na gestão Renato Bravo, por R$ 5,8 milhões, “para instalação de equipamentos urbanos, de utilidade e interesse público”. A compra fez parte de um pacote de quase R$ 26 milhões em obras anunciado pelo então prefeito. O valor, segundo a prefeitura explicou na época, foi fruto de uma venda de ações que, a princípio, estava condicionada ao projeto de aquisição do prédio da antiga Fábrica Ypu para a instalação de órgãos municipais. No entanto, como o município perdeu o processo que movia para efetuar a compra, optou por uma nova destinação do dinheiro.

Menina-dos-olhos do secretário da Casa Civil, Pierre Moraes (acima) desde que era vereador e colega de Johnny Maycon na Câmara, a Bima pretende ser a primeira smart physical library do mundo. O projeto prevê um moderno complexo multicultural e multifuncional, com vários recursos tecnológicoss, espaços para e-games, seminários e exposições, cineteatro, shows e eventos para até 12 mil pessoas. Artistas e escritores que nasceram ou tiveram momentos marcantes em Friburgo, como Guignard, Carlos Drummond de Andrade, Rui Barbosa, Machado de Assis, Joaquim Nabuco, Villa-Lobos, Lygia Pape, Casimiro de Abreu e Benito di Paula seriam homenageados, assim como as dez colônias de Friburgo, que contariam com um calendário fixo de eventos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: