Motocross: reconstrução da pista Swian Zanoni está mais próxima

Local recebeu grandes eventos da modalidade ao longo de sua história
quarta-feira, 04 de agosto de 2021
por Vinicius Gastin
Pista Swian Zanoni recebeu grandes eventos de motocross
Pista Swian Zanoni recebeu grandes eventos de motocross

No final do mês passado, Evandro Maurício Féo, presidente da Federação de Motocross do Rio de Janeiro, fez uma visita à pista de motocross de Nova Friburgo na região da Ceasa, em Conquista, distrito de Campo do Coelho, batizada com o nome do saudoso Swian Zanoni. Junto a ele estavam Eduardo Mastrângelo, o Cabritinha, um dos grandes entusiastas da modalidade no município, e o presidente da Federação de Motociclismo do Rio de Janeiro, Paulo Monteiro.

“Conseguimos, enfim, reunir as duas principais forças da modalidade no estado do Rio, em torno de um projeto grandioso de um novo campeonato, dentro de uma nova gestão. É um momento histórico, justamente em uma pista que consagrou tantos campeões e revelou tantos talentos. Venho brigando há muito tempo por isso em Nova Friburgo. As coisas estão realmente acontecendo”, comemora Cabritinha.

A expectativa é pelo retorno do Campeonato Carioca de Motocross para breve. Contudo, para este ano, a participação de Nova Friburgo como sede fica inviável, exatamente pela impossibilidade de ter público no evento. “Também não acho que seria interessante para a cidade, e por isso, precisamos aguardar novas diretrizes quanto a isso”, reforça.

Apesar desse adiamento, aumentando a ansiedade de todos os apaixonados e envolvidos com o motocross em Nova Friburgo, Cabritinha afirma que a pista será construída. Paulo Monteiro, engenheiro de pista da Federação Estadual de Motocross, será o responsável por fazer a homologação do espaço, para que fique em conformidade com as legislações pertinentes.

“Agradeço ao prefeito Jhonny Maycon, que desde o começo pediu para que me procurassem para reativarmos o motocross. Também estreitamos laços com o vice-prefeito Serginho e o secretário de esportes, João Victor. Passamos sete meses elaborando tudo, e a partir de agora, enfim, poderemos iniciar essa reconstrução no nível que Nova Friburgo merece, com pessoas capacitadas para isso, com a homologação da Federação”, destacou Cabritinha.

O primeiro passo para o tão sonhado retorno do motocross ao município está dado. A expectativa é que as obras sejam iniciadas nas próximas semanas. No antigo espaço, muitos pilotos de alto nível desfilaram talento, contribuindo para enriquecer a história da modalidade com capítulos no município. O evento inaugural aconteceu nos dias 21 e 22 de março de 2009, com a abertura do Campeonato Carioca de Motocross e a participação de cerca de 300 pilotos de todo o estado. A estrutura, a nível de competição nacional, contava com arquibancada montada para 20 mil pessoas, área de boxe - até então vista somente em Indaiatuba-SP.

O sonho de reviver a saudosa pista contou com diversos episódios, até que voltou a ficar distante. Em julho de 2017, o espaço foi desmanchado, e desde então, teve início a mobilização de alguns pilotos e representantes da modalidade na região para a construção de uma nova pista na cidade. O fechamento da pista Swian Zanoni para a construção de um estacionamento para o Ceasa gerou revolta e fez crescer o movimento pela busca de um novo local.

Uma reunião, em 2017, entre o diretor do Friburgo Motocross Clube, Eduardo Mastrângelo, o Cabritinha, e o então prefeito Renato Bravo, terminou com o comprometimento da prefeitura em doar um novo terreno para a construção de um motódromo definitivo. A nova pista seria construída também na rodovia RJ-130 (Nova Friburgo-Teresópolis), na altura de Conquista, próximo ao acesso à localidade de Cardinot.

O espaço passou pelo processo de aterramento no pós-tragédia, mas pertence ao Governo do Estado do Rio de Janeiro e está à disposição do Codim (Companha de Desenvolvimento do Estado), responsável pela construção do Parque Industrial da região. No entanto, não houve avanços na tratativa com o Estado para a liberação do espaço.

De acordo com os primeiros projetos, o espaço que abrigava o motódromo Swian Zanoni seria destinado à construção de um centro de convenções. Desde então, a informação era a de que a prefeitura negociava a compra de um terreno ao lado, que seria o suficiente para manter e até mesmo ampliar o motódromo. A partir daquela época, Nova Friburgo não recebeu mais eventos da modalidade. A ideia inicial era transformar o espaço em um parque permanente de eventos, e a pista de motocross seria mantida e teria a estrutura melhorada. Sonho este que jamais se transformou em realidade.

A antiga pista localizada ao lado do mercado do Ceasa, em Conquista, foi erguida em 1.900 metros de extensão, 14 rampas, mesas e sessão de costelas. Desde sua construção em 2009, até 2013, o motódromo recebeu duas finais do Brasileiro de Motocross (2009 e 2010), uma abertura do Brasileiro Júnior e Feminino (2010 - a 1ª etapa feminina da história do brasileiro), duas aberturas do Carioca de MX (2009 e 2010), uma etapa do Carioca de Supercross (2012) e uma final do Carioca Femerj de MX (2013).

Considerada uma das melhores pistas do calendário brasileiro nas temporadas de 2009 e 2010, tornou-se o principal local de treinos para pilotos friburguenses e de todo o estado. Os eventos atraíam mais de 60 mil pessoas por dia, sendo a modalidade esportiva que registrou maior público em todos os tempos na cidade.

A pista recebeu o nome de motódromo Swian Zanoni em 2012, em homenagem ao piloto mineiro que escolheu Nova Friburgo para morar, treinar e desenvolver a modalidade. Swian, além de referência do motocross, foi também um dos principais incentivadores para a construção da pista na cidade. Naquele mesmo ano, entretanto, a pista já teve o tamanho reduzido para 850 metros – uma parte dela foi construída em um terreno privado -, e passou a ter formato de supercross.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Motocross