Estado começa a distribuir neste sábado seringas para vacinação contra Covid

Megaoperação vai levar 5,5 milhões de unidades aos 92 municípios fluminenses em quatro dias
sexta-feira, 15 de janeiro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
Estado começa a distribuir neste sábado seringas para vacinação contra Covid

O governo do Estado do Rio informou na noite desta sexta-feira, 15, que dará início neste sábado, 16, à distribuição do primeiro lote de seringas para a campanha de vacinação contra Covid-19. Ao todo, nesta primeira fase, a Secretaria estadual de Saúde enviará 5,5 milhões de seringas descartáveis de 3 ml com agulha aos 92 municípios do estado, incluindo Nova Friburgo.

A megaoperação para realizar a entrega do material em apenas quatro dias para todos os municípios fluminenses contará com o apoio da  Polícia Militar, que dará suporte com 17 comboios fazendo a escolta dos veículos, além do reforço do Viagem Segura, policiamento que cobre as rodovias estaduais e federais. Cem policiais militares participarão diariamente da ação, que será monitorada pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

"Estamos prontos para vacinar a população fluminense. Agora, é hora de cada cidade do estado receber seringas e agulhas para a primeira fase de imunização. Cada cidadão, de forma igualitária e seguindo o Plano Nacional de Imunização, terá direito à vacina, de Natividade à Paraty. Os helicópteros do Estado, que já serviram apenas para comodidade de autoridades, agora estão à disposição para serem utilizados na distribuição dos insumos e da vacina, se houver necessidade. Compramos os materiais no menor preço do Brasil e isso faz parte de uma política transparente e com planejamento da nossa gestão", afirmou o governador em exercício Claudio Castro.

Na última quarta, 13, a SES encaminhou aos secretários municipais de Saúde um ofício recomendando que as seringas sejam de uso exclusivo da campanha de vacinação contra Covid-19. O material corresponde ao mesmo número de doses que serão necessárias para imunizar a população que se encaixa nas quatro fases iniciais da vacinação.

"A Secretaria de Saúde já tem em sua rotina as vacinações pelo SUS e histórico de grandes campanhas de imunização. Estamos preparados para dar início à vacinação. A distribuição das seringas é mais um passo desse processo para garantir que toda a população do estado seja vacinada", disse  o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

Em dezembro, a SES recebeu oito milhões de agulhas e seringas adquiridas por meio de licitação. Um segundo lote com mais oito milhões de agulhas e seringas tem previsão de entrega à SES em fevereiro.

Esse material foi comprado a 17 centavos a unidade, abaixo do valor estabelecido nas atas de preço vigentes. Outro processo de aquisição, de mais 50 milhões de agulhas e seringas, já foi iniciado e estará concluído para as fases seguintes da campanha de vacinação contra a Covid-19.

Monitoramento pós-vacinação

A SES criou Grupo Técnico de Investigação de Eventos Adversos Pós-vacinais para Covid-19. A comissão de especialistas da Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES tem a missão de auxiliar os municípios para que façam a notificação de forma correta, seguindo os procedimentos operacionais dos eventos adversos pós-vacinais graves ou inusitados. Os técnicos também vão assessorar os municípios na investigação dos casos quando necessário. O objetivo é que os processos de notificação, investigação, acompanhamento e elucidação de possíveis eventos aconteçam com agilidade.

Plano Nacional de Imunização

A SES vai seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde (MS), que prevê a distribuição de vacinas contra Covid-19 para todos os estados do país. O PNI acontecerá inicialmente em quatro fases, obedecendo a critérios logísticos de recebimento e distribuição das doses.

Fases

A primeira fase prioriza os trabalhadores da saúde, a população idosa a partir de 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena;

- A segunda fase inclui pessoas de 60 a 74 anos;

- A terceira fase prevê a vacinação de pessoas com comorbidades e, por isso, maior risco de agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas e cardiovasculares);

- A quarta fase abrangerá professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

População

As quatro fases juntas contabilizam 5.454.912 habitantes. Na primeira fase, serão cerca de 811.235 idosos acima de 75 anos; 545.197 trabalhadores da saúde; 339 indígenas; e 10.892 mil idosos em instituições de longa permanência (1.367.663 pessoas, ao todo). Na segunda fase, teremos cerca de 2.181.861 de idosos na faixa de 60 a 74 anos. Na terceira, cerca de 1.666.259 de pessoas com comorbidades. Na quarta fase, 97.225 professores; 92.205 profissionais das forças de segurança pública e salvamento; 991 funcionários do sistema prisional e 48.708 privados de liberdade.

Outras medidas de enfrentamento

Entre os meses de novembro e dezembro, a SES ampliou a rede dedicada ao tratamento da Covid-19 em 989 leitos, sendo 390 de UTI adulto e 599 de enfermaria nas unidades estaduais, a partir de incentivos do estado. Também foram realizados 26.897 testes de RT-PCR desde o dia 04/12 nas quatro unidades abertas pelo estado. O programa é complementar à testagem de RT-PCR, que já vem sendo realizada em unidades municipais de saúde, coordenada pela SES. Desde o início da pandemia, já foram realizados 504.276 mil testes em parceria entre a SES, COSEMS e a Fiocruz.

Regulação Unificada
Nesta quarta-feira, 13, a Secretaria publicou resolução que cria a regulação unificada para leitos destinados a pacientes com Covid-19 em todo o estado, conforme o Plano de Resposta de Emergência ao Coronavírus. O documento estabelece que todos os leitos clínicos, obstétricos, pediátricos e de terapia intensiva com suporte ventilatório destinados ao tratamento de Covid-19 estarão sob a gestão estadual, por meio da Central Estadual de Regulação (CER), enquanto durar o estado de emergência em saúde pública.

 

LEIA MAIS

Noroeste Fluminense evolui para vermelha, assim como Friburgo; Centro-Sul segue em laranja

Por novo decreto, restaurantes fecham mais cedo, às 20h, e bares só poderão funcionar com delivery

Imunização com doses da Oxford/Astrazeneca será na segunda e terça próximas em vários pontos do município

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra