Mulheres que são símbolos do carnaval friburguense

Conheça três personalidades que não trocam a folia na cidade por nada
sábado, 22 de fevereiro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
Mulheres que são símbolos do carnaval friburguense

Marly Pinel, a presença hors-concours do carnaval de Nova Friburgo

Em entrevista concedida a este jornal em outubro passado, Marly Pinel, figura icônica do carnaval friburguense, antecipou: “Já tenho agendado meus primeiros compromissos para 2020, que são os desfiles nas quatro escolas de samba de Friburgo, além dos blocos”. E aqui estamos, para confirmar a agenda.

É assim há décadas. A participação de Marly é uma tradição da qual o povo que faz e o que assiste aos desfiles das escolas, não abre mão. Ela é rainha, hors-concours, mas sempre rainha. Quanto à energia que passa, o brilho nos olhos, o sorriso constante, ela diz que é “normal”. Nenhum segredo: 

“Sou assim, nasci assim num sítio em Conselheiro Paulino, crescendo saudável e livre. Nossa diversão era ir à missa aos domingos, jogar futebol, e dançar no clube com meu pai. Aprendi a costurar por necessidade. Quando precisava de uma roupa nova, eu mesma fazia. Tomei gosto e faço isso até hoje, reformo uma peça quando quero, reaproveito o que dá”, contou, ressaltando que ela mesma cria e produz suas fantasias.

Aos 83 anos, Marly vive a vida como quer e gosta, se cuidando e sem reclamar de nada. “Não me meto na vida dos outros, nem dou espaço para maledicências. Não julgo ninguém e penso que cada um é responsável pelos seus atos. A vida é preciosa, bela e curta, para se dar importância ao que não tem. Todo dia, quando acordo, agradeço a Deus por tudo que tenho”, resumiu.

Portanto, não admira que seu alto astral contagie o público quando ela entra na avenida, transmitindo esse prazer e alegria de viver, que poderão ser conferidos neste sábado, no domingo, na segunda e terça-feira. 

Por enquanto, estão confirmadas as seguintes participações de Marly: na velha guarda da Vilage no Samba; como Baronesa do Café, na Alunos do Samba; musa inspiradora dos poetas na Imperatriz de Olaria; na comissão de frente na Raio de Luar e na Globo de Ouro; além de brincar na Banda dos 9 aos 90, e como destaque no bloco Urubu da Serra. 

A maratona carnavalesca de Marly Pinel está só começando. Viva ela! 

Rosângela Cassano recorda momentos marcantes e felizes de seus carnavais

“Desfilei a primeira vez na barriga de minha mãe, Eda Cassano, no Salgueiro. Naquela época ela era da Comissão de Frente. Participei também dos concursos de fantasias infantis do Clube Magnatas, do Club Municipal do Rio, e aqui em Friburgo fui campeã por sete anos seguidos.

Com quatro anos vim para Nova Friburgo com meus pais - que estavam montando uma livraria na cidade -, para participar do primeiro carnaval, no baile da Campesina Friburguense. Me viram sambando, muito pequenina e fofuxa… 

Os que se tornariam mais tarde meus amigos, Eduardo Rodrigues, Leônidas e Tereza da Vilage, me convidaram para sair na escola Vilage no Samba. Minha mãe disse que poderia, mas, antes, precisava saber se meu pai autorizava. Assim começou minha história com o carnaval friburguense!!!

Minha mãe desfilou durante anos como destaque nos concursos de fantasias, obtendo inúmeras vitórias, até se tornar hors-concours. Também produzia fantasias para vários destaques, como o Gilson Raposo, Paulo da Serrana, Soledade Portela… E fez vários amigos.

Fui eleita Rainha do Carnaval, pela Vilage, e pelo meu trabalho, recebi, como reconhecimento, o título de Embaixatriz do Carnaval, do prefeito Heródoto Bento de Mello, e dos queridos e então secretários Sílvio Ruiz Galvez e Dilva Maria de Moraes.

Ainda muito jovem fui empossada como diretora de festas da Secretaria de Turismo, e nesta função coordenei o carnaval por vários anos, sendo também responsável pelos concursos de fantasias Municipal e Nacional, e reeditando o Concurso de Fantasias Infantil.

Hoje, sou destaque da Vilage e membro da diretoria, no cargo de diretora jurídica.Tive a honra de participar de uma linda homenagem à minha mãe, com a inauguração de um monumento assinado pelo artista plástico Felga de Moraes, uma iniciativa do Rotary Club Nova Friburgo e da Vilage no Samba.

No momento, estou emocionada com o convite de Gilson Raposo - que teve sua primeira fantasia de luxo confeccionada por minha mãe - e de Alaelson Corrêa, campeão por diversos anos, para usar uma fantasia em homenagem à minha mãe e a Eduardo Rodrigues, no Concurso de Fantasias. Este ano vou desfilar pela Vila com o enredo “Roteiro de Cinema”, como Rainha Elisabeth. 

Aproveito a oportunidade para agradecer a todos pelo carinho e respeito à nossa história, minha e da minha mãe. Especialmente ao jornal A VOZ DA SERRA, a Laercio Ventura (in memorian) e Adriana Ventura por divulgarem nossa contribuição para o carnaval friburguense e sobre as nossas vidas ao longo de décadas!”

Lucimar Corrêa, da Alunão, uma das fundadoras da escola azul e branca de Conselheiro Paulino

“A Alunos do Samba é a minha segunda casa. Fazer parte desta comunidade me faz feliz, me traz a lembrança de tanta gente querida que já passou por aqui, e de muitos momentos inesquecíveis de alegria. Como no carnaval de 1987, no campeonato do carnaval de 1990 - ano em que eu era presidente, entre outros momentos. Neste ano de 2020, terei a honra de desfilar como destaque central do Abre-Alas, com a fantasia de Rainha da Corte Portuguesa. Por tudo isso, viva a festa do carnaval, que tem a capacidade de transformar uma cidadã conselheirense, em Rainha!”.

 

 

LEIA MAIS

Cerca de 50 mil turistas estiveram na cidade durante os quatro dias de folia

O jovem Kaio Veiga de Souza, de 15 anos, é também um admirador do jornalismo

Roxo e branco alegou que adversária desfilou com um homem na ala das baianas, o que é proibido. Só que o “homem” em questão é uma mulher trans que, inclusive, fez a alteração de gênero no seu registro civil

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: carnaval