Médicos tentam sensibilizar colegas e população sobre o colapso na saúde

Profissionais fazem apelos nas redes sociais e prefeitura confirma situação crítica
quinta-feira, 15 de abril de 2021
por Thiago Lima (thiago@avozdaserra.com.br)
(Foto: Freepik)
(Foto: Freepik)

Circulou nas redes sociais esta semana um áudio de um médico que atua em Nova Friburgo esclarecendo a situação crítica do Hospital Municipal Raul Sertã provocada pela pandemia. “A coisa está muito séria. Acabei de atender uma família, todos com Covid, que vieram do Raul Sertã. O hospital está fechado, não tem ninguém para atender, só está atendendo ortopedia. Não tem ninguém para atender pacientes com Covid, vítimas de acidentes… nada, nada, nada”. Abriram 30 leitos de enfermaria onde era a enfermaria cirúrgica só para receber pacientes com Covid e os 30 leitos já estão lotados. Está  chegando gente que não acaba mais e a maioria são jovens e adultos com menos de 50 anos”, relata o médico.  

O mesmo profissional também divulgou no áudio que várias unidades de saúde da cooperativa Unimed no Estado do Rio estão fazendo internações domiciliares pois não têm mais vagas em seus hospitais conveniados. “Estão internando os pacientes em casa. A  família é que toma conta, dá os remédios, e uma enfermeira e um médico passam nessas casas uma vez por dia para ver como o paciente está. Técnico de enfermagem também vão em domicílio colher materiais para exames. Está muito cansativo, a doença realmente já explodiu e o volume de doentes é uma coisa que não dá para imaginar”, desabafa o profissional de saúde.  

Ele continua alertando que em Nova Friburgo, o Hospital Raul Sertã estaria fechado por falta de médico. “A emergência costuma estar trancada, só atendendo ortopedia. Todas as cirurgias foram suspensas, pois a clínica cirúrgica foi transformada em Covid. Amanhã de manhã estarei lá e vou ter mais informações, mas está todo mundo correndo para os consultórios, acabei de atender três agora, de uma família só, que não conseguiram ser atendidos no Raul Sertã porque o hospital estava fechado. Liguei para o hospital e os colegas confirmaram que não tinha ninguém na área de Covid. É a equipe do CTI que está intubando o pessoal da área do Covid quando precisa”, completa o médico. 

Ainda no mesmo áudio veiculado em redes sociais, ele faz mais uma alerta: “Pelo amor de Deus, se protejam, coloquem duas máscaras quando estiverem em ambientes fechados, evitem aglomerações e evitem sair de casa. Mesmo que esteja vacinado, tem que se proteger, pois não sabemos a que ponto essa variante pode driblar ou não a vacina, ninguém sabe até agora. Tudo indica que nossas vacinas protegem contra as variantes, mas não sabemos ainda com certeza. Quem está com uma dose só não está vacinado e quem não estiver vacinado, tem que se cuidar mesmo. Macaé está fazendo internação domiciliar e várias cidades estão fazendo isso. Vamos nos cuidar e tentar ser mais atenciosos, ter mais responsabilidade um com outro e tentar ajudar no que puder, porque a coisa está feia”, disse o médico.

Também pelas redes sociais, outro médico de Nova Friburgo fez um apelo sobre a necessidade urgente dos colegas se voluntariarem para ajudar no enfrentamento à pandemia, independente da remuneração que a prefeitura prometa. “Aos colegas médicos de Nova Friburgo. Vivemos a maior crise da história do município. Temos mais de 90 pacientes com Covid internados, além da UTI e não há médicos suficientes para tantos casos. Há necessidade urgente que médicos se voluntariem para ajudar, independente da remuneração da prefeitura. As cirurgias eletivas estão suspensas, as anestesias eletivas estão suspensas. Não tem sentido se receber um salário e ficar em casa enquanto pessoas necessitam muito de cuidados médicos. Fomos vacinados prioritariamente para estar na linha de frente e não para ficar vendo série em frente da TV. Não é uma questão política, é uma questão de humanidade. Quem puder por favor se apresente na direção do hospital”, apelou o médico. 

“Me vejo na obrigação de esclarecer como anda a situação do nosso município e nos municípios ao redor. O Raul Sertã não tinha médicos ontem (terça-feira, 13), não estava atendendo na emergência, só ortopedia e a situação de vagas também é crítica”, disse outro médico da cidade em áudio nas redes sociais.

O que diz a prefeitura 

Em nota, a Prefeitura de Nova Friburgo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informou que “os dados sobre o processo seletivo para contratação de mais profissionais de saúde ainda estão sendo analisados pelo Departamento de Recursos Humanos. “A SMS, esclarece a população friburguense quanto à inconsistência de um áudio que anda circulando em redes sociais, alarmando a população sobre a falta de médicos e o fechamento do Hospital Municipal Raul Sertã. A secretária municipal de Saúde, Nicole Cipriano, esclarece que o hospital por vezes trabalha com a capacidade diminuída de profissionais, mas não é o caso no momento. O hospital está funcionando sim, e nesta quarta-feira, 14, a equipe de profissionais trabalhou com internista, clínico, ortopedistas, cirurgiões e pediatras”, informou a nota. 

Prefeitura confirma agravamento da crise e pede medicamentos ao Estado

De acordo com a SMS, o sistema de internações no Hospital Raul Sertã está em colapso. A VOZ DA SERRA entrou em contato com a prefeitura, que por meio da Secretaria Municipal de Saúde, confirmou que “enviou ofício à Secretaria estadual de Saúde, solicitando medicamentos e insumos para o enfrentamento da Covid-19 no município, em função do colapso no sistema de internação do Hospital Municipal Raul Sertã, considerando que a unidade atende 13 cidades vizinhas. De acordo com o documento, foram solicitados 54 itens (13 tipos de insumos e 41 de medicamentos). O município destaca a dificuldade em conseguir comprar esses produtos devido à falta dos mesmos no mercado nacional.

 

LEIA MAIS

UTI do Raul Sertã exculsiva para o tratamento da doença volta a lotar

Entre esta quarta e sábado seriam contemplados adultos de 28 a 33 anos; aplicação de segunda dose, no entanto, prossegue

Lote repassado aos municípios, incluindo Nova Friburgo, contém as vacinas Astrazeneca, Coronavac e Pfizer

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra