“O setor de eventos é o nosso maior desafio”, diz novo secretário de Turismo

Em entrevista exclusiva, Osório Junior Tardim anuncia suas prioridades neste momento de crise e pandemia
sábado, 15 de agosto de 2020
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
Osório Junior Tardim, novo secretário de Turismo de Nova Friburgo
Osório Junior Tardim, novo secretário de Turismo de Nova Friburgo

O novo secretário de Turismo, Osório Junior Tardim, servidor efetivo do município, já fazia parte do quadro da Secretaria de Turismo desde 2010. Em 2018, assumiu a Subsecretaria de Turismo e Marketing com atividades voltadas, principalmente, à elaboração de projetos, da promoção turística e de eventos municipais. 

Ele iniciou o trabalho na área de turismo em Colônia, na Alemanha, em 2005, formou-se técnico em Turismo e Hospitalidade e também em Guia de Turismo (Regional/Nacional/América do Sul), com atuação junto a diversas agências e operadoras de turismo de Nova Friburgo e região. Atualmente está no último período do curso superior de Tecnologia em Gestão de Turismo. Nesta entrevista ele fala dos desafios para a retomada do setor. Confira os projetos para o turismo em Friburgo.
 

AVS: Com a nova gestão na pasta do Turismo, está prevista alguma alteração no que estava programado para os próximos meses? Tem algum projeto novo em vista para incluir?
 

Osório Junior Tardim: A nova gestão na pasta do Turismo não tem pretensão de realizar alterações no que estava programado para os próximos meses. Estamos passando por um momento atípico, em que é vivido um “novo normal”, com isso, como em todos os setores, estamos aprendendo e nos readaptando às necessidades que surgem ao longo do caminho. O setor de eventos, um dos mais afetados pela pandemia, é agora nosso maior desafio. No momento, estamos estudando protocolos para viabilização dos mesmos, assim que for seguro e possível.
 

Quais estão confirmados, por enquanto?

São vários: implementação do Manual de Biossegurança para Meios de Hospedagem; conscientização do trade para aderir aos selos Turismo Consciente e Turismo Responsável; projeto de sinalização turística viária;  intensificação nas ações de promoção do destino Nova Friburgo; reforma da Casa do Artesão – Pavilhão das Artes; e Feira de Artesanato on-line.


O espaço Estação Cidadania, em Olaria, pode ser aproveitada pela sua secretaria, juntamente com Esportes e Cultura, para promover atividades naquele espaço?


Sem dúvida, a Estação será de grande proveito para o nosso setor, e está situada num espaço estratégico para realização de eventos.


O que está sendo “pensado” para atrair turistas para as festas de fim de ano?


No momento, em virtude da realidade que estamos vivendo, ainda não existe uma definição concreta sobre eventos e festas presenciais. Algumas alternativas como lives e ações não presenciais estão sendo estudadas.


Quanto às férias de verão, algum projeto para divulgar o município como um destino atraente e diversificado?


Sim. Nova Friburgo é bastante procurada no verão por aqueles que buscam uma temperatura mais amena e aproveitam nossos belos rios e cachoeiras. Acreditamos que, além do inverno, o verão é também uma estação que merece ser potencialmente trabalhada. Ações de promoção turística serão intensificadas para chamar a atenção dos nossos turistas em potencial, principalmente da capital do Estado, um dos maiores polos emissores de turistas do Brasil.


De que forma a pandemia atrapalha uma programação voltada para os turistas e o que está sendo feito para protegê-los de contaminação pelo coronavírus?


A pandemia afeta em todos os sentidos, tanto em quantidade e capacidade de carga, quanto também na forma através da qual se é realizado. Os protocolos da OMS são bastante taxativos no que diz respeito à aglomeração de pessoas neste momento. Por isso o turismo vem se reinventando para sobreviver a esta fase.

A implementação do Manual de Biossegurança para Meios de Hospedagem é um exemplo de como isso está sendo feito. Os meios de transportes coletivos, através dos quais a maioria de nossos turistas chegam a Nova Friburgo, começaram a se adaptar para atender às novas necessidades, uma vez que houve uma grande tendência das pessoas fazerem passeios de curta duração, utilizando seus próprios veículos.


 

LEIA MAIS

País é o segundo no mundo com mais mortes pela doença, atrás apenas dos EUA, que já tiveram mais de 218 mil vidas perdidas

Setor de estética foi um dos mais impactados com o isolamento social imposto pela pandemia de coronavírus

As quatro escolas de samba já teriam entrado em consenso para não ter desfile na Alberto Braune

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra