Trabalhadores da indústria e do transporte incluídos no grupo prioritário da vacina

Agora, por decisão do Ministério da Saúde, alvos preferenciais no combate à Covid são 77 milhões de pessoas no Brasil inteiro
sábado, 23 de janeiro de 2021
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Greve dos caminhoneiros na Terê-Fri em 2018 (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
Greve dos caminhoneiros na Terê-Fri em 2018 (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

Após a ameaça de uma eventual greve dos caminhoneiros, o governo Bolsonaro incluiu a categoria na lista do grupo de prioridades para o recebimento das vacinas contra Covid-19 no país, conforme atualização do plano nacional de imunização enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No documento encaminhado pela Advocacia-Geral da União ao Supremona noite desta quinta-feira, 21, o Ministério da Saúde contabiliza 1,24 milhão de caminhoneiros como potenciais alvos do plano de vacinação, elevando o total de pessoas do grupo prioritário para 77,2 milhões.

Nessa atualização, o plano adicionou os trabalhadores industriais e trabalhadores portuários. Também detalhou o que chamava apenas de “trabalhadores do transporte coletivo” e “transportadores rodoviários de carga”.

O Ministério da Saúde explicou que os grupos prioritários foram baseados em princípios similares estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a pasta, o objetivo principal da vacinação é reduzir os números de mortes e casos de Covid-19, bem como "a manutenção do funcionamento da força de trabalho dos serviços de saúde e a manutenção do funcionamento dos serviços essenciais".

 

LEIA MAIS

Município deve receber ainda no início desta semana mais 590 doses da Coronavac

Noroeste Fluminense evolui para vermelha, assim como Friburgo; Centro-Sul segue em laranja

Por novo decreto, restaurantes fecham mais cedo, às 20h, e bares só poderão funcionar com delivery

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra