Imunização do pessoal da saúde abaixo de 50 é retomada nesta quinta em Friburgo

Sem reserva para a compra efetiva de mais doses de vacina contra a Covid, atual gestão estuda adesão a consórcio de prefeitos
quarta-feira, 03 de março de 2021
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
A fila da vacina na tarde desta quinta-feira (Foto: Adriana Oliveira)
A fila da vacina na tarde desta quinta-feira (Foto: Adriana Oliveira)

Uma fila quilométrica, que chegava ao Tiro de Guerra, marcou nesta quinta-feira, 4, o início da segunda etapa de imunização contra a Covid-19 dos profissionais de saúde de Nova Friburgo abaixo dos 50 anos. Essa fase completa a vacinação de quem já tomou a primeira dose no dia 11 de fevereiro.

A etapa está prevista para acontecer nesta quinta e sexta-feira, 4 e 5,  das 14h às 18h, no posto Sylvio Henrique Braune, no Suspiro. É importante destacar que o profissional deverá obrigatoriamente levar o cartão de imunização constando a primeira dose e um documento de identidade com foto.

Uma nova carga da vacina CoronaVac chegou no Aeroporto Internacional Tom Jobim, às 10h30 desta quarta-feira, 3. São 249.200 doses que devem dar continuidade ao processo de vacinação nas cidades do Estado do Rio de Janeiro. A nova remessa será distribuída entre os 92 municípios fluminenses. Para Nova Friburgo serão destinadas 1.500 doses, que devem chegar ainda esta semana.

Sem reserva para a compra de vacinas

Na noite de segunda-feira, o ex-prefeito Renato Bravo veiculou um vídeo nas redes sociais questionando o atual prefeito Johnny Maycon sobre que fim levou a carta de intenção de compra de 30 mil doses de vacina assinada por ele no dia 30 de dezembro, dois dias antes de encerrar seu mandato. Segundo a atual gestão, a carta de intenção assinada por Renato Bravo significa apenas o intuito de aquisição por parte do município. 

A prefeitura esclareceu que as vacinas que estão sendo aplicadas são provenientes do Ministério da Saúde, que adquiriu o imunizante Coronavac (do Instituto Butantan) e Oxford/AstraZeneca (da Fundação Oswaldo Cruz) e repassou aos estados e municípios em cumprimento ao Plano Nacional de Imunização (PNI). Ou seja, essas doses não foram adquiridas pela prefeitura, nem pela atual gestão e nem pela anterior. 

Ainda segundo a prefeitura, apesar da assinatura da carta de intenção, em 2020, a gestão anterior não formalizou um processo administrativo para a efetiva aquisição das vacinas. A secretarias de Saúde e de Finanças confirmam que não houve a reserva orçamentária para a compra dessas doses.

Município analisa entrada em consórcio de prefeituras

Um consórcio nacional promete colocar as prefeituras na disputa pela compra de vacinas contra o coronavírus, na brecha deixada pela morosidade do Plano Nacional de Imunização. A formação do consórcio foi discutida pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) em reunião virtual realizada na última segunda-feira, 1º. Segundo o ex-prefeito de Campinas, Jonas Donizete, presidente da FNP, cerca de 100 cidades anunciaram a adesão. A FNP reúne as 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, mas qualquer município poderá aderir ao consórcio público para aquisição de vacinas.

A entidade deu prazo até esta sexta-feira, 5, para que os municípios façam a adesão. A previsão é que a associação seja constituída, legalmente, até o dia 22 deste mês para, depois disso, possa atuar na aquisição de imunizantes. Não há nenhum custo ao município para a adesão ao consórcio, os custos para a formação legal do consórcio público serão pagos pela FNP. Os municípios terão 15 dias para aprovar um projeto de lei nas câmaras municipais que autorizam a adesão ao consórcio público. Somente após a constituição legal, com a criação de um CNPJ e a escolha de diretoria, o consórcio estaria apto a fazer a compra de vacinas. A Prefeitura de Nova Friburgo informou que está analisando a possibilidade de integrar o consórcio e tão logo tenha uma definição, fará a divulgação.

Vacinação para todos os idosos

Diferentemente do que as pessoas imaginaram, o cadastro, encerrado no último dia 19 de fevereiro, não foi disponibilizado para assegurar o direito à vacinação, mas sim para se ter uma ideia do número de vacinas a serem adquiridas, a faixa etária com maior número e bairro a ser imunizada. À redação de A VOZ DA SERRA, a Secretaria Municipal de Saúde informou que não pretende reabrir o cadastro, mas assegurou que nenhum idoso ficará sem o imunizante. Mesmo aquele que não efetuou o cadastro receberá a vacina quando abrir a sua faixa etária. “A partir do cadastro foi possível traçar estratégias de modo a descentralizar a imunização e evitar aglomerações”, esclareceu o município.

 

LEIA MAIS

Profissionais fazem apelos nas redes sociais e prefeitura confirma situação crítica

Do total agora de 110 vagas, 94 estavam ocupadas, contra 69 na véspera, de um total de 93. Novos casos chegam a 256 em 24h

Dos 50 leitos disponíveis em toda a cidade, 49 estão ocupados. Deputado pede ajuda das Forças Armadas e Raul Sertã ganha nova ala Covid

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra