Marlon Moraes é nocauteado por Rob Font em luta pelo UFC

Já Victor Dias bate Romário Garcia em sua quinta participação no WOCS
terça-feira, 22 de dezembro de 2020
por Vinicius Gastin
Braço erguido, bandeira de Nova Friburgo e touca de Papai Noel: o registro da vitória de Victor Dias
Braço erguido, bandeira de Nova Friburgo e touca de Papai Noel: o registro da vitória de Victor Dias

O reencontro de Marlon Moraes com as vitórias no UFC foi adiado. De forma surpreendente, o lutador de Nova Friburgo acabou nocauteado pelo norte-americano Rob Font, ainda no primeiro round, durante o UFC Vegas 17, promovido no último sábado (19). O combate era uma das principais atrações do evento que encerrou o calendário do Ultimate em 2020. Com envergadura maior, Font investiu na trocação e faturou o nocaute técnico com 3m47s de luta.

Apesar de rápido, o embate entre o friburguense e o norte-americano foi intenso: Marlon Moraes sabia que o oponente gostava do estilo da troca de golpes, e por isso, resolveu apostar em estratégia distinta, levando Rob Font ao solo para tentar resolver no jiu-jítsu. The Magic colocou pressão por cima do oponente, começou dominando o confronto e parecia ter a situação sob controle. Contudo, o adversário conseguiu resistir, se levantou e passou a se impor.

Aproveitando a vantagem de sua envergadura, Rob Font acertou Marlon Moraes com um jab, conectou um uppecut e, com força e eficiência na trocação, fez o friburguense dobrar os joelhos. No ground and pound, já com Moraes balançado, Font desferiu mais uma sequência de golpes certeiros. Apesar da tentativa de resistir, Marlon sofreu o nocaute técnico.

A vitória mais expressiva da carreira de Rob Font, embalando três triunfos consecutivos, significa, por outro lado, um 2020 abaixo do rendimento normal de Moraes. O friburguense somou duas derrotas, para Cory Sandhagen e, agora, para o oponente norte-americano. Antes do embate de sábado, o ex-líder do ranking dos pesos-galo era terceiro colocado, e há possibilidades de cair um pouco mais na lista da categoria.

A última vitória de Marlon aconteceu em dezembro de 2019, contra o também brasileiro José Aldo. Ainda no ano passado, no auge da carreira chegou a lutar pelo cinturão dos galos contra Henry Cejudo, mas acabou nocauteado no terceiro round. O lutador de Nova Friburgo sabe que a caminhada até o cinturão não será simples, em especial pelo cenário de equilíbrio na categoria.

“Tem o Petr Yan, Aljamain Sterling, eu, Cory Sandhagen, José Aldo, mas tem outros nomes também, como Frankie Edgar, Pedro Munhoz, Dominick Cruz, Jimmie Rivera, Raphael Assunção... É a categoria mais disputada do UFC, são caras duríssimos. Não tem ninguém em um nível muito acima em relação ao outro, então qualquer um pode vencer, o cinturão pode estar na mão de qualquer um desses atletas a qualquer momento. O ano de 2021 reserva grandes emoções, certamente. O cinturão peso-galo, ser o número 1 do ranking da categoria, isso aí o futuro vai dizer, o UFC que vai definir. A categoria está bagunçada, então quero mostrar o que eu posso fazer, mostrar meu potencial e onde realmente posso chegar, só isso", analisou durante entrevista na véspera na luta.

Resultados - UFC Vegas 17

Sábado, 19 de dezembro

Card principal

* Stephen Thompson venceu Geoff Neal por decisão unânime

* José Aldo venceu Marlon Vera por decisão unânime

* Michel Pereira venceu Khaos Williams por decisão unânime

* Rob Font venceu Marlon Moraes por nocaute técnico

* Marcin Tybura venceu Greg Hardy por nocaute técnico

 

Card preliminar

* Anthony Pettis venceu Alex Morono por decisão unânime

* Pannie Kianzad venceu Sijara Eubanks por decisão unânime

* Deron Winn venceu Antonio Arroyo por decisão unânime

* Taila Santos venceu Gillian Robertson por decisão unânime

* Tafon Nchukwi venceu Jamie Pickett por decisão unânime

* Jimmy Flick venceu Cody Durden por finalização

* Christos Giagos venceu Carlton Minus por decisão unânime

 

Victor Dias: V de vitória

Gigante para tomar conta do octógono, dominar o adversário e respeitar a lesão do oponente. Victor Dias foi fantástico para lutar, e gigante para perceber que Romário Garcia havia lesionado o joelho, paralisar a sequência de golpes e pedir o atendimento médico ao adversário. Uma vitória marcante sob todos os aspectos do lutador friburguense, que fez a luta principal do evento realizado no último sábado, 19, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Ao todo foram promovidos oito confrontos no card.

Em sua quinta participação no evento, o friburguense conseguiu levar o oponente para o chão logo nos primeiros instantes, investindo no jiu-jítsu. Romário buscava a defesa e, ao mesmo tempo, desferia alguns socos na cabeça de Victor, que respondeu na mesma moeda, e passou a acertar o rosto do adversário. Foram vários os golpes, sempre buscando a brecha para passar a guarda e encerrar o combate, mas Romário conseguiu resistir ao primeiro round.

No segundo assalto, as estratégias se mantiveram: Garcia buscou a trocação, enquanto Dias logo forçou a queda. O friburguense conseguiu se posicionar bem, montar no adversário e desferir novos socos. Dominante, Victor sentiu quando o joelho do rival acabou saindo do lugar, e imediatamente paralisou a boa sequência para pedir atendimento médico. Assim terminava o combate, com nova vitória do friburguense.

Antes da presença no Wocs, Victor havia vencido Cleveland Mclean, pelo evento Titan FC, na Flórida, Estados Unidos, em junho deste ano, após a disputa de três rounds. Especialista em jiu-jítsu no início de carreira, “Paçoca”, como é conhecido, trabalha para aperfeiçoar a prática do muay thai e outras modalidades.

 

LEIA MAIS

Em nova categoria, lutador friburguense tenta escalar rumo à disputa do cinturão

Lutador friburguense terá que cumprir descanso e se afastar de treinos por, no mínimo, um mês

Lutador friburguense amarga sequência ruim, é nocauteado, mas deve seguir prestigiado pelo UFC

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: UFC