Historinhas que as crianças contam sobre suas mães

sexta-feira, 06 de maio de 2022
por Jornal A Voz da Serra
Foto: Freepik
Foto: Freepik

Que mãe não se lembra do sentimento ao saber que estava grávida? Ou da sensação de segurar seu bebê no colo pela primeira vez? Do chororô provocado pelas cólicas, dos tombos, do primeiro dia na escola, do primeiro diploma… Mães nunca se esquecem. Mas, e os filhos?

É normal um filho desconhecer as noites que a mãe passou em claro cuidando dele quando bebê, de como foi difícil para ela deixá-lo na escola sozinho pela primeira vez. No entanto, há momentos dessa relação que marcam as crianças para sempre. De qual você se lembra?

Ao lembrar de cenas vividas com suas mães na infância, adultos de diferentes idades contam histórias engraçadas, outras curiosas, algumas, lições para a vida. É fácil perceber que o carinho e a cumplicidade entre mães e filhos foram ingredientes insubstituíveis nesta relação. Confira o que contam: 

Broncas que acabam  em abraços e até risadas!

Todo filho faz besteira, birra, travessura. Por isso mãe ensina, repreende e, claro, dá bronca. Algumas delas são inesquecíveis. Quem não se lembra de quando fez algo errado, levou um “pito” daqueles por causa de um malfeito e então aprendeu uma lição para o resto da vida?

“Um dia cheguei em casa da escola com um lápis todo enfeitado e uma borracha colorida na ponta. Minha mãe sabia que ele não era meu e me fez confessar que eu tinha pego de algum colega. No dia seguinte, devolvi o lápis, pedi desculpas e aprendi a respeitar o que é dos outros”, contou Mariana.

A parte boa das broncas é quando elas terminam em uma lição aprendida e, principalmente, um abraço carinhoso de mãe. E quando acabam em risada, melhor ainda!

“Quando eu tinha uns seis anos, estava dando uma canseira na minha mãe, provocando mesmo. Cansada, ela falou ‘Maureca, vai ver se eu tô na esquina!’. Eu respondi: ‘Posso ir de bicicleta?’. Caímos na risada e lembramos disso até hoje!”, lembrou Thaís.

A dois no dia a dia

Mães sempre querem proporcionar as melhores experiências para seus filhos e fazem de tudo para isso. Às vezes, porém, são os momentos mais simples do dia a dia, mas especiais, que importam. Pode ser aquele passeio no parque, um banho de mar, o sorvete saboreado num banco da praça… O que importa mesmo, é estar juntos nessas horas de lazer.

“Quando eu era pequena, eu e minha mãe costumávamos ir de ônibus para o centro da cidade passear. Na volta, ela sempre comprava uma coxinha para mim, tomávamos um sorvete, comia pipoca. Eu amava essas tardes, principalmente porque no passeio éramos só eu e ela”, relatou Helena, nostálgica, em meio a tantas lembranças vividas com a mãe, já falecida.

Ouvir histórias  antes de dormir

Tem crianças que às vezes demoram para pegar no sono, e por isso contar histórias antes de dormir é um hábito comum a muitas mães. Esses momentos de leitura fortalecem o vínculo entre mãe e filho, transmite a sensação de segurança e bem estar, criam lembranças gostosas e, naturalmente, propiciam sono profundo e tranquilo para os pequenos.

“Uma vez minha mãe estava lendo uma história antes de dormir, deitada na cama junto comigo. Era a mesma história que eu pedia para ler todos os dias. Mas, ela estava com tanto sono que uma hora parou de ler e, já quase dormindo, falou que o personagem ‘ia ficar quietinho e dormir’. Eu fiquei brava e falei, ‘mãe, não é isso que a história fala!’ — e ela acordou assustada. Até hoje rimos disso, porque ela realmente só queria descansar e dormir”, contou Maria Lúcia, rindo.

O cuidado quando o filho está doente

Tem coisa mais gostosa e tranquilizadora do que ter alguém para cuidar de você, com o maior carinho do mundo? Um filho nunca esquece desses cuidados: da mãe que sempre faz uma comidinha gostosa especialmente para ele, quando está doente; que levanta no meio da noite quantas vezes for preciso para cuidar dele; das vezes que passa a noite velando o seu sono, só voltando a dormir quando tem certeza de que está tudo bem.

“Quando eu era pequeno e adoecia, tinha dificuldades para dormir porque tossia o tempo todo quando deitava. Minha mãe me enrolava num cobertor, me tirava da cama e sentava na varanda comigo no colo. Colocava um pano com álcool no meu pescoço, cantava e contava histórias até a tosse acalmar. Até hoje sinto o aconchego desses momentos”, relembra Thales.

O carinho na  hora de ensinar

Mães ensinam e passam a vida transmitindo conhecimento. Ensinam a comer, a andar, a falar, a escrever, a fazer conta, a brincar. Ensinam até o que apenas intuem, seja por experiência própria ou o que aprenderam com as gerações anteriores. Aprendem para saber e poder ensinar. As mães são as maiores professoras dos filhos, e disso eles nunca esquecem.

“Eu e minha mãe sempre andávamos juntas, a cavalo, nos pastos da fazenda. E eu nunca vou me esquecer dela me ensinar como pegar a fruta do pé em cima de um cavalo. Adorava sair com ela pra pegar um ingá, uma manga, uma jabuticaba. Eu mal podia esperar pela época de cada fruta. Era a nossa aventura, nossos melhores momentos”, revela Arthur.

“Quando eu tinha cinco anos minha mãe me ensinou a ler. Nunca esqueço de como eu queria ser a ovelha do livro ‘Maria vai com as outras’. Ela leu esse livro pra mim até cansar, e eu aprendi todas as falas dele. Mais tarde ela usou a história do livro para me alertar sobre algumas amizades, dizendo que eu nunca deveria ser ‘Maria vai com as outras’”, conta Helena.

“Minha mãe sempre assistiu aos filmes da Disney comigo e com a minha irmã. Quando minha irmã estava aprendendo a ler, ela ensinava com as letras das músicas dos filmes. Como eu ainda era pequena e minha mãe não queria me deixar de fora, ela ficava com papel do Aladim, minha irmã com o papel da Jasmine e eu com o da gralha”, descreve Juliana, uma apaixonada por livros e filmes, desde sempre.

Os momentos inesquecíveis para todos os filhos são aqueles em que suas mães acolhem, cuidam, protegem e ensinam. Sentimentos únicos entre os dois, que dão segurança, conforto e marcam suas vidas para sempre. Nesse Dia das Mães, parabéns para todas as mamães que viveram, vivem ou ainda vão viver esses e tantos outros momentos especiais com suas crias, para elas, eternos pequenos! 

(Fonte: https://www.dentrodahistoria.com.br/blog/)

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: