São Pedro da Serra com um colorido novo e charmoso a partir deste feriadão

Primeira Mostra de Arte na Rua começa neste sábado, espalhando mais de 20 obras pela rua principal da vila
quarta-feira, 06 de outubro de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
"O Músico de Rua Invisível" foi a aposta de Fabiano Freitas (Divulgação)

Começa neste sábado, 9, dando um colorido novo e charmoso ao feriadão de Aparecida em Nova Friburgo, a 1ª Mostra de Arte na Rua de São Pedro da Serra. São mais de 20 obras inspiradas pelo tema da exposição:  “O essencial é invisível”. Feitas com técnicas e materiais variados, as obras estarão espalhadas ao longo de toda a rua principal da vila, desde a praça do Coreto até pouco depois do Largo do Estrela, numa espécie de museu a céu aberto.

Para conhecê-las, os visitantes precisarão apenas usar  o mapa digital que encontrarão no portal www.visitesaopedrodaserra.com.br, numa verdadeira caça ao tesouro. Cada obra estará aos cuidados de alguma loja,  restaurante ou galeria. Ao fim do percurso, o visitante poderá, no portal, votar naquela que mais gostou.

Iniciativa da Associação do Comércio e da Indústria de São Pedro da Serra (Acisps), a mostra é uma forma de dar ainda mais visibilidade aos artistas que têm ateliê na vila ou que frequentam e vendem suas peças na região, além de oferecer ao visitante uma experiência sensorial diferente. 

A exposição foi também uma opção criativa que a Acisps encontrou para estimular as pessoas a deixarem seus carros nas pousadas e em casa e descobrirem a pé os encantos de São Pedro. 

A Acisps também destinou uma pequena verba para distribuir entre os 15 artistas que primeiro instalassem suas peças. Cada um irá receber uma ajuda de custo de R$ 100. 

Dividida em três fases, a mostra começa pela etapa competitiva, que vai desde o sábado de abertura até o encerramento, previsto para acontecer no fim do ano. Durante todo este período as obras serão avaliadas por dois jurados, que darão notas em três quesitos: beleza, originalidade e proximidade com o tema proposto. O resultado da votação na internet funcionará como um terceiro jurado.

 A classificação final será definida pela média feita a partir das notas dos jurados e da internet. No réveillon, a primeira, segunda e terceira peças mais bem avaliadas receberão prêmios de R$ 500, R$ 300 e R$ 200, respectivamente.

Terminada a fase competitiva, as obras que os artistas decidirem manter nos pontos vão continuar em exposição até o carnaval de 2022, quando acontecerá a terceira e última etapa da mostra: um leilão beneficente, com metade da renda destinada ao Lar Abrigo Amor a Jesus (Laje), que cuida de dezenas de idosos em Nova Friburgo. A participação, contudo, não é obrigatória. Irão a leilão apenas as obras liberadas pelos artistas e que não tiverem sido vendidas até lá. Duas delas, por exemplo, já foram arrematadas antes mesmo da abertura da mostra. E o lance mínimo será estipulado pelo próprio artista.

 "Ao todo, somando os pedidos de entrada em cima da hora, devemos chegar a 25 obras. A adesão foi surpreendente. Passamos muito do número de participantes que esperávamos para uma primeira edição. Tem esculturas, pinturas, instalações das mais variadas. Cada artista fez uma leitura bem livre do tema, que já era bem abrangente. E todos pareceram curtir muito fazer parte dessa grande brincadeira artística", diz João Carlos Leal, diretor da Acisps que trabalhou na coordenação do evento.

Lista das obras:

  • Ayesha Khan – “Janela da alma” – na Galeria Serrana

  • Laysa Takano – “Relatos Aleatórios Associativos 1: Café” - no Cacau da Serra (*)

  • Laysa Takano – (*) – no Estrelícia

  • Cristal – (*) – na Galeria da Galo da Serra

  • Kenia Souza – “Liberdade” – no Opaatem

  • Jorge Tardin e Edna Heringer – “Alô, alô Marciano” – na loja Delícias da Bete

  • Ana Paula Daflon – “Os Doidos Varridos” – na Coisas Nossas

  • André Napoles – “Love” – Casa Napoles

  • Luizmar Mozer e Leonardo Neves – “A Arte Ultrapassa a Tela” – na Agropet

  • Gilberto – (*) – Garimpo do Tempo.

  • Laysa Takano – “(Entre)Linhas” – Restaurante Segredo (no Walkyria Haus)

  • Ana e Paulo Ritter – “Lisbela, a Sustentável Leveza de Ser” – Ateliê Paulo Ritter (no Walkyria Haus)

  • Regina de Paula – “Passarinhada” – Cantina Florêncio

  • Renata Rittes – “Mister Eco Blue” – no CháterapiaArte (em frente à igreja católica).

  • Ana Paula Daflon – “A Mulher Invisível” – na loja Doidas Varridas

  • Rosane Amora – “Luminosidade” – Camisetaria Rosane Amora, no Shopping Ulyana

  • Erivelto Mozer – “Meia Luz” – no Serrasobras

  • Telma Bayer – (*) – no Amo Brechó

  • Nadine Val – (*) – no café Dona Ruth (Casa dos Saberes)

  • Magali – “Ducha Sempre Viva” – na Loja Sempre Viva

  • Marcelo Auad – “Resumo da Alma” – na Taberna dos Sinos

  • Gilberto Ferreira – “Contemplando o Invisível” – no Armazém Andar de Cima

  • Clayse Cunha – “O som é invisível” e outras obras – Ateliê Degustarte

  • Michel Dias – “BioAnimus” - no Refazenda (no Largo do Estrela)

  • Fabiano de Freitas – “O Músico de Rua Invisível” – no Adeliê Gourmet

(*) peça ainda não instalada, não concluída ou sem título

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: