Trabalhadores da indústria e do transporte incluídos no grupo prioritário da vacina

Agora, por decisão do Ministério da Saúde, alvos preferenciais no combate à Covid são 77 milhões de pessoas no Brasil inteiro
sábado, 23 de janeiro de 2021
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Greve dos caminhoneiros na Terê-Fri em 2018 (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
Greve dos caminhoneiros na Terê-Fri em 2018 (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

Após a ameaça de uma eventual greve dos caminhoneiros, o governo Bolsonaro incluiu a categoria na lista do grupo de prioridades para o recebimento das vacinas contra Covid-19 no país, conforme atualização do plano nacional de imunização enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No documento encaminhado pela Advocacia-Geral da União ao Supremona noite desta quinta-feira, 21, o Ministério da Saúde contabiliza 1,24 milhão de caminhoneiros como potenciais alvos do plano de vacinação, elevando o total de pessoas do grupo prioritário para 77,2 milhões.

Nessa atualização, o plano adicionou os trabalhadores industriais e trabalhadores portuários. Também detalhou o que chamava apenas de “trabalhadores do transporte coletivo” e “transportadores rodoviários de carga”.

O Ministério da Saúde explicou que os grupos prioritários foram baseados em princípios similares estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a pasta, o objetivo principal da vacinação é reduzir os números de mortes e casos de Covid-19, bem como "a manutenção do funcionamento da força de trabalho dos serviços de saúde e a manutenção do funcionamento dos serviços essenciais".

 

LEIA MAIS

Desse número, 55 friburguenses doaram sangue pela primeira vez

Autoridades de saúde do município relacionam atual cenário epidemiológico ao clima do inverno, quando aumenta disseminação de síndromes gripais

Veículo foi visto em Cabo Frio, junto a festa e churrasco, no último fim de semana

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra