Prédio do antigo Fórum de Nova Friburgo sofre com deterioração

Prefeitura diz que aguarda tempo melhorar para fazer reparos no telhado e, em seguida, recuperar a parte interna
sexta-feira, 17 de janeiro de 2020
por Lyvia Stael (lyvia@avozdaserra.com.br)
O estado das paredes do prédio histórico (Fotos: Henrique Pinheiro)
O estado das paredes do prédio histórico (Fotos: Henrique Pinheiro)

Uma das construções mais antigas de Nova Friburgo, o prédio de referência turística e arquitetônica na Praça Getúlio Vargas onde por décadas funcionou o Fórum Júlio Vieira Zamith chama a atenção por sua beleza e estilo. A construção, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), no entanto, não está sendo conservada como deveria e sofre com a crescente deterioração.

Após denúncias, a equipe de reportagem de A VOZ DA SERRA foi até o local e constatou o mau estado de conservação externa – pintura da fachada descascando; infiltrações no teto e paredes, além de inúmeras rachaduras, principalmente nas colunas, tão representativas no conjunto da obra. Em algumas delas chegam a faltar pedaços do reboco. Há ainda muita sujeira, garrafas pet e lixo acumulados pelos cantos, e cobertores guardados nas sacadas.

Um prédio cuja conservação é de interesse público se vincula à história da cidade e possui um valor inestimável para a sociedade. Construído em 1944, o antigo fórum impressiona pela suntuosidade e grandes colunas gregas. A escolha pelo estilo greco-romano fazia referência à Justiça. A obra relembra a tradição e faz parte da memória da cidade, até o início dos anos 2000, as instalações sediaram o Fórum de Nova Friburgo - daí o espaço ser conhecido como “antigo fórum” até hoje.

Após a transferência dos serviços judiciários para um novo prédio, na Avenida Euterpe Friburguense, o imóvel da Praça Getúlio Vargas ficou fechado e sem conservação por algum tempo. Em 2004, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro fez a reforma do prédio para abrigar os cartórios eleitorais. Desde então, o governo estadual cedeu o 2º pavimento e algumas salas do térreo para uso da Prefeitura de Nova Friburgo.

Atualmente, o município utiliza o local como sede da Oficina-Escola de Artes e da União Brasileira de Trovadores (UBT). A prefeitura informou que está aguardando a melhora do tempo para fazer reparos no telhado e, em seguida, recuperar a parte interna do prédio.

 

LEIA MAIS

Cansados de esperar por melhorias, vizinhos se unem em mutirão de limpeza

Os 285 alunos da Lafayette Bravo Filho precisam se deslocar até o Centro de Conselheiro para estudar em prédio improvisado

Obra ao longo de 160 metros da via é para substituição da rede de esgotos

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Patrimonio | obra