2 de julho - Dia do Hospital

Um lugar de dor e sofrimento, mas também de cura e renascimento
sábado, 04 de julho de 2020
por Jornal A Voz da Serra
Dona Jacirene Candido, 69 anos (Foto: Acervo pessoal)
Dona Jacirene Candido, 69 anos (Foto: Acervo pessoal)

Situações de dor, aflição ou desconforto logo nos levam a buscar proteção e alívio nesses momentos. Suspeitar que se está doente nos dá um sinal de alerta que é enviado ao nosso cérebro, nos remetendo, quase que involuntariamente, à imagem de um hospital como o lugar certo para nos socorrer. E isso ficou ainda mais evidente nesse atual cenário pandêmico no qual o mundo todo está mergulhado. 

O Dia do Hospital, comemorado em 2 de julho, homenageia todas as instituições e também uma classe de trabalhadores essencial no setor: os profissionais de saúde que estão na linha de frente de um evento de grandes proporções, como agora. 

Médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, psicólogos, fisioterapeutas, assistente sociais, farmacêuticos, atendentes, encarregados da limpeza e demais funcionários de hospitais e centros recém montados para atender a população, lutam diária e incessantemente contra a pandemia do novo coronavírus. 

Os aplausos chegam de todos os cantos do país e também por vídeos nas redes sociais. Os agradecimentos se multiplicam. Durante plantões, emergências e crises, eles usam todo o conhecimento adquirido para salvar vidas, no cuidado para amenizar o sofrimento, com a técnica a serviço da informação e o trabalho para impedir o avanço de um inimigo invisível.

Com os hospitais pressionados pelo aumento no número de casos, crescem também as baixas entre os profissionais de saúde que lutam contra a pandemia. Milhares foram afastados porque contraíram o vírus ou estão sem condições psicológicas de trabalhar.

O que aprendemos vai além das descobertas científicas. Em tempos de pandemia, o ponto ressaltado constantemente pelos médicos e profissionais da saúde foi a solidariedade. A produção e doação de máscaras caseiras em diversos estados e municípios, o auxílio oferecido aos vizinhos que são do grupo de risco e o acolhimento de idosos em situação de vulnerabilidade são vistos nos últimos meses. 

Aos profissionais de saúde que estão dando suas vidas no combate contra a Covid-19, nossa eterna gratidão e admiração!

Foto da galeria

LEIA MAIS

Em toda a sua história, o Raul Sertã passou por várias administrações e sofreu inúmeras intervenções

Da Santa Casa de Misericórdia à unidade regional de hoje

Como funcionava o antigo Hospital Santo Antônio, em 1963, quando o pediatra Joâo Hélio Rocha mudou-se para a cidade

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra